Brasil Bolsonaro come cachorro-quente e cumprimenta apoiadores em Brasília

02:46  24 maio  2020
02:46  24 maio  2020 Fonte:   poder360.com.br

Aprovação de Bolsonaro é de 34% entre quem pode receber auxílio de R$ 600

  Aprovação de Bolsonaro é de 34% entre quem pode receber auxílio de R$ 600 Aprovação de Bolsonaro é de 34% entre quem pode receber auxílio de R$ 600Entre os que já receberam ou podem receber o auxílio, 34% avaliam a administração bolsonarista como boa ou ótima. Outros 33% consideram o governo ruim ou péssimo. Os que acham o trabalho regular são 30%; outros 3% não souberam responder.

JAIR BOLSONARO COME EM PADARIA E ABRAÇA APOIADORES - Продолжительность: 2:19 UOL 17 719 просмотров. Infectologista explica os riscos e cuidados para conter o coronavírus no Brasil - Продолжительность: 10:52 Hoje em Dia 164 448 просмотров.

Bolsonaro descumpre monitoramento por coronavírus e cumprimenta apoiadores em Brasília . Desde as dez horas da manhã deste domingo (15), o presidente começou a publicar, em uma rede social, vídeos das manifestações pelo país.

O presidente Jair Bolsonaro comeu cachorro-quente de vendedor da Asa Norte, em Brasília © Reprodução/Facebook O presidente Jair Bolsonaro comeu cachorro-quente de vendedor da Asa Norte, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, no início da noite deste sábado (23.mai.2020) e foi a 1 vendedor de cachorro quente em via da Asa Norte, em Brasília.

Usando máscara, o chefe do Executivo federal cumprimentou e tirou fotos com apoiadores. Ouviu gritos de “mito” e também alguns “fora, Bolsonaro”. Houve 1 princípio de aglomeração, o que vai contra orientações das autoridades de saúde devido ao risco de transmissão da covid-19.

O presidente comeu 1 cachorro-quente no local. Antes, perguntou ao comerciante se poderia consumir o lanche ali mesmo. Pediu também uma Coca-cola.

Bolsonaro participa de novo ato, enquanto mortes por COVID-19 superam 15.000 no Brasil

  Bolsonaro participa de novo ato, enquanto mortes por COVID-19 superam 15.000 no Brasil O presidente Jair Bolsonaro participou neste domingo (17) de outra manifestação em Brasília, no momento em que o Brasil, o quarto com mais casos de COVID-19 no mundo, ultrapassa a marca dos 15.000 mortos pela doença. O Brasil totaliza 233.142 casos e 15.633 mortes por COVID-19. Vários governadores e prefeitos relatam altas taxas de ocupação das unidades de terapia intensiva (UTIs), o que ameaça um colapso do sistema público de saúde. Na cidade de São Paulo, epicentro da doença no país, com 38.479 casos e 2.

O deputado federal, Eduradro Bolsonaro (PSL-SP) publicou 1 vídeo em que o presidente Jair Bolsonaro cumprimenta apoiadores em uma padaria de Brasília nesta

Bolsonaro descumpre monitoramento por coronavírus e cumprimenta apoiadores em Brasília . 8 minExibição em 16 Mar 2020. Presidente desconsiderou outra recomendação fundamental dos médicos e autoridades nesse momento de pandemia: evitar contato direto, beijos

Bolsonaro foi questionado se participaria de manifestação marcada por apoiadores para as 10h deste domingo (24.mai.2020), em frente ao Palácio do Planalto. Evitou responder. “Só vou responder sobre futebol“, brincou.

O presidente também ouviu de 1 apoiador que 6ª feira (22.mai) havia sido 1 “grande dia“, expressão que integra o rol de bordões de Bolsonaro. O comentário era uma referência à divulgação do vídeo de reunião ministerial ocorrida em 22 de abril, cujo conteúdo foi bem avaliado pela claque bolsonarista. O presidente assentiu com o comentário feito pelo apoiador.

O passeio de Bolsonaro ocorreu no mesmo momento em que o jornal O Estado de São Paulo publicava em seu site mensagens enviadas pelo presidente ao ex-ministro da Justiça Sergio Moro. Na conversa, Bolsonaro disse que havia decidido que iria demitir o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. A exoneração do chefe da PF é ponto central do inquérito que investiga se o presidente tentou interferir na corporação por interesse pessoal.

GSI diz que está aperfeiçoando segurança do Alvorada após imprensa suspender cobertura .
Nos últimos dias, jornalistas têm sido xingados por apoiadores de Bolsonaro na portaria do PalácioNo comunicado, o GSI afirma que avalia “ininterruptamente” as condições de segurança dos locais onde o presidente está e continuará “aperfeiçoando” esse dispositivo. O comunicado diz, ainda, que o GSI “entende e respeita” os princípios de liberdade de expressão garantidos pela legislação vigente.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 3
Isto é interessante!