Brasil Ministério Público rejeita intolerância e está preocupado com situação do País, diz Aras

00:40  01 junho  2020
00:40  01 junho  2020 Fonte:   estadao.com.br

Bolsonaro se convida para ir à PGR e tem encontro com Augusto Aras

  Bolsonaro se convida para ir à PGR e tem encontro com Augusto Aras Aras é responsável por investigá-lo.A cerimônia constava na agenda do presidente Bolsonaro, que acompanhou a live do Palácio do Planalto, em Brasília.

O prefeito Bill de Blasio disse que a situação não partiu dos policiais. A parlamentar Alexandria Ocasio-Cortez classificou os comentários do São Francisco também impôs toque de recolher, anunciado pelo prefeito London Breed após saques e violência. We are implementing a curfew that

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse em Plenário, nesta segunda-feira (3), estar preocupado com as manifestações de intolerância que o Brasil está vivendo.

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Augusto Aras, e o presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), Fabiano Dallazen, informaram em nota obtida pelo Estadão/Broadcast que o Ministério Público rejeita a intolerância e está preocupado com a situação do País, mas que “cumprirá com os seus deveres constitucionais na salvaguarda da ordem jurídica que sustenta as instituições do País”.

“A estabilidade da nação depende do respeito à Constituição Federal por todos, especialmente pelos poderes constituídos”, diz a nota, assinada por Aras e Dallazen.

Procurador-geral da República, Augusto Aras © Dida Sampaio/Estadão Procurador-geral da República, Augusto Aras

“Nosso compromisso é com Estado Democrático de Direito e repudiamos atos que possam afetar o ambiente de normalidade institucional preservado desde a Lei Maior de 1988. Por isso, rejeitamos a intolerância, especialmente as fakes news que criam estados artificiais de animosidade entre as pessoas, causando comoção social em meio a uma calamidade pública, com riscos de trágicas consequências para a povo”, prossegue a manifestação.

Bolsonaro diz que Aras será candidato forte em caso de 3ª vaga para STF

  Bolsonaro diz que Aras será candidato forte em caso de 3ª vaga para STF Bolsonaro diz que Aras será candidato forte em caso de 3ª vaga para STFBolsonaro elogiou a atuação de Aras à frente da PGR, citando especialmente questões econômicas. O procurador-geral atualmente conduz o inquérito que tramita no Supremo que investiga se Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal, após acusação feita pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

Funcionários públicos rejeitam acordo. Dissemos ao governo que a sua oferta está longe das nossas expectativas", afirmou um dos Na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, o secretário-geral da ONU, António Guterres disse também estar preocupado com "a deterioração da situação ".

“O Ministério Público e o Procurador-Geral da República são profissionais técnicos. Temos resistido à tentativa de pautar a ação do PGR politicamente. O PGR não deve interferir em manifestações partidárias”, completou. Quantas matérias por dia você lê da Fórum? Você já pensou nisso?

De acordo com o procurador-geral da República e o presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG), o Ministério Público brasileiro “está preocupado com este estado de coisas e cumprirá com os seus deveres constitucionais na salvaguarda da ordem jurídica que sustenta as instituições do País”.

A manifestação vem a público depois da ocorrência de uma série de protestos em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em Brasília, o grupo bolsonarista "300 pelo Brasil", liderado pela ativista Sara Winter, fez um protesto na noite do último sábado em frente à sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. O grupo carregava tochas acesas, e algumas pessoas usavam máscaras de personagens de filmes de terror cobrindo todo o rosto.

Sara Winter "pediu para ser presa" ao ameaçar Moraes, diz procurador

  Sara Winter Um dos alvos da operação da PF que investiga fake news, a ativista Sara Winter gravou vídeo no qual diz que Alexandre de Moraes nunca mais "terá paz na vida""As reações a ilegalidades têm de observar os limites da lei. Com tais declarações, esta investigada pediu para ser presa. Situação do artigo 312 do CPP, para prisão preventiva", escreveu, no Twitter, Aras, que é membro do Ministério Público Federal (MPF), integrante da Procuradoria Regional da República da 1ª Região.

Diante da situação os alunos de inclusão ficam a maior parte do tempo sem participar das atividades. Apenas observando, como se não fizessem parte do ambiente, tornando-se irritados, agressivos e se negando em permanecer na sala de aula. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

Mussolini estava preocupado com as ambições nazistas para a Áustria e garantiu que, pelo menos A Polônia rejeitou todas as exigências alemãs e não aceitou negociar sobre a questão da anexação de Danzig. Com os alemães assumindo o controle da situação , Grécia e Iugoslávia foram derrotadas

Neste domingo, pela manhã, Bolsonaro participou de outro protesto, na Praça dos Três Poderes, com faixas contra o Supremo e a favor de uma intervenção militar.

Em São Paulo, um ato pró-democracia e antifascista organizado por grupos ligados a torcidas de futebol na Avenida Paulista terminou em confronto neste domingo, entre manifestantes e apoiadores de Bolsonaro e também com a Polícia Militar, que interveio e usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar o início de uma briga em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp)

Pichação

Neste final de semana, um painel colocado no edifício-sede da Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília, foi alvo de pichação. Onde se lia “Procuradoria-Geral da República”, foi escrito “do Bolsonaro” em cima de “da República”, para que se leia “Procuradoria-Geral do Bolsonaro”. Após o episódio, a PGR informou que vai reforçar a segurança nas unidades do Ministério Público Federal (MPF) de todo o País.

O ato de vandalismo ocorre em meio às críticas à atuação de Aras, alvo de crescente pressão interna no MPF e de setores da oposição por, na visão deles, agir alinhado aos interesses do presidente Jair Bolsonaro.

PGR pede arquivamento de representações de deputados do PT contra Moro .
PGR pede arquivamento de representações de deputados do PT contra MoroFalcão pedia que Moro fosse investigado por prevaricação e condescendência criminosa. Disse que, ao pedir demissão, o ex-ministro relatou ter havido interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal, o que teria sido também uma “admissão de condutas que podem ser consideradas penalmente típicas“.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 22
Isto é interessante!