Brasil MPU quer que TCU investigue a empresa da ex-mulher de Wassef

14:32  24 junho  2020
14:32  24 junho  2020 Fonte:   correiobraziliense.com.br

Advogado que abrigou Queiroz estava no Planalto nesta 4ª feira

  Advogado que abrigou Queiroz estava no Planalto nesta 4ª feira Advogado que abrigou Queiroz estava no Planalto nesta 4ª feiraWassef é dono do imóvel onde o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o policial militar Fabrício Queiroz, foi preso na manhã desta 5ª feira (18.jun), em Atibaia, município do interior do Estado de São Paulo. Queiroz estava no local há cerca de 1 ano.

A suspeita é de tráfico de influência com o Executivo, segundo consta no documento.

A ex - mulher de Wassef afirma que as informações tratam-se de “fake news” e necessitam de “reparos profundos”, uma vez que os dados que constam nas reportagens foram apresentados sem as confirmações da empresa . Cristina Boner Leo afirma que ao contrário do que diz as reportagens, os

Policiais procuram Márcia de Aguiar em Belo Horizonte: advogado de defesa entrou com habeas corpus © CRISTIANE MATTOS/FUTURA PRESS/AE Policiais procuram Márcia de Aguiar em Belo Horizonte: advogado de defesa entrou com habeas corpus

A empresa Globalweb Outsourcing, fundada pela ex-mulher do advogado Frederick Wassef, Maria Cristina Boner Leo, enviou ontem um ofício contestando a suspeita de tráfico de influência apontada pelo Ministério Público de Contas. Há indícios de que o estabelecimento, que presta serviços para o Ministério da Educação (MEC) e outros 11 órgãos ligados ao Executivo, tenha recebido, durante pouco mais de um ano de gestão do presidente Jair Bolsonaro, R$ 41,6 milhões. A quantia seria quase a mesma que amealhou durante os quatro anos da gestão Dilma Rousseff-Michel Temer, quando os repasses teriam sido de cerca de R$ 42 milhões. Mas, segundo a Globalweb, o valor dos quatro anos de serviço foi de R$ 221 milhões, e os pagamentos atuais seriam mais baixos.

Polícia descartou envolvimento de Wassef no desaparecimento de menino em 1992

  Polícia descartou envolvimento de Wassef no desaparecimento de menino em 1992 Polícia descartou envolvimento de Wassef no desaparecimento de menino em 1992À época, Wassef estava hospedado no hotel Vila Real –local de trabalho da mãe de Leandro. Ele acompanhava 1 grupo denominado Lus (Lineamento Universal Superior), ligado à ufologia e ao espiritismo.

A empresa de informática é prestadora de serviços de diferentes órgãos estatais, como o Ministério da Educação e o BNDES Wassef nega que tenha escondido Queiroz. Diz que o ex -assessor não estava foragido da polícia. Ele afirmou que deixará a defesa de Flávio para não prejudicar Bolsonaro.

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, Queiroz foi No dia da prisão de Queiroz, por exemplo, Wassef estava em uma casa em Brasília que pertence à ex - mulher . Era só o primeiro de uma série de contratações à empresa de Cristina, que segundo o

A representação, assinada pelo subprocurador geral do Ministério Público de Contas, Lucas Rocha Furtado, pede que o Tribunal de Contas da União faça auditoria e aponte, dentre outras coisas, “se houve atuação da Sra. Maria Cristina, com a intermediação do Sr. Frederick Wassef, em eventual direcionamento das contratações à Globalweb”. “O volume de pagamentos à empresa teve aumento considerável durante a gestão Bolsonaro”, sustenta a peça.

Furtado afirma, ainda, que Maria Cristina está impedida de contratar com o poder público, por conta de um processo de improbidade administrativa. A proibição não se estende, no entanto, à Globalweb, pois, embora Cristina Boner tenha criado a empresa, o CPF da empresária não consta no quadro de sócios do empreendimento. A Globalweb é chefiada pela filha de Maria Cristina, Bruna Boner. Cálculo divergenteEm ofício ao TCU, a empresa contesta as acusações. “Segundo dados que podem ser obtidos no Portal da Transparência, os valores recebidos por serviços regularmente prestados a órgãos federais durante o governo Bolsonaro, chegam a ser 70% inferior ao totalizado nas gestões Dilma e Temer, incluindo os valores resultantes de contratações decorrentes de outras empresas que estão em processo de desativação, e que devem ser considerados para efeito deste comparativo”, afirma o documento.

Advogado ter hospedado Queiroz não configura crime, avaliam especialistas

  Advogado ter hospedado Queiroz não configura crime, avaliam especialistas A possibilidade de imputação de obstrução de Justiça depende de provas contra o advogado .Juristas ressaltaram que Queiroz não estava foragido e que, apesar da situação "muito estranha", o fato de Wassef tê-lo abrigado não é ilegal. Essa é a opinião do criminalista Fernando Castelo Branco, do Instituto de Direito Público.Já o advogado Gustavo Badaró, professor da Universidade de São Paulo (USP), vê "mais dano político do que jurídico" na prisão - embora não descarte possíveis acusações contra Wassef. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Inquérito das rachadinhas apura suspeita de repasse de salários de funcionários da Alerj para o senador à época em que ele era deputado estadual. Por Lucas Ragazzi, Aluisio Marques e Fernando Zuba, TV Globo — Belo Horizonte.

Ex - mulher do advogado Frederick Wassef , Bruna Boner Leo é atual administradora da Globalweb Outsourcing, que recebeu R$ 41,6 milhões durante a gestão de Jair A empresa negou “qualquer tentativa de vinculação de seus resultados ou das contratações como fruto de influência política”.

Segundo o documento, a Globalweb recebeu R$ 221 milhões no governo Dilma/Temer. “Os valores recebidos em 2019 foram os mais baixos aferidos desde 2015. Para além, desses R$ 41 milhões que foram recebidos (na gestão presente), apenas R$ 17 milhões são referentes a contratos novos, e R$ 24 milhões são de contratos anteriores ao atual governo”, argumentou a empresa.

“Também no Governo Bolsonaro, as renovações de contratos provenientes de licitações públicas realizadas pela modalidade pregão eletrônico no período foram de R$ 53 milhões, contra cancelamentos e não renovações na ordem de R$ 91,8 milhões. Ou seja, ao contrário do que se afirma, durante esse governo, ocorreram perdas de receita de 42%, e não ganhos”, segue o ofício.

Wassef diz que Queiroz seria assassinado e que tentariam incriminar família Bolsonaro .
Em entrevista à revista 'Veja', ex-advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) disse que ofereceu endereços para o ex-assessor e insiste que agiu dentro da leiSegundo afirmou à publicação, Wassef teria sido informado de que havia um plano traçado para matar Queiroz e culpar os Bolsonaros pelo crime. O advogado disse ainda que considera que salvou a vida do ex-assessor.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 4
Isto é interessante!