Cinema Disney+ atinge 50 milhões de assinantes mundiais

06:30  09 abril  2020
06:30  09 abril  2020 Fonte:   pipocamoderna.com.br

Vin Diesel diz que O Último Caçador de Bruxas vai ganhar continuação

  Vin Diesel diz que O Último Caçador de Bruxas vai ganhar continuação Segundo o ator Vin Diesel, a Lionsgate está desenvolvendo uma sequência para “O Último Caçador O post Vin Diesel diz que O Último Caçador de Bruxas vai ganhar continuação apareceu primeiro em Pipoca Moderna.

O recém-inaugurado serviço de streaming de vídeo da Disney , Disney+ , alcançou Tudo isso apesar de problemas técnicos enfrentados por alguns usuários no primeiro dia. Por enquanto o Disney+ está disponível apenas nos EUA (onde estão concentrados 88,7% dos assinantes ), Canadá e Holanda.

O Disney+ foi lançado em 12 de novembro e ainda não está disponível globalmente. A empresa disse que, no dia seguinte ao lançamento, o serviço já tinha mais de 10 milhões de assinaturas. Na última segunda-feira (3), o CEO Bob Iger disse que o número de assinantes do Disney+ aumentou para 28

Disney+ atinge 50 milhões de assinantes mundiais © Marcel Plasse Disney+ atinge 50 milhões de assinantes mundiais

O serviço de streaming Disney+ ultrapassou os 50 milhões de assinantes pagos em todo o mundo, informou a Walt Disney Co. nesta quarta-feira (8/4).

A marca foi atingida cinco meses após o lançamento do serviço e poucos dias após sua chegada na Europa, em 24 de março, quando ficou disponível no Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Espanha e outros países, além da Índia, onde foi lançado em 3 de abril.

Só o lançamento na Índia – realizado em conjunto com o serviço Hotstar, adquirido na compra dos ativos da Fox – representou cerca de 8 milhões de novos assinantes para a Disney +, em apenas cinco dias.

Parques da Disney em Orlando, Califórnia e Paris fecham por conta do coronavírus

  Parques da Disney em Orlando, Califórnia e Paris fecham por conta do coronavírus Parques da Disney em Orlando, Califórnia e Paris fecham por conta do coronavírus - Todos os parques da Disney nos Estados Unidos, incluindo os da Disney World, em Orlando, e da Disneyland, na Califórnia, permanecerão fechados de 15 a 31 de março por conta do coronavírus. O anúncio, feito na noite de 12 de março, acrescenta ainda que a Disneyland Paris também cancelará atividades no período, bem como os cruzeiros realizados pelos navios da Disney Cruises. Apenas os hotéis e centros de compras e gastronomia Disney Springs, em Orlando, e Disney Village, em Paris, continuarão em atividade até novas análises.

A cruzada da Walt Disney Co. para se tornar um gigante do streaming começou bem. Os assinantes da plataforma Disney+ , que estreou em novembro nos Estados Unidos, já são 26,5 milhões , um sinal de que a empresa de 96 anos pode desafiar a Netflix em um mercado cada vez mais movimentado.

Disney+ triplicou o número de assinantes no serviço com período de quarentena imposto pela pandemia de Covid-19. © Disney /Divulgação Serviços de streaming registraram alta de assinantes na semana passada. Os dados, porém, incluem o período de experimentação, o que significa que

“Estamos realmente sensibilizados pelo fato de a Disney+ estar ressonando entre milhões de pessoas em todo o mundo e acreditamos que isso é um bom presságio para nossa expansão contínua na Europa Ocidental e no Japão e em toda a América Latina no final deste ano”, disse Kevin Mayer, presidente do departamento direct-to-consumer da Walt Disney. “Grandes histórias inspiram e elevam, e estamos em uma posição privilegiada de poder oferecer uma vasta gama de ótimos conteúdos de entretenimento focados em alegria e otimismo no Disney+”, completou, em comunicado.

Ao atingir a marca de 50 milhões, a Disney+ já deixou para trás o serviço Hulu, seu irmão corporativo, que tem um pouco mais de 30 milhões de assinantes. A diferença é que o Hulu só está disponível na América do Norte. Mas o rápido avanço já supera expectativas iniciais. Quase dobrou sua base desde a última vez que divulgou seu número de assinantes, no início de fevereiro. E já reuniu uma audiência que é quase um terço do tamanho da Netflix, que começou a oferecer streaming há mais de uma década.

A Disney não disse se atribui parte do crescimento recente do serviço à pandemia de coronavírus, que paralisou a vida cotidiana em todo o mundo e causou um aumento nas visualizações de streaming.

A plataforma, que teve 10 milhões de inscrições nos EUA nas primeiras 24 horas de disponibilidade, oferece uma vasta biblioteca de programação, com muitas séries e filmes do catálogo da Disney, mas pouco material exclusivo. Por enquanto, o maior atrativo é “The Mandalorian”, primeira série live-action derivada da saga “Star Wars”. Outras produções badaladas, como séries derivadas dos filmes da Marvel, tiveram as gravações suspensas devido à crise sanitária mundial.

Disney anuncia adiamento de suas próximas animações .
A Disney anunciou uma segunda rodada de adiamentos de seus filmes, desta vez focada em suas próximas animações. A nova produção da Pixar, “Soul”, foi deslocada de sua data original (25 de junho no Brasil) para 20 de novembro. E até “Raya and the Last Dragon”, que só estrearia em janeiro de 2021, sofreu mudança. Agora, será lançada em 12 de março do ano que vem. As alterações no calendário foram informadas pelo perfil do Twitter da Disney. Veja abaixo. Com os novos adiamentos, agora o primeiro filme do estúdio com previsão de estreia cinematográfica é o remake live-action de “Mulan”.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!