Brasil Exportações à China alavancam economia brasileira

16:31  16 outubro  2020
16:31  16 outubro  2020 Fonte:   clarin.com

Guia do Cartola: Listamos cinco opções por posição para a rodada 16 do Brasileirão

  Guia do Cartola: Listamos cinco opções por posição para a rodada 16 do Brasileirão Guia do Cartola: Listamos cinco opções por posição para a rodada 16 do Brasileirão

A taxa de juros mais importante do Brasil, a Selic, caiu para 2,25% em julho deste ano, seu menor nível histórico, e o real se estabilizou em R$ 5,3 por dólar, após atingir R$ 5,8 em junho. Ao mesmo tempo, o aumento do consumo de energia elétrica e o aumento da produção de bens de produção e de capital a partir de julho indicam que a contração deste ano cairia pela metade, de 9% para 4,7%.

  Exportações à China alavancam economia brasileira © Fornecido por Clarín

Como resultado, a economia brasileira, de US$ 1,8 trilhão, cresceu 6,8% no terceiro trimestre deste ano, com um PIB industrial que se expandiu 9,9% em relação ao do trimestre anterior.

CNI registra alta de 9% na emissão de certificados para exportações no ano

  CNI registra alta de 9% na emissão de certificados para exportações no ano Empresas estão de olho no exterior. Rede CIN auxilia na digitalização. Dados de janeiro a setembro de 2020O que impulsionou a alta das certificações em meio à pandemia foi o lançamento da nova plataforma, em maio, e a ampliação do uso do documento digital em mercados relevantes como o Paraguai, por meio do COD (Certificado de Origem Digital), que permite benefícios como a isenção completa das tarifas alfandegárias aos produtos transacionados entre países que têm acordo comercial.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recebeu US$ 3,6 bilhões nos primeiros seis meses do ano, 15,1% a mais do que no mesmo período do ano passado. E o número atual de investidores, 3 milhões, dobrou os 1,6 milhão do ano passado.

Mirá también: Argentina: por que brecha entre dólar oficial e paralelo já passa de 100%

O ciclo de investimentos da Bovespa responde exclusivamente à dinâmica doméstica, pois o capital estrangeiro se distanciou desde o início da pandemia, em março deste ano.

O impulso do investimento doméstico responde ao fato de que, nos últimos dois anos, após a aprovação da reforma da previdência em 22 de outubro de 2019, a economia brasileira encontrou pela primeira vez em 50 anos um caminho virtuoso de sustentabilidade fiscal. E, assim, possibilitou uma estratégia de desenvolvimento sustentável de longo prazo. O que aconteceu neste período é uma novidade histórica de enorme envergadura.

China aprova lei sobre exportações para proteger segurança nacional

  China aprova lei sobre exportações para proteger segurança nacional A China aprovou uma lei que limita as exportações sensíveis para proteger sua segurança nacional, mais um dispositivo que se somará às medidas que poderá usar contra os Estados Unidos no contexto de tensão crescente entre as duas potências. Aprovada pelo Parlamento chinês no sábado (17), a lei está prevista para entrar em vigor em 1º de dezembro. Com ela, Pequim poderá "tomar medidas recíprocas" contra países que descumprirem os controles de exportação - o que supõe uma ameaça à segurança nacional.Os dados técnicos dos produtos mencionados na lei também estarão sujeitos a controles de exportação.

A reforma da previdência elevou a idade de aposentadoria dos homens para 65 anos e a das mulheres para 62, representando uma economia de US$ 196 bilhões em 10 anos para o Estado.

O ciclo de investimentos da Bovespa responde exclusivamente à dinâmica doméstica, pois o capital estrangeiro se distanciou desde o início da pandemia, em março deste ano. (Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP) © clarin.com O ciclo de investimentos da Bovespa responde exclusivamente à dinâmica doméstica, pois o capital estrangeiro se distanciou desde o início da pandemia, em março deste ano. (Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP)

Foi uma manifestação de poder político extraordinária do presidente Jair Bolsonaro, onde o dado estratégico central é a existência de uma maioria de centro-direita de dois terços no Congresso, liderada pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Essa maioria impôs a reforma, que era uma emenda constitucional, conquistando 60 votos a mais do que o número necessário para a aprovação e apenas 19 votos contra.

Mirá también: Argentina e México: mais um passo para criação da Agência Latino-Americana do Espaço

Argentina: cadê o plano econômico

  Argentina: cadê o plano econômico O ministro da Economia ganhou poder e o presidente do Banco Central da República Argentina (BCRA) perdeu poder. Mas o plano não aparece.Isso significa, em primeiro lugar, que o presidente do Banco Central foi deixado de fora do jogo e que Miguel Kulfas, ministro da Produção, Cecilia Todesca, vice-chefe de ministros, e Mercedes Marcó del Pont, da AFIP (Receita Federal) ficaram subordinados ao ministro da Economia.

O próximo passo, talvez ainda neste ano, é a reforma tributária. Com mais de 40 impostos na esfera federal, somando os três níveis - federal, estadual, municipal – o país tem mais de 3.000 impostos, muitos deles sobrepostos. O Brasil tem 27 unidades federativas (26 estados e o distrito federal) e mais de 5.000 municípios.

Uma empresa brasileira precisa de 2.000 horas por ano para preparar e pagar impostos, enquanto que nos EUA uma empresa precisa de 175 horas e de 105 na Grã-Bretanha.

A carga tributária do Brasil é de 34% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas esse não é o problema principal, porque o que a torna mais onerosa e distorciva é a sua extraordinária complexidade, realmente kafkiana.

Mirá también: Argentina: Pressão sobre Corte Suprema e rebelião do lobby cubano

A simplificação tributária é o principal instrumento para tornar realidade o enorme potencial da economia brasileira, a segunda do mundo emergente depois da China. Com um PIB semelhante ao da Índia, o Brasil tem a vantagem de ter 210 milhões habitantes, muito menos do que o país asiático, cuja população é de 1,4 bilhão de habitantes.

4 chaves do notável crescimento econômico da China após a queda na pandemia

  4 chaves do notável crescimento econômico da China após a queda na pandemia Dados recentes da economia chinesa mostram que gigante asiático lidera recuperação mundial após colapso da pandemia; 4 pilares foram fundamentais neste novo impulso econômico.O governo chinês registrou na segunda-feira (19/10) um crescimento de 4,9% entre julho e setembro em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Em agosto foram criados 249.338 empregos com carteira assinada - o melhor mês dos últimos 10 anos - com geração de empregos em todos os setores, inclusive na indústria.

A explicação-chave é a balança comercial, que registrou um superávit de US$ 6,164 trilhões em setembro, 62,1% ao ano, a maior alta da série histórica iniciada em 1984.

Mirá también: Economia argentina cairá quase 12% neste ano, diz FMI

Com isso, o saldo favorável nos primeiros seis meses do ano foi de US$ 42,445 trilhões, alta de 18,6% ao ano, que chegaria a US$ 55,6 trilhões no fim de 2020.

Isso significa US$ 210,7 bilhões em exportações, com destaque para as vendas para a China - principal parceiro comercial do Brasil desde 2009 -, que chegaram a US$ 22,5 bilhões nos primeiros oito meses do ano e chegariam a US$ 28 bilhões no fim de 2020.

O crescimento do Brasil é determinado pelo reaparecimento em larga escala da demanda chinesa, o que acarreta um aumento de mais de 30% das exportações agroalimentares brasileiras. E isso acontece em um momento em que o preço da tonelada da soja - o Brasil representa mais de 60% das compras chinesas dessa oleaginosa - ultrapassa US$ 400 no mercado de Chicago.

O superávit comercial brasileiro tem um caráter estrutural, cumulativo e ascendente, vinculado necessariamente ao aumento das exportações agroalimentares para a China.

Por isso o nível de reservas do Banco Central era de mais de US$ 380 trilhões em agosto de 2020, sendo esse o nível médio desde 2014.

Em 2020, a produção de grãos cresceria 4,8%, ultrapassando 260 milhões de toneladas, com uma rentabilidade 20% superior à de 2019.

Isso ocorre no contexto de uma economia mundial em expansão que cresceu mais de 30% no terceiro trimestre do ano e com as menores taxas de juros da história. Nessas condições, a Bovespa passa a ser o principal polo de atração de investimentos da América Latina, o que pode significar que o Brasil finalmente encontrou seu destino de grande potência.

Apetite da China por carne bovina veio para ficar, diz Marfrig .
As importações de carne bovina da China devem seguir crescendo em meio a um contínuo aumento de demanda, de acordo com a segunda maior produtora do mundo. Embora alguns observadores do mercado comecem a questionar se as importações de carne chinesas continuarão a aumentar com a rápida reposição de seu plantel de suínos, a Marfrig Global Foods diz que o efeito da peste suína africana sobre a demanda de carne bovina pela China deve permanecer até 2022. Depois disso, a demanda continuará crescendo com a mudança da população rural para as cidades.

usr: 2
Isto é interessante!