Brasil Abin viu aceleração da pandemia e não ressaltou cloroquina em informes para Bolsonaro

11:25  31 maio  2020
11:25  31 maio  2020 Fonte:   estadao.com.br

Para imprensa europeia, cloroquina se tornou "arma política" no Brasil

  Para imprensa europeia, cloroquina se tornou A imprensa europeia demonstra surpresa e preocupação com a decisão do governo brasileiro de ampliar o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para o tratamento de doentes com sintomas leves do coronavírus no SUS. Sites de notícias e jornais destacam o assunto nesta quinta-feira (21), afirmando que o medicamento se tornou uma arma política de Bolsonaro. "O Brasil de Jair Bolsonaro aposta na cloroquina" é o título da matéria publicada no site do canal de TV francês France 24. O texto destaca que a decisão do Ministério da Saúde se deve às "semanas de pressão do presidente, que considera milagroso o medicamento".

Bolsonaro carregava consigo uma máscara, mas não a utilizou enquanto trocava apertos de mão e posava para fotos com populares. O presidente ainda pegou uma criança no colo e conversou com pessoas também sem utilizar a máscara. O chefe do Executivo estava acompanhado do ministro da

Bolsonaro é crítico ao isolamento social e costuma minimizar a gravidade da pandemia ., que Foi o quinto pronunciamento de Bolsonaro em meio à pandemia e o primeiro usado por ele para se Sem base científica, governo amplia uso da cloroquina . O Ministério da Saúde divulgou um novo

Nos relatórios enviados ao Palácio do Planalto, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) destacou a alta subnotificação de casos da covid-19 por falta de kits para diagnóstico. O órgão responsável pelas informações reservadas do presidente destacou que há “dúvidas” sobre a proporção de infectados pelo coronavírus em relação a outras complicações respiratórias. Neste cenário, a agência usa a alta de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) para estimar suspeitos da pandemia.

Para a Abin, “circunstâncias locais” têm grande impacto sobre a subnotificação de casos © Reprodução/Abin Para a Abin, “circunstâncias locais” têm grande impacto sobre a subnotificação de casos

A equipe de inteligência afirmou, no último dia 12, que a proporção dos novos casos do Brasil sobre dados globais é mais relevante do que aparenta. “A participação do Brasil torna-se mais significativa se for considerado que o País tem 10 a 15 vezes menos testes diagnósticos realizados por milhão de habitantes que os demais (países) e, portanto, é provável que os números brasileiros estejam subestimados e sejam de maior proporção do que os apresentados”, diz um dos relatórios.

Bolsonaro diz que pessoas não podem temer coronavírus e reitera que pode ter sido contaminado

  Bolsonaro diz que pessoas não podem temer coronavírus e reitera que pode ter sido contaminado Bolsonaro diz que pessoas não podem temer coronavírus e reitera que pode ter sido contaminado"Talvez tenha pego", disse Bolsonaro em entrevista à rádio Jovem Pan, acrescentando, no entanto, que fez três exames que tiveram resultado negativo.

Bolsonaro prometeu a distribuição de aproximadamente 10 milhões de exames e até agora entregou 6,9 milhões, sendo 4,7 milhões de testes rápidos (sorológicos) e 2,1 de RT-PCR (biologia molecular). Mesmo sendo um dos países que menos testou a própria população, o Brasil segue como segundo

Fontes do TCU informaram a VEJA que o então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, se reuniu com integrantes do tribunal para questionar se compras emergenciais durante a Para o Ministério da Saúde, porém, esses valores estão desatualizados e não podem mais ser obtidos em novas compras.

Para a Abin, “circunstâncias locais” têm grande impacto sobre a subnotificação de casos. A agência cita Minas Gerais como exemplo. No fim de abril, o órgão observou que os dados daquele Estado eram pouco confiáveis, pois o número de suspeitos acabava sendo 30 vezes maior do que o de casos confirmados.

Estudo feito pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) apontou elevada subnotificação da doença no Estado. De janeiro a abril de 2020, Minas registrou cerca de 200 mortos pela covid-19. No mesmo período, no entanto, houve 539 óbitos por SRAG, uma elevação de 648%, segundo o estudo. Para os pesquisadores, é forte a hipótese de que mortes por coronavírus não tenham sido identificadas por falta de testes.

Em 13 de maio, a Abin afirmou que o País está na fase de “aceleração da epidemia”. “Além disso, o Brasil ainda tem testagem com baixa representatividade (cerca de 3 mil por 1 milhão) e distribuída de modo não uniforme, o que impossibilita avaliar de forma precisa a incidência e sua evolução em cada cidade”, argumentou a agência.

Secretária do Ministério da Saúde diz que por enquanto não haverá mudança sobre uso de cloroquina

  Secretária do Ministério da Saúde diz que por enquanto não haverá mudança sobre uso de cloroquina Secretária do Ministério da Saúde diz que por enquanto não haverá mudança sobre uso de cloroquinaEla afirmou que o ministério tem tranquilidade em relação à nota divulgada na semana passada, mas não descartou mudanças nas diretrizes caso os estudos acompanhados pela pasta mostrem que não há comprovação da eficácia da medicação.

A pandemia do novo coronavírus tem provocado impactos fortes na cadeia automotiva. Ele também ressalta que, obviamente, o momento não é para endividamento se há risco de perda de “A pessoa precisa ver se vale a pena deixar o dinheiro se está ganhando CDI (lembrando que a Selic está em 3

Ele informou que publicaria os decretos em edição extra. "Não tivemos por parte do governo estadual o retorno ao nosso pedido de reclassificação de faixa. Pelo plano estadual, toda a Baixada Santista, incluindo São Vicente, estão na faixa 1 (vermelha) e não podem flexibilizar as atividades econômicas.

Desde o começo do avanço da doença, o Ministério da Saúde estima que 900 mil exames do tipo RT-PCR para covid-19 foram realizados no País, mas o dado é impreciso. O período de maior necessidade de exames deve ocorrer em junho, segundo a Abin, por ser o momento de maior circulação de vírus respiratórios. Neste mês, a agência acredita que 70 mil testes diários serão feitos.

Cada relatório da Abin sobre o novo coronavírus tem cerca de 20 a 30 páginas. A agência analisa o cenário da doença no Brasil, em cada Estado, e em países de todos os continentes. Também resume estudos sobre diagnóstico e impactos econômicos e sociais da pandemia no mundo.

No fim de abril, os agentes apontaram número “crescente” de mortes em casa, na capital paulista. Dias mais tarde, a agência informou que o governo de São Paulo estava com dificuldades para vencer barreiras alfandegárias e logísticas para importação de respiradores. “Autoridades estaduais estariam estudando alternativas de transporte aéreo, mas o enxugamento da malha aérea internacional impõe dificuldades logísticas”, observou o documento.

Sobe para 50% avaliação negativa do desempenho de Bolsonaro na pandemia, diz Datafolha

  Sobe para 50% avaliação negativa do desempenho de Bolsonaro na pandemia, diz Datafolha Sobe para 50% avaliação negativa do desempenho de Bolsonaro na pandemia, diz DatafolhaRIO DE JANEIRO (Reuters) - A avaliação negativa à forma como o presidente Jair Bolsonaro tem atuado no enfrentamento à pandemia do coronavírus subiu para 50% em maio ante 45% em abril, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, um dia após o Brasil registrar recorde no número diário de casos confirmados de Covid-19.

Com o isolamento social adotado para conter a pandemia de Covid-19, a tecnologia ganhou lugar de destaque, transformando diversas áreas no setor imobiliário; tais novidades prometem acelerar e facilitar o processo de compra de imóveis.

Em nota, a Polícia Federal lamentou a morte dos dois delegados, mas ressaltou que Adriano não preside mais o inquérito, que corre em Brasília, mas que, sim, foi o responsável pela abertura do processo e encarregado das primeiras medidas antes do inquérito ir para o Distrito Federal.

Cloroquina

Defendida por Bolsonaro, mas sem evidência de eficácia contra o coronavírus, a cloroquina não é apontada como medicamento promissor nos relatórios da Abin. O produto é mencionado nove vezes. Nestes trechos, a agência apenas informa que determinado local usa cloroquina ou que há pesquisa em andamento sobre a eficácia terapêutica, mas não chega a julgar se é válido ou não apostar no tratamento.

Os documentos mostram, ainda, projeções de casos e mortes no País para os dez dias seguintes. Os cenários mais e menos graves são calculados com base na curva de países como o próprio Brasil, além de Reino Unido, Itália, EUA, Japão, entre outros. A aposta no “cenário referência Brasil” costuma ser certeira, conforme documentos obtidos pela reportagem elaborados até 13 de maio. Os dados são retirados de estudos do próprio Ministério da Saúde.

Desde o começo da crise, técnicos da Saúde projetam o avanço da doença no País, mas os dados não são divulgados.

Bolsonaro ameaça retirar Brasil da OMS a exemplo dos EUA .
Bolsonaro ameaça retirar Brasil da OMS a exemplo dos EUABRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro acusou nesta sexta-feira a Organização Mundial de Saúde (OMS) de atuar de forma política e ameaçou retirar o Brasil da entidade, seguindo decisão tomada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 19
Isto é interessante!