Brasil Fórum dos Leitores

09:40  08 outubro  2020
09:40  08 outubro  2020 Fonte:   estadao.com.br

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.brEterno berço esplêndido

Fórum dos Leitores . 101 likes. Blog de opinião que trata de assuntos como política, economia e notícias do Brasil e do mundo. Tudo que está rolando nos

Fórum dos Leitores . Estadão 12/08/2020 Fórum dos Leitores . Pandemia. Filantropia.

República da tubaína

Selo Decotelli de qualidade

É impressionante a capacidade de Jair Bolsonaro de indicar ministros com currículos falsos. O mais recente é o glorioso e desconhecido, porém tomador de tubaína, Kassio Nunes Marques. Por que dourar a pílula e inflacionar o currículo com cursos inexistentes e tão fáceis de checar? O que ele pretendeu com essa atitude? Circula pela internet um selo Decotelli de qualidade. Seria cômico se não fosse trágico. Indicar para o Supremo Tribunal Federal (STF) um forjador de informações é uma enorme mancha que o Senado deve rever. Aliás, um “presidente” jantar com ministros do STF, só mesmo na Terra Brasilis. Provavelmente, se questionado, responderá: “E daí?”. Não podemos continuar à mercê dos desvarios do Messias apenas no nome. O Brasil precisa de uma nova direção, e urgentemente. Se necessário o desgastante impeachment, infelizmente, que seja feito.

Especialistas mundiais apontam soluções para o direito humano, água e saneamento

  Especialistas mundiais apontam soluções para o direito humano, água e saneamento Especialistas mundiais apontam soluções para o direito humano, água e saneamentoParticiparam o filósofo italiano Gianni Vattimo, o ministro da Suprema Corte Ricardo Lorenzetti, vencedor do Prêmio Água de Estocolmo, Asit K. Biswas, líder do povo Sarayaku e ativista de direitos humanos, Patricia Gualinga, entre outros . A iniciativa tem o apoio do Papa Francisco e é coordenada pelo cardeal Claudio Hummes, presidente da Rede Eclesial Panamazônica (REPAM) e relator geral do Sínodo para a Amazônia, realizado no ano passado no Vaticano.

Ambas se referiam aos meus comentários no Fórum dos Leitores do Estadão. Logo percebi que se tratava de bolsonaristas fanáticos, pelo teor da escrita. Não respondi, porém achei que eles

Fórum dos Leitores . Estadão 1 hora atrás Fórum dos Leitores . Meio ambiente. Pantanal ameaçado.

RENATO AMARAL CAMARGO

NATUSCAMARGO@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Vergonha internacional

Universidade espanhola negou existir o curso de pós-graduação que Kassio Marques alegou ter feito. Que vergonha apresentar currículo com falsidades! Ao que tudo indica, não é de hoje que o nosso Judiciário não está sequer aparelhado para certificar as titulações de seus membros. Como pode ter reputação ilibada alguém cuja comprovação de notável saber jurídico apresenta tais excrescências?

JOSÉ ELIAS LAIER

JOSEELIASLAIER@GMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Reputação ilibada

A reputação inquestionável é condição necessária para ser ministro do STF. Assim dispõe a Constituição da República (artigo 101, caput). Se a imprensa questiona abertamente, com base em documentos, informações lançadas no currículo do cidadão indicado a uma vaga na Suprema Corte, há legítima expectativa de comprovação. O que não se concebe é a assunção do risco de ver anulada a nomeação por falta do requisito para o provimento do cargo, o que banaliza a gravidade de que se reveste a indicação para a mais alta Corte do País.

Trinta anos da nova Justiça Federal Criminal

  Trinta anos da nova Justiça Federal Criminal Nossa geração chegou ao Fórum, na Praça da República, com a Constituição nas mãosUm dos principais pontos de partida dessa experiência foi o velho Fórum Criminal da Justiça Federal de São Paulo, inaugurado há 30 anos na Praça da República, no centro histórico de São Paulo. Seis juízes federais criminais tinham jurisdição sobre todo o Estado paulista.

Fórum dos Leitores . Estadão 23/07/2020 Fórum dos Leitores . Desgoverno Bolsonaro. Reforma tributária.

Fórum dos Leitores . Estadão 14/08/2020 Fórum dos Leitores .

LUIZ SERGIO FERNANDES DE SOUZA

LUIZSERGIOSOU@YAHOO.COM.BR

SÃO PAULO

*

Pós-graduação bolsonarista

Temos acompanhado com certa frequência esse conceito de pós-graduação disseminado entre os apreciadores de tubaína do círculo de amizades do presidente Bolsonaro. A divergência entre o que se entende por pós-graduação para as instituições emissoras de certificados e seu entendimento pelos autodeclarados pós-graduados é deveras preocupante, principalmente quando esses cidadãos estão em via de ingressar em altos postos do serviço público. A meu ver, os “pós-graduados” bolsonaristas deverão fazer um curso para aprender o que é pós-graduação antes de elaborarem seus currículos.

LAIRTON COSTA

LAIRTON.COSTA@YAHOO.COM

SÃO PAULO

*

Os padrinhos

O nome de Kassio Nunes Marques chegou ao presidente da República por intermédio do advogado Frederick Wassef e do senador Flávio Bolsonaro. Ora, essa dupla já demonstrou que não é flor que se cheire...

Saúde mental e democracia: a importância de defender o SUS começa pela mente

  Saúde mental e democracia: a importância de defender o SUS começa pela mente Ainda que não exista um calendário oficial, os meses foram pouco a pouco ganhando cores que simbolizam importantes temas. Janeiro abre a temporada com a cor branca para falar de saúde mental e em setembro a mente humana volta ao foco com a cor amarela, mas dessa vez para alertar sobre o suicídio. O mês na verdade é uma lembrança, já que ambos os temas precisam ser falados abertamente por que o principal é a prevenção e a preservação da vida. Aliás, saúde mental fala muito sobre prevenir. Os caminhos da mente são tortuosos e alguém que parece muito feliz pode estar enfrentando uma barra no seu subconsciente.

Fórum dos Leitores . Estadão 08/06/2020 Notas e Informações. Sou leitor de Dom Odilo P. Scherer e simpatizante da CNBB, mas telespectador desta baixaria, não mesmo.

#Desafiodosleitores. Convidada pelo pessoal do Amplifique-se, respondi às perguntas sobre livros e leituras. Quer participar também? Responda nos

ROBERT HALLER

ROBELISA1@TERRA.COM.BR

SÃO PAULO

*

Notável saber jurídico

Recebi com simpatia a indicação do nome do desembargador Kassio Nunes Marques para o STF. Dei-lhe o meu voto para o Tribunal Federal da 1.ª Região quando da formação da lista pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de que resultou sua escolha. Não posso, porém, deixar de opor reparo à declaração dele de que, em tese, o requisito do “notável saber jurídico”, exigido para a nomeação de ministro do Supremo, poderia ser aferido independentemente de o candidato ser bacharel em Direito. A Constituição de 1891, realmente, referia-se apenas a “notável saber”, o que levou Floriano Peixoto a nomear para a Corte um médico, Barata Ribeiro, e dois generais. Antes, porém, que o texto constitucional fosse modificado, o que foi feito em 1926, um parecer da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, da lavra do eminente constitucionalista João Barbalho, definiu que o notável saber, no caso, só poderia ser de natureza jurídica, que tem como pressuposto a formação em curso de graduação em Direito. Cursos de pós-graduação, sim, não são exigidos e às vezes nada acrescentam. Não se argumente, a esse propósito, com o exemplo do ministro Amaro Cavalcanti (1849-1922), que fez um curso de Direito de menos de dois anos nos EUA – mas fez, e foi um grande jurista. Minha preocupação com a declaração do desembargador é tanto maior porque fui presidente da Comissão Nacional de Ensino Jurídico da OAB por seis anos e sei bem de intenções manifestadas no passado pelo Conselho Nacional de Educação no sentido de rebaixar o curso jurídico ao nível de um curso tecnológico, feito em três anos, amesquinhando, assim, o papel que historicamente esse curso sempre representou no País, desde as duas primeiras faculdades, criadas por dom Pedro I, em São Paulo e Olinda.

ONU: 39 países pedem à China que respeite os direitos de minoria muçulmana uigur

  ONU: 39 países pedem à China que respeite os direitos de minoria muçulmana uigur Liderados pela Alemanha na ONU, 39 países exortaram a China em uma declaração conjunta a "respeitar os direitos humanos" dos uigures em Xinjiang nesta terça-feira (6). O conglomerado de nações expressou ao mesmo tempo preocupação com o desenvolvimento da situação dos direitos humanos em Hong Kong. "Pedimos à China que respeite os direitos humanos, especialmente os direitos das pessoas de minorias religiosas e étnicas, particularmente em Xinjiang e no Tibete", disse o embaixador alemão na ONU, Christoph Heusgen, em um encontro da comissão da Assembleia Geral das Nações Unidas especializada em direitos humanos.

A série Fotos dos Leitores é uma das colunas favoritas dos leitores do site. Ela cresceu regada a lindas imagens enviada por vocês, amigos, seguidores, fiéis companheiros do TudoCelular.

A série Fotos dos Leitores é uma das colunas favoritas dos leitores do site. Ela cresceu regada a lindas imagens enviada por vocês, amigos, seguidores, fiéis companheiros do TudoCelular.

PAULO ROBERTO DE GOUVÊA MEDINA

MEDINA@POWERLINE.COM.BR

JUIZ DE FORA (MG)

*

Terríveis

O presidente Bolsonaro promete, agora, a indicação para a próxima vaga de ministro da Suprema Corte do nome de um pastor terrivelmente evangélico. Pena que não tivemos, conforme as promessas feitas por Bolsonaro quando ainda era candidato, um presidente democrático terrivelmente sincero.

MARCELO GOMES JORGE FERES

MARCELO.GOMES.JORGE.FERES@GMAIL.COM

RIO DE JANEIRO

*

Desgoverno Bolsonaro

Arte desprezada

Se a covid-19 é apenas uma “gripezinha”, um eventual incêndio na Cinemateca, patrimônio nacional da arte cinematográfica, sem seguro e abandonada, também não passará de uma “fogueirinha”. Tragédia anunciada!

PEDRO PAULO PENNA TRINDADE

PENNATRINDADE@GMAIL.COM

SÃO PAULO

___________________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

SITUAÇÃO EMBARAÇOSA

Didático o comentário do eminente advogado criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira em O tratado da mentira ou como o Pinóquio foi superado (Estado, 7/10, A2). Vai de A a Z na análise de situações que até permitem ao político “mentirinhas venais”, como em qualquer profissão, como na minha, quando o médico anima um paciente na fase terminal da doença. Mas o articulista conclui que a político não é “permitido mentir para engodar, para ludibriar, para iludir todo um povo e outros povos”.  Exatamente obedecendo e concordando com essas premissas, entendo que estamos diante de uma situação embaraçosa. Jair Bolsonaro indicou o desembargador Kassio Nunes Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF) alegando amizade (até tomaram muita tubaína juntos), desmentida pelo indicado, que disse não ser amigo de Bolsonaro. Para completar, o candidato ao STF falsificou seu currículo, fato que já causou a demissão de um ministro da Educação neste governo. E agora, presidente: mentira e falsificação? A Constituição não está sendo respeitada, pois esses fatos estão muito longe de reputação ilibada e do notório saber. Então seriam outros os objetivos a serem alcançados com a indicação de tal personagem? Teriam algo que ver com o seu filho Flávio e o advogado Frederick Wassef?

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.De corrupção

Antonio Carlos Gomes das Silva acarlosgs@uol.com.br

São Paulo

*

INDICAÇÃO

Tá explicado. Frederick Wassef, o advogado da família Bolsonaro que escondia Fabrício Queiroz, indicou Kassio Marques para a vaga no Supremo Tribunal Federal. Caso Bolsonaro recuse, já pensou se Wassef abre o bico?

Marisa Bodenstorfer

Lenting, Alemanha

*

ARQUIVE-SE

Se Kassio Marques assumir o lugar do decano Celso de Mello e herdar seus processos, a família Bolsonaro vai comemorar o “arquive-se” brindando num boteco com uma tubaína?

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

FAKE PÓS-GRADUAÇÃO

O desembargador Kassio Nunes Marques, indicado pelo presidente Bolsonaro para a vaga do decano ministro Celso de Mello no STF, apresenta em seu currículo acadêmico dois títulos de pós-doutorados. O primeiro, na Universidad de La Coruña, na Espanha, foi negado pela diretoria da instituição, e o segundo parece obra de ficção, vez que a referida Faculdade Maranhense, no Maranhão, nem sequer tem cursos de Direito. Diante dos fatos, parece que o desembargador cursou pós-graduação em fake pós. Que seja, pois, reprovado pelo Senado para ocupar posto de tamanha relevância na mais alta Corte do País. Como dizem os velhos adágios, “mentira tem perna curta” e “é mais fácil pegar um mentiroso do que um coxo”. Vergonha!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

PÓS

É impressionante como estes estelionatários acreditam na própria mentira e acham que ninguém vai conferir. Wilson Witzel diz que estudou em Harvard, mentira; agora é a vez do indicado ao STF, Kassio Nunes, mentir acerca da pós-graduação em universidade espanhola.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br Pandemia da fome

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

O CURRÍCULO E A MORALIDADE

Do ponto de vista da moralidade, as mentiras flagradas no currículo do desembargador Kassio Marques (o tal “curso de pós-graduação” pela Universidad de La Coruña é apenas uma delas) já o desqualificariam para o exercício da magistratura, mais ainda para ministro da Suprema Corte. Bem, segundo interlocutores do presidente Bolsonaro, a escolha de Marques não foi pelo currículo, mas fruto de uma articulação dele com líderes do Centrão e diversas forças políticas. Além disso, é de conhecimento de todos que boa parte dos senadores tem alguma implicação na Lava Jato e, portanto, grande interesse em ter mais um ministro não-lavajatista no Supremo, caso do desembargador. Ou seja, dependendo do objetivo destas tais “diversas forças políticas”, pouco importa se o que consta no currículo do indicado é verdade ou não. E a moralidade? Já foi para o lixo faz tempo.

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

NOTÓRIO SABER JURÍDICO

O indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), o desembargador Kassio Nunes Marques, deveria saber que um dos pressupostos para o cargo é o “notório saber jurídico”. Ora, partindo desse princípio, o indicado deveria saber que informação mentirosa em seu currículo é crime de falsidade ideológica. Afinal, para um presidente que queria fechar o STF, não deixa de ser um passo à frente, não é mesmo, Bolsonaro?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

SEM CREDIBILIDADE

Quem mente perde credibilidade. No seu extenso currículo, o ilustre desconhecido desembargador Kassio Nunes Marques afirma ter feito um curso de pós-graduação na Universidade de La Coruña, na Espanha, porém essa universidade o desmente e afirma que não oferece nenhuma pós-graduação deste curso e esclarece que Kassio participou de apenas cinco dias do curso intitulado Contratacion Púlica em 2014. O currículo do desembargador cita também dois cursos de pós-graduação feitos na Universidade de Salamanca, que não foram confirmados. Ora, um juiz antes de tudo tem de merecer credibilidade e Kassio Nunes, pelo que tem apresentado, não merece credibilidade. Os senadores que vão examinar o seu currículo precisam ser rigorosos, afinal a nomeação para o STF é de grande responsabilidade, não podem transformar a sabatina numa sessão proforma apenas para chancelar qualquer indicação do presidente da República. Afinal Kassio Nunes Marques, se indicado para o STF como está, com 48 anos, ficaria no Supremo por 27 anos. Para ser indicado pelo presidente da República para o STF, a Constituição exige que tenha: escolhidos dentre cidadãos com mais de 35 e menos de 65 anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada. Quem mente não tem reputação ilibada.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloPecado mortal

José Carlos de Castro Rios castroriosjosecarlos@gmail.com

São Paulo

*

MAIS UM

O favorito para o Supremo de Bolsonaro, Kassio Marques, ao que tudo indica, pode ser mais um a repetir o que fez o último indicado ao cargo de ministro da Educação e que não tinha sequer o doutorado nem o pós-doutorado, como seu currículo alegava. Parece que agora é a vez deste novo indicado do presidente ter que se explicar. Como ele fez dois pós-doutorados, se concluiu o seu doutorado há 11 dias? Para piorar sua situação, a universidade espanhola nega a existência do curso de pós-graduação que ele declara ter feito (manchete do Estado de 6/10). É vocação para atrair gente mentirosa? Ou será que não é hora de rever os conceitos sobre quem os rodeia e que faz parecer que sejam as melhores escolhas? Apoiadores do governo de certa ala já declararam que deixarão o apoio a Bolsonaro se o nome de Marques se confirmar. Bolsonaro tenta amenizar prometendo que a próxima vaga do Supremo será para um evangélico. Tudo neste governo soa a falso.

Geder Parzianello gederparzianello@yahoo.com.br

São Borja (RS)

*

MODA

Kassio Marques, indicado da vez para o STF por Bolsonaro, foi pego com problemas de currículo, como ocorreu na época do segundo ministro do MEC, que nem chegou a ser ministro... Não é possível que esta moda vá pegar!

Sérgio C. Rosa sergiorosa@uol.com.br

Belo Horizonte

*

A MÁSCARA DOS CURRÍCULOS

Muitas pessoas estão indignadas com a quantidade de cursos falsos que são colocadas nos currículos, e é para estar mesmo. Nunca as máscaras estiveram tanto em evidência. Aposto que grande parte da população não sabe que nas carreiras públicas o cidadão é promovido de acordo com os títulos que apresenta, e esses títulos representam aumento de salário. A questão que se coloca é: os cursos apresentados são conferidos? Ou a coisa ficou tão relaxada que os comprovantes não são sequer checados? Fica o alerta, muita ganância acaba chamando a atenção daqueles que dormem e o despertar pode custar caro.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

UMA IMPRECISÃO POR DIA

Parece que o presidente Jair Bolsonaro não examina bem suas indicações. Semelhante ao problema com o sr. Carlos Decotelli, indicado como ministro da Educação, o indicado ao STF, o juiz Kassio Marques, também tem “inconsistências” no seu CV. Em primeiro lugar, ele não tem CV na plataforma Lattes do CNPq. Qualquer aluno de graduação precisa ter CV na Lattes. A maioria dos médicos, advogados, etc., fazendo pós-graduação ou não, tem CV Lattes. Consta que fez um curso de pós-graduação que não existe na Universidade da La Coruña, Espanha. Declarou ter participado num curso de pós-doutorado oferecido pela Universidade de Messina, Itália, antes mesmo de ter doutoramento (?). Espera-se de um juiz tomar muito cuidado com as informações que oferece, ainda mais quando se trata do STF. O que o nosso “benevolente” Senado Federal vai achar disso?

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

E DEPOIS?

Gostaria de perguntar: os senadores irão sabatinar o candidato Kassio Marques sobre importantes assuntos que dizem respeito a vários assuntos de costumes, de corrupção, de prisão após condenação em 2.ª instância, etc. E se ele “mentir” para ser aprovado e, depois de sentado na cadeira do STF, fizer tudo ao contrário da sabatina no Senado? O que vocês, que o “aprovaram”, podem fazer? Os eleitores e pagantes de impostos querem saber!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

IMPEDIMENTO

Deveria, o quanto antes, o desembargador Kassio Nunes Marques declarar-se impedido para o cargo ao qual foi indicado pelo presidente (!) da República Jair Messias Bolsonaro, ou seja, para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Não bastasse o desmanche de tantas instituições de governo, agora o presidente indica espertamente amigo seu e de sua família, um desembargador cujo currículo acadêmico encontrasse sob suspeição no que se refere ao quesito pós-graduação – leia-se universidade nega existir pós que Nunes afirma ter feito (Estado, 7/10, A4). Cabe aos senadores aplicarem sabatina rigorosa ao indicado, verificar minuciosamente a comprovação do que foi declarado no currículo dele, pois, sem isso, não haverá como confirmar sua ilibada reputação. Quanto ao notório saber, fico, como cidadão brasileiro, com um pé atrás. Até quando o povo brasileiro continuará sendo alvo das agressões de um presidente tremendamente despreparado para a vida política democrática? Por seu envolvimento com o presidente e sua família, e se houve fraude no currículo dele, poderá o STF recusá-lo, caso o Senado o aprove?

Herbert Silvio Augusto Pinho Halbsgut h.halbsgut@hotmail.com

Rio Claro

*

CELEUMA

A indicação do desembargador Kassio Nunes Marques para o STF obedece ao artigo 101 da Constituição federal. Compete ao Senado Federal verificar sua ilibada reputação e seu notável saber jurídico.  Outras indicações, como a do compadre de dona Marisa Leticia ou a do advogado da CUT, passaram sem causar polêmicas. Por que agora seria diferente?

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

SUCESSÃO NO STF

Inicio com uma estrofe do samba do saudoso Noel Rosa: “Quando eu morrer, não quero choro nem vela, somente uma fita amarela gravada com nome dela”. Temos uma última Constituição cidadã proclamada em 1988. A norte-americana, na qual nos baseamos, existe já há 233 anos. Com a indicação do desembargador Kassio Nunes Marques para o STF, presenciamos as frequentes críticas a este ato. Mas o presidente exerce seu direito constitucional de fazê-lo. Como alertou o Estadão em seu editorial Amigos do peito, mesmo gozando dessa prerrogativa, deveria fazê-lo, porém sem outros propósitos além do cultivo de uma amizade sincera. Nada pessoalmente contra sua indicação e conhecimento. Em sua coluna domingo Do ruim ao péssimo, J. R. Guzzo faz colocações muito bem embasadas analisando tal escolha. Dentre seus argumentos, destaco que sua permanência no Supremo será de 27 anos (meus bisnetos), não é a favor da condenação em segunda instância e outras. O editorial reforça que seu julgamento sabatinado esbarrará em políticos e em seus partidos, que enfrentam muitos processos por corrupção e, portanto, estão interessados na camaradagem. Entre essas manifestações contrárias, pasmem (Indicação agrava crise na base de Bolsonaro, Estadão, 6/10, A9, se encontram até seus apoiadores, conforme cita a reportagem. Em conclusão, o processo de avaliação para uma nomeação ao STF vai muito além do notório saber jurídico e da reputação ilibada. Ambos carregam um altíssimo grau de subjetividade, e esta sabatina, sem comentários, zero de reprovação na história. Portanto, volto a Noel Rosa, “nem choro nem vela...” vão adiantar tais comentários, porém podem e devem servir de alertas para uma mudança de critérios para futuras vacâncias no STF em nossa Constituição.

Claudio Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

*

QUE LEGADO!

Imagens do supremo semideus Gilmar Mendes adulando com lágrimas o retirante decano Celso de Mello, que também se debulhou em emoções, na despedida da Segunda Turma, me deixaram deveras emocionado, mas de alegrias e, desde já, nada saudoso com a partida do ministro. Lembraram-me as lágrimas vertidas nos teatrinhos mambembes de minha doce infância. Aguardemos o chororô e as pompas que advirão na última sessão plenária, dignas de um folhetim de Carlos Zéfiro. Sei não, hein! Em nome da Justiça que se renova, em contraponto às litúrgicas emoções burocráticas, que se findarão na primeira esquina, às purpurinas, confetes, lenços, placas, comendas, jantares regados com renomados vinhos premiados, lagostas, camarões e afins, o alegre silêncio e a voluntária indiferença do povo são a melhor resposta ao juiz “pijamão”, tecnicamente bem-definido por outra expressão pelo seu ex-chefe Saulo Ramos, ministro da Justiça, no governo Sarney. Que legado!

Celso David de Oliveira david.celso@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DISCURSO DE DESPEDIDA

Ganha uma rifa para um tour nas bucólicas favelas cariocas quem acertar, ou chegar perto de, quantas horas será o discurso de despedida no STF do prolixo ministro Celso de Mello.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

NEM TOSTÃO NEM BILHÃO

Por tentativa de furto de dois sabonetes, no valor total de R$ 25,00, um homem ficou preso por meses no Distrito Federal, só sendo libertado quando o caso foi apreciado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Já no caso das corrupções bilionárias dos de colarinho branco, mesmo se condenados em duas instâncias de Justiça, a liberdade dos senhores criminosos fica liminarmente a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF), que, aliás, não se dá a esses erros primários de prender os que são considerados inocentes até quase o fim dos tempos, pois no STF os desvios nem de tostão nem de bilhão prendem quem quer que seja.

Marcelo G. Jorge Feres marcelo.gomes.jorge.feres@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ELEIÇÃO EM SÃO PAULO

De duas, uma: ou Jair Bolsonaro poderá atrapalhar a candidatura de Celso Rossomanno à Prefeitura paulistana porque sua popularidade em São Paulo não é das melhores, ou Russomanno poderá atrapalhar a reeleição de Bolsonaro com a perspectiva da péssima gestão que poderá fazer na Prefeitura.

Ademir Valezi adevale@uol.com.br

São Paulo

Fórum dos Leitores .
Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloPecado mortal

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 5
Isto é interessante!