Brasil Laboratório brasileiro anuncia acordo para fabricar vacina russa contra covid

14:17  24 outubro  2020
14:17  24 outubro  2020 Fonte:   poder360.com.br

Anvisa alerta sobre falsa vacina de Oxford contra a Covid vendida no Rio de Janeiro

  Anvisa alerta sobre falsa vacina de Oxford contra a Covid vendida no Rio de Janeiro A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que recebeu uma denúncia de venda de uma falsa vacina contra a Covid-19 em Niterói, no Rio de Janeiro. De acordo com a reguladora, uma empresa está vendendo o imunizante falsificado e dizendo que se trata da vacina em desenvolvimento pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca. […]“A Anvisa recebeu a denúncia sobre a suposta comercialização irregular da vacina contra a Covid-19 por meio de seus canais oficiais, indicando que estaria sendo disponibilizada por uma empresa localizada em Niterói/RJ a vacina de Oxford contra a Covid-19.

O laboratório ainda precisa obter aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a produção. O acordo assinado pela União Química é o segundo para produção da vacina russa no Brasil, onde outras quatro vacinas contra a Covid -19 já estão sendo testadas.

A Rússia é o primeiro país do mundo a registrar e aprovar para uso da população uma vacina Além da vacina russa, duas outras receberam apoio direto de autoridades brasileiras e já contam com Covid -19 em todos os estados. Roraima, o último estado que ainda não registrava casos do novo

A Sputnik V, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Rússia, está na fase 3 de testes © Divulgação/SputinikV A Sputnik V, vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Rússia, está na fase 3 de testes

A farmacêutica brasileira União Química anunciou nessa 6ª feira (23.out.2020) que fechou acordo para produzir a Sputnik V, vacina russa contra a covid-19. De acordo com a empresa, a produção deve começar na 2ª quinzena de novembro. O laboratório ainda precisa de aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A farmacêutica disse que assinou acordo de confidencialidade com o RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto). Por isso, não pode dar detalhes técnicos da parceria.

Nós temos o contrato para sermos o produtor para o Brasil e para toda a América Latina”, disse Fernando Castro Marques, presidente da União Química ao Jornal Nacional, da TV Globo. “É evidente que, para isso acontecer, vai depender da Anvisa autorizar e validar todo o processo e conceder o registro da vacina.”

Autoridades criticam Bolsonaro por veto à compra da vacina chinesa

  Autoridades criticam Bolsonaro por veto à compra da vacina chinesa Acordo previa 46 milhões de doses. Vacina é desenvolvida pela SinovacA reportagem do Poder360 apurou que Bolsonaro enviou mensagens a ministros com o seguinte teor: “Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid-19“. O presidente e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), são desafetos políticos.

Segundo o diretor-geral do RDIF, o laboratório brasileiro União Química Farmacêutica Nacional tem interesse em produzir o imunizante e o processo de transferência de tecnologia da candidata à vacina já teria sido iniciado. No Planalto, cientista diz que cloroquina não é eficaz contra a Covid -19.

Um acordo com a Universidade de Oxford e um laboratório inglês vai permitir que o Brasil produza uma vacina contra a Covid -19. Ela está em fase final de

Em entrevista à CNN Brasil, a farmacêutica afirmou que já recebeu parte dos insumos para produção do imunizante. De acordo com diretor de negócios internacionais da União Química, Rogério Rosso, o material faz parte de 1 lote piloto, que será usado para pesquisa e desenvolvimento.

Após isso, teremos os moldes de vetor, estudos clínicos e vamos pedir os registros necessários”, explicou Natasha Kuniechick, coordenadora biotecnologia Grupo União Química.

A Sputnik V está sendo desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa Gamaleya, de Moscou. Aprovada na Rússia em 11 de agosto, se tornou a 1ª vacina a ter o aval para ser produzida e aplicada em massa. Na época, a atitude do governo de Vladimir Putin foi criticada por cientistas pela falta de estudos publicados sobre os testes.

Como disputa entre Bolsonaro e Doria pode atrasar imunização dos brasileiros contra covid-19

  Como disputa entre Bolsonaro e Doria pode atrasar imunização dos brasileiros contra covid-19 Disputa com governador põe em risco verba de R$ 80 milhões para fábrica de vacinas do Instituto Butantan. Ideal seria investir no maior número possível de vacinas, dizem especialistas.Com apenas 67 caracteres, o presidente dinamitou um acordo de cerca de R$ 2 bilhões de reais. O Ministério da Saúde planejava a aquisição de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em conjunto com o Instituto Butantan, uma instituição pública do governo de São Paulo. O acordo tinha sido anunciado na tarde desta terça (20), pelo ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello.

Rússia registra 1ª vacina contra a Covid -19: 5 pontos para entender. No Brasil, três vacinas contra o novo coronavírus que estão em estágios mais avançados de pesquisa são testadas. Duas são de laboratórios chineses e a terceira é da Universidade de Oxford.

O Ministério da Saúde anunciou neste sábado (27/06) que fechou um acordo com a Universidade Covid -19 em todos os estados. Roraima, o último estado que ainda não registrava casos do novo Com isso, todos os estados brasileiros e o Distrito Federal já têm casos de covid -19 confirmados.

Em 4 de setembro, a revista científica The Lancet divulgou estudo (íntegra – 661 KB) que aponta que a vacina da Rússia não teve efeitos adversos e induziu resposta imune ao novo coronavírus. O estudo apresenta resultados referentes às fases 1 e 2 de testes da Sputnik V. A fase 3 da vacina ainda está em andamento.

A Rússia fechou acordo com o governo do Paraná para testar e produzir a vacina no Brasil. O governo da Bahia também firmou parceria para a realização da fase 3 de testes do imunizante.

O Brasil realiza testes de outras 4 vacinas contra a covid-19:

  • Universidade de Oxford/AstraZeneca;
  • Sinovac Biotech;
  • Pfizer/BioNTech;
  • Johnson & Johnson.

29% querem vacina dos EUA; só 9% dizem preferir imunizante da China .
20% preferem vacina da Europa. Só 3% tomariam uma da Rússia. Bolsonaristas optam pela dos EUA. Leia o levantamento PoderDataO percentual dos que optam por vacinas desenvolvidas por farmacêuticas da China ou Rússia é menor, 9% e 3%, respectivamente.

usr: 3
Isto é interessante!