Brasil Em ato contra STF, bolsonaristas usam símbolos do nazismo e da KKK

16:41  31 maio  2020
16:41  31 maio  2020 Fonte:   catracalivre.com.br

Bolsonaristas hostilizam jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada

  Bolsonaristas hostilizam jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada Bolsonaristas hostilizam jornalistas em frente ao Palácio da AlvoradaO GSI (Gabinete de Segurança Institucional) costuma permitir a entrada de aproximadamente 30 pessoas. Havia cerca de 60 na manhã desta 2ª feira. Os apoiadores se dividiram em 2 grupos.

Roberto Jefferson comparou o STF , que já o condenou por participação no esquema do mensalão "A ação a mando do STF visa buscar quem financia Fake News e evitar novos linchamentos virtuais. Apenas parem. Vocês ofendem a memória das verdadeiras vítimas do nazismo e não enganam

o nazismo à operação do Supremo Tribunal Federal ( STF ) contra uma rede de bolsonaristas . últimos meses, a comunidade judaica brasileira também tem reagido ao uso da bandeira de Israel em atos A presença do símbolo do Estado judeu é comum em manifestações de apoio ao presidente

  Em ato contra STF, bolsonaristas usam símbolos do nazismo e da KKK © Reprodução / Twitter

O Twitter amanheceu neste domingo, 31, com dois termos entre os assuntos mais comentados: “nazismo” e “Ku Klux Klan”. O motivo? Bolsonaristas, do grupo “300 do Brasil, fizeram um ato nesta madrugada em frente ao STF (Supremo Tribunal Federal) e usaram elementos dessas ideologias reacionárias e extremistas.

A manifestação foi realizada após a principal porta-voz do movimento, Sara Winter, se tornar alvo de investigação no inquérito contra fake news que tramita no STF. O grupo de apoiadores do presidente da República acampa em Brasília.

Com máscaras, roupas pretas e tochas, além de uma faixa onde se lia “300”, o grupo composto por poucas dezenas de pessoas desceu a Esplanada e ficou em frente ao Supremo. Seguidos por Winter, os bolsonaristas gritavam palavras de ordem contra o ministro Alexandre de Moraes, responsável pelo inquérito.

Embaixada de Israel critica Weintraub por fala sobre nazismo

  Embaixada de Israel critica Weintraub por fala sobre nazismo Ministro da Educação fez associação com operação do STF    Em comunicado, a sede diplomática pediu para que o Holocausto não seja utilizado no debate político. "Em nome da amizade forte entre nossos países, que cresce cada vez mais há 72 anos, requisitamos que a questão do Holocausto como também o povo judeu ou judaísmo fiquem à margem do diálogo político cotidiano e as disputas entre os lados no jogo ideológico", diz. "O Holocausto é algo que não desejamos a nenhuma nação, e enfatizamos que isso não seja usado cotidianamente, mesmo em casos que sejam considerados extremos.

O ato contra a ameaça comunista, marcado para 19 de abril - Dia do Exército -, pede ainda a manutenção no divulgado pela página “Brasil, Pátria Livre do Comunismo”, que agrega discursos de bolsonaristas no Youtube. No Twitter, os atos em frente aos quartéis estão sendo convocados com

Redes bolsonaristas falam em “golpe de Estado” contra Bolsonaro, sob comando do STF . Haddad defende impeachment de Bolsonaro, que “sempre foi um pária”.

“Viemos cobrar, o STF não vai nos calar. Careca tocado, Alexandre descarado. Ministro, covarde, queremos liberdade. Inconstitucional, Alexandre imoral”, repetiram em diversos momentos.

Depois de ser alvo de ação nesta semana, a porta-voz do movimento ameaçou “infernizar” a vida de Moraes e “trocar socos” com ele. “Ele mora lá em São Paulo, né? Você me aguarde, Alexandre de Moraes. O senhor nunca mais vai ter paz na vida do senhor”, disse ela em um vídeo no Twitter.

“A gente vai infernizar a tua vida. A gente vai descobrir os lugares que você frequenta. A gente vai descobrir as empregadas domésticas que trabalham pro senhor. A gente vai descobrir tudo da sua vida. Até o senhor pedir pra sair. Hoje, o senhor tomou a pior decisão da vida do senhor”, declarou a ex-funcionária do Ministério da Família, Mulher e Direitos Humanos.

Bolsonaristas criticam operação da PF sobre fake news

  Bolsonaristas criticam operação da PF sobre fake news Bolsonaristas criticam operação da PF sobre fake newsEntre os alvos estão Allan dos Santos, blogueiro do site Terça Livre; Douglas Garcia, deputado estadual pelo PSL; Luciano Hang, dono da Havan; Roberto Jefferson, ex-deputado federal e presidente nacional do PTB; e Sara Winter, ativista do grupo “300 do Brasil” que organiza protestos a favor de Bolsonaro e contra o Congresso Nacional e o STF.

Bolsonaristas ameaçam invadir stf e congresso com apoio de militares da reserva. O ato ignora todas as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde (OMS). A maior parte dos apoiadores não usa máscaras de proteção.

Felipe Moura Brasil, Augusto Nunes e José Maria Trindade comentam a notícia de que Dias Toffoli, do STF , está sendo pressionado por seus pares a se vingar

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios entrou no início deste mês com uma ação civil pública na Justiça para solicitar o fim do acampamento do “300 do Brasil” em Brasília ou qualquer outra parte do país.

Segundo procuradores, se trata de uma “milícia armada”. O MP informou que Sara, citada como alvo da ação, já admitiu a presença de armas no acampamento dos bolsonaristas.

Veja vídeos e a repercussão do ato:

Veja também: Bolsonaristas fazem gesto religioso para presidente na porta do Alvorada

Veja também: Ação da PF sobre fake news rende memes de terça livre e véio da Havan

Veja também: Castelo bolsonarista das fake news desmorona e web é enxurrada de memes

Bolsonaro faz post sobre nazismo e fascismo .
Bolsonaro faz post sobre nazismo e fascismoBolsonaro foi alvo de manifestações antifacistas no domingo passado (31.mai).

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 22
Isto é interessante!