Brasil Sem apoio de líderes evangélicos, França e Tatto buscam apoio na base das igrejas

05:16  20 outubro  2020
05:16  20 outubro  2020 Fonte:   estadao.com.br

França prega voto útil da esquerda no 1° turno da eleição em São Paulo

  França prega voto útil da esquerda no 1° turno da eleição em São Paulo Candidato do PSB diz que está no campo da esquerda e se considera o nome com mais chance de vencer no 2° turno"Lá na frente todo mundo acaba se juntando pela circunstância no voto mais útil da esquerda. Os outros candidatos do campo da esquerda têm mais dificuldade de vencer no 2° turno. As pessoas vão naquele que tem mais chance", disse França aos jornalistas após participar de uma missa pela manhã no Santuário Nossa Senhora de Fátima, na Zona Oeste da cidade.

Entrevista com o missionário frances, Benoit Servas, feita em abril de 2016. Sou Glauber Destro, um jornalista e missionário evangélico na Europa.

Evangélicos Disputados: Bolsonaro quer Subsidiar conta de luz de Igrejas - Lula quer PT nas Igrejas Apoio ao Canal Banco Bradesco Conta Corrente Agência

Ignorados por líderes nacionais de igrejas evangélicas, os candidatos à Prefeitura de São Paulo Marcio França (PSB) e Jilmar Tatto (PT) adotaram a estratégia de dialogar diretamente com as bases em busca de uma fatia do eleitorado religioso da Capital. Segundo a pesquisa Ibope mais recente, França tem 9% das intenções de voto entre os evangélicos, enquanto Tatto tem 6%. O segmento escolhe, majoritariamente, Celso Russomanno (Republicanos), com 38%, e Bruno Covas (PSDB), com 17%.

Nesta segunda-feira, 19, França recebeu o apoio de 500 pastores de igrejas como Assembleia de Deus, Universal, Presbiteriana e Batista em ato pluripartidário realizado no Parque São Jorge, no Tatuapé, zona leste. Tatto assinou uma carta de compromisso com oe evangélicos em um ato na quadra do Sindicato dos Bancários. Os evangélicos representam cerca de 30% do eleitorado brasileiro.

Le Monde faz perfil de Malafaia, um “pastor em missão por Jair Bolsonaro”

  Le Monde faz perfil de Malafaia, um “pastor em missão por Jair Bolsonaro” O jornal francês Le Monde que chegou às bancas na tarde desta quarta-feira (14) trouxe um perfil de página inteira do pastor brasileiro Silas Malafaia. O correspondente do vespertino no Brasil se encontrou com o líder e conta como ele ajudou Jair Bolsonaro a conquistar a presidência. Intitulado “Silas Malafaia, o pastor brasileiro em missão por Bolsonaro”, o texto o apresenta como “um dos líderes evangélicos mais célebres do Brasil”. Segundo o correspondente, mesmo se Malafaia não é o mais poderoso do país – já que seu ministério possui apenas 35 mil membros – ele é, de longe, o mais midiático.

A Ignorância Da Igreja - (Conferência de Reforma e Avivamento) - Paulo Junior - Продолжительность: 1:28:21 Defesa do Diferenças entre a IURD e as Igrejas Evangélicas | Rev. Augustus Nicodemus - Продолжительность: 1:28:19 Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia 1 967 031 просмотр.

Notícias Gospel: O governo da Angola baniu a maioria das igrejas evangélicas brasileiras do país. Entenda o real motivo! Edição de imagem e narração: Ezequiel A . Cordeiro Música: Biblioteca de áudio do Youtube Imagens: Creative commons.

"Cada um deles têm duas, três, cinco, oito, dez igrejas… Não são os grandes. Os principais líderes nacionais e estaduais já têm seus candidatos a vereadores e têm vínculo com o governo do Bruno (Covas, atual prefeito)", afirmou, sobre sua aproximação com os líderes religiosos que lidam com o dia a dia de suas comunidades.

O candidato Márcio França (PSB) recebeu o apoio de 500 pastores nesta terça-feira © Fernanda Luz / Divulgação O candidato Márcio França (PSB) recebeu o apoio de 500 pastores nesta terça-feira

"No Brasil, 50% (dos evangélicos) são da Assembleia de Deus, que tem duas denominações gigantes aqui: Braz e Madureira. Os principais líderes me ajudaram bastante nas eleições anteriores, mas eles têm vereadores. Uma delas, a Marta (Costa, do PSD), é vice na chapa do (Andrea) Matarazzo", disse França, sobre os compromissos políticos dos grandes líderes da denominação. Marta é deputada estadual e filha do pastor José Wellington Bezerra da Costa, que foi presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil até 2017.

Quem é Orlando Silva? Conheça o candidato do PCdoB à Prefeitura de São Paulo

  Quem é Orlando Silva? Conheça o candidato do PCdoB à Prefeitura de São Paulo O deputado federal e ex-ministro do Esporte no governo Lula se junta a enfermeira em chapa pura para concorrer ao cargo de prefeito de SPDesde 1985, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) sempre apoiou outros partidos de esquerda em eleições municipais na capital paulista, principalmente o PT (Partido dos Trabalhadores). Para este ano, porém, a legenda rompeu a tradição e indicou o seu próprio candidato para a corrida à Prefeitura de São Paulo: o ex-ministro do Esporte e deputado federal Orlando Silva, de 49 anos.

Опубликовано: 6 янв. 2020 г. PT vai buscar apoio entre evangélicos . PT está de olho no eleitorado evangélico - Продолжительность: 4:52 Os Pingos nos Is 41 677 просмотров.

2 ª Parte - Nesta entrevista exclusiva com o pastor Ed René Kivitz, líder da Igreja Batista da Água Branca, nós falamos do Papa Francisco, Deus, Jesus

França afirma que a sua aproximação com essas lideranças religiosas da base ocorreu em função da agenda de recuperação de dependentes químicos. Ele relata um caso de família que ocorreu há 20 anos, em São Vicente. "Os pais da minha mulher faleceram, os irmãos dela foram morar conosco e um deles, que era adolescente, era super problemático. Ele acabou sendo internado numa casa de recuperação com vínculo a uma igreja evangélica e voltou nove meses depois, curado", relatou, referindo-se ao atual prefeito da cidade, Pedro Gouvêa (MDB).

"A recuperação fica mais fácil quando há, além do apoio médico e psicológico, o apoio religioso", argumentou. Ele afirma ser favorável a formação de convênios do poder público com essas instituições religiosas, semelhante ao que ocorre hoje, mas com mais apoio para que eles consigam lidar melhor com exigências burocráticas e prestação de contas.

Russomanno rejeita isolamento social para conter coronavírus: “Defendo o afastamento vertical”

  Russomanno rejeita isolamento social para conter coronavírus: “Defendo o afastamento vertical” Candidato do Republicanos à Prefeitura de São Paulo se alinha a Bolsonaro e diz que só grupos específicos devem se isolar: “Vamos cuidar dos idosos, de quem tem propensão por doenças crônicas” , disse. Veja a conversa na íntegra no vídeo acima. Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui Desde 1994, Russomanno foi eleito por seis vezes deputado federal, por PSDB, PPB (que virou PP), PRB e Republicanos. Tentou o Governo de São Paulo em 2010, mas foi derrotado no primeiro turno por Geraldo Alckmin, e está na terceira tentativa à Prefeitura da capital.

Esse vídeo não tem o ideal de falar mal do cristianismo, nem pouco fazer alguém mudar de religião, nem mesmo falar mal de todos os evangélicos . Mas esse

Na disputa pelo governo de São Paulo, o apoio de prefeitos tucanos ao candidato do PSB voltou a ser assunto das campanhas nesta terça-feira, 23.

Tatto assinou uma carta de compromisso articulada pelo Movimento de Evangélicos e Evangélicas em apoio à sua candidatura. O documento começa com um trecho da Bíblia que diz "pelos seus frutos os conhecereis" (Mateus 7:20). A ideia é mostrar que o legado do PT na cidade atende a diversos pontos da pauta evangélica.

O candidato Jilmar Tatto (PT) participou de caminhada na Casa Verde, zona norte, antes de se encontrar com lideranças religiosas © Filipe Araújo/Divulgação O candidato Jilmar Tatto (PT) participou de caminhada na Casa Verde, zona norte, antes de se encontrar com lideranças religiosas

Segundo a carta, realizações como o Bilhete Único, corredores de ônibus, renovação das frotas e o Programa Almoço e Janta e promessas de campanha como a tarifa zero, economia solidária e renda básica atendem aos valores cristãos como a valorização da família.

"Buscamos estabelecer um diálogo através de programas que têm a preocupação com a família como centro", disse o coordenador da campanha de Tatto, Laércio Ribeiro, presidente municipal do PT.

Segundo o ex-ministro Gilberto Carvalho, encarregado há décadas de fazer a ponte entre o PT e as igrejas, depois do apoio massivo dos evangélicos à eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, o PT busca dialogar diretamente com a base das igrejas.

Candidatos pelo País têm propostas de transferência de renda

  Candidatos pelo País têm propostas de transferência de renda Há promessas em ao menos nove capitais, vindas de 30 representantes de todos os lados do espectro político; economistas ouvidos pelo 'Estadão' levantam dúvidas sobre a eficácia desses programas em nível municipal . Além disso, dizem os analistas, a queda de arrecadação na maioria das prefeituras, agravada pela pandemia, coloca em xeque a viabilidade das promessas. © Wilton Júnior/Estadão Fila de pessoas para receber o auxílio emergencial do governo federal A covid-19 fez com que índices de renda e empregabilidade piorassem nos últimos meses.

Froid e Cynthia Luz estão com certeza entre as vozes mais marcantes que surgiram na cena musical atualmente. Com timbres bem pessoais os dois já possuem

clientes@eva- bus . com . Consulte aqui Consulte aqui ( a partir de 13/10/2020). 8 Albufeira - Praia da Falésia - Rocha Baixinha.

"O nosso foco é trabalhar com os fiéis e com uma parte dos pastores que têm posições mais progressistas e estão aumentando. Com os chefes das grandes denominações nós nem procuramos conversar. É uma perspectiva totalmente nova", disse Carvalho.

O Estadão mostrou que evangélicos contrários ao governo Bolsonaro têm criado plataformas para se candidatar nas eleições deste ano por vários partidos de esquerda e centro-esquerda e que a base dos fiéis é menos conservadora do que aparentam os discursos das lideranças nacionais.

Apesar do novo enfoque, o PT admite que não tem feito o dever de casa na relação com esta fatia importante do eleitorado. "O trabalho junto aos evangélicos no dia a dia não é como deveria ser mas em certa medida procuramos ter este contato cotidiano, sim", disse Ribeiro.

Milícias do Rio mantêm parceria com polícia, facções e igrejas pentecostais, aponta estudo .
Formada por pesquisadores de sete universidades do Estado, Rede Fluminense de Pesquisas sobre Violência, Segurança Pública e Direitos Humanos afirma que milícias agora tentam se infiltrar em prefeituras e Câmaras de vereadores , segundo estudo a ser apresentado nesta segunda-feira, 25, pela Rede Fluminense de Pesquisas sobre Violência, Segurança Pública e Direitos Humanos, organização composta por pesquisadores de sete universidades do Rio de Janeiro, entidades da sociedade civil, centros de pesquisa de entidades jurídicas e jornalistas.

usr: 10
Isto é interessante!