Brasil Polícia Civil ouvirá novas testemunhas e fará simulação da operação que matou o jovem João Pedro

02:46  24 maio  2020
02:46  24 maio  2020 Fonte:   estadao.com.br

Vaticano adotará medição de temperatura na Basílica de São Pedro

  Vaticano adotará medição de temperatura na Basílica de São Pedro Vaticano adotará medição de temperatura na Basílica de São PedroCIDADE DO VATICANO (Reuters) - As pessoas que comparecerem a missas na basílica de São Pedro e em outras igrejas papais de Roma serão submetidas a uma medição de temperatura, como parte das medidas para conter a disseminação do coronavírus, informou o Vaticano nesta quinta-feira.

João Pedro levou um tiro de fuzil na barriga, durante operação feita pela Polícia Civil do Estado com a Polícia Federal. Depois de os policiais invadirem “Foi a polícia que matou o meu filho. O policial, tenho certeza absoluta, não está dormindo. Está raciocinando [sobre] a besteira que ele fez : tirar a

A operação que resultou na morte de João Pedro foi realizada pela Polícia Federal com apoio das polícias Civil e Militar do Rio. Segundo a família e testemunhas , policiais chegaram atirando à casa onde João e amigos estavam, na praia da Luz, em Itaoca.

RIO - A Polícia Civil do Rio vai ouvir mais testemunhas sobre a operação que resultou na morte do adolescente João Pedro Mattos Pinto, de 14 anos, em São Gonçalo (Região Metropolitana do Rio), na última segunda-feira (18). Além do bombeiro socorrista, serão ouvidos policiais e familiares da vítima. Uma reprodução simulada está prevista para ser realizada após a conclusão dos depoimentos e dos laudos periciais.

A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) convidou o Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública, que está assistindo a família do menino, e o Ministério Público para acompanharem a simulação.

Idoso mata motociclista, foge e simula roubo de carro envolvido no acidente

  Idoso mata motociclista, foge e simula roubo de carro envolvido no acidente Idoso mata motociclista, foge e simula roubo de carro envolvido no acidenteNo entanto, após ver as provas reunidas pela equipe de investigação, ele acabou confessando. O idoso dirigia o carro na contramão e em alta velocidade, quando fez a conversão para entrar em uma rua e atingiu a motocicleta de Marcos André Moreira Landin.

1 de 1 João Pedro Mattos Pinto, morto em operação em São Gonçalo — Foto A Polícia Civil do Rio de Janeiro identificou ser 5,56 o calibre da arma que matou o menino João Pedro Mattos Pinto, de A família diz que o jovem estava em casa e foi morto por policiais. No dia seguinte a operação

A operação policia aconteceu durante distribuição de cestas básicas na região conhecida como Segundo a corporação, o jovem chegou a ser socorrido no Hospital Municipal Lourenço Jorge, na Jõao Victor, 18 anos, baleado na Cidade de Deus – RJ, durante operação da polícia na favela, de

A Polícia Civil já ouviu os policiais que participaram da ação, os pilotos da aeronave, além de duas testemunhas, e oficiou a Polícia Federal para prestar informações sobre o planejamento operacional e objetivos da operação. Os agentes analisam agora os laudos de perícia do local e de necropsia e aguardam o de confronto balístico.

A Corregedoria Geral de Polícia Civil (CGPOL) informou que três policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) que participaram da operação no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, foram afastados do serviço operacional provisoriamente. Os agentes continuarão na CORE, exercendo atividades administrativas.

A CGPOL instaurou uma sindicância administrativa disciplinar para apurar a conduta dos policiais civis que participaram da ação. A apuração corre em paralelo ao inquérito policial instaurado pela Delegacia de Homicídios de Niterói.

Policiais investigados pelo assassinato de João Pedro mudaram versões .
Laudo aponta que o adolescente foi morto com um tiro nas costas e novos depoimentos levam a crer que a bala saiu de uma das armas dos policiaisOs novos relatos dos policiais foram prestados após a polícia concluir e divulgar que João Pedro foi morto com um tiro dado em suas costas, por uma bala disparada por um fuzil calibre 556, segundo laudo cadavérico da Polícia Civil do Rio de Janeiro. A bala é a mesma utilizada pela PM durante a operação.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 0
Isto é interessante!