Brasil Com Usina do Galo, Atlético-MG se torna autossustentável com energia limpa e renovável

16:01  29 outubro  2020
16:01  29 outubro  2020 Fonte:   msn.com

Alvo de polêmicas por 5G, Huawei avança em energia solar no Brasil e mira baterias

  Alvo de polêmicas por 5G, Huawei avança em energia solar no Brasil e mira baterias Alvo de polêmicas por 5G, Huawei avança em energia solar no Brasil e mira bateriasSÃO PAULO (Reuters) - Mais famosa por equipamentos de telecomunicações e pelas recentes controvérsias globais sobre o uso ou não de sua tecnologia 5G, a gigante chinesa Huawei avançou rapidamente no cobiçado setor de energia solar do Brasil, onde lidera no fornecimento de inversores solares, equipamento que recebe a energia dos painéis.

Ao mesmo tempo em que reforçava o elenco nos últimos meses para voltar a ser referência de bom futebol no Brasil, o Atlético Mineiro agiu fora dos gramados para alcançar algo inédito na gestão da modalidade. O clube se tornou o primeiro do País a ser autossustentável em energia, produzindo o que consome nas suas quatro estruturas, sendo ela toda limpa e renovável. O time de Minas mostra-se antenado com as novas tendências.

Isso é possível graças a um acordo com a Solatio Energia Livre. A empresa é patrocinadora do Atlético-MG desde 2017, mas em abril deste ano, em meio à pandemia do coronavírus, essa relação se ampliou. Através de um acordo comercial, agora são parceiros para a geração de energia fotovoltaica, aquela que vem do sol, armazenadas em gigantescas placas.

Os ventos sopram, mas o governo não facilita

  Os ventos sopram, mas o governo não facilita Brasil pode receber investimentos na ordem dos R$ 200 bilhões na próxima década caso abra o mercado para o setor de energia eólica e solar, mas se perde em leis confusas e prioridades questionáveis.Para isso, no entanto, seria urgente que as regulamentações do mercado fossem revistas, aproveitando, inclusive, a desvalorização do real e oferecendo incentivos para desenvolvimento de pesquisas. O petróleo continua sendo nosso, mas o sol e o vento também são.Segundo David L. Kynaston, pesquisador responsável pelo estudo e professor da Universidade Oxford, a questão da energia renovável deixou, há alguns anos, de ser um discurso ambiental e virou essencial para a manutenção do capitalismo.

Usina de energia solar da Solatio, empresa que patrocina o Atlético-MG © Divulgação Usina de energia solar da Solatio, empresa que patrocina o Atlético-MG

A produção é utilizada para abastecer a Cidade do Galo, o centro de treinamentos do clube, a sede administrativa no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte, além dos seus espaços sociais, o Labareda e a Vila Olímpica. Para alimentar essas estruturas, a Solatio montou, na cidade de Verdelândia, no norte de Minas Gerais, a Usina do Galo, onde é gerada a energia fotovoltaica.

Popularmente conhecida como energia solar, ela é obtida a partida da conversão da luz em eletricidade, sendo 100% limpa e renovável. A usina possui área de 3 hectares, tendo em sua estrutura 2.700 módulos, capazes de gerar uma potência de 750 kWats, sendo que a sua produção média mensal é de 200 megawatts. Ou seja, tem energia de sobra.

Alan Franco diz que rivais só jogam 'retrancados' contra o Atlético-MG

  Alan Franco diz que rivais só jogam 'retrancados' contra o Atlético-MG O meia equatoriano também comentou que o time está melhorando e faltam detalhes para o retorno de uma performance melhor dentro de campoA equipe mineira não terá o atacante Keno, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Com isso, os trabalhos na Cidade do Galo focarão em achar um substituto para o artilheiro do time no campeonato, com oito gols. Savinho Marrony, Zaracho e Marquinhos aparecem como principais candidatos à vaga de Keno.

O acordo está inserido em um modelo de geração distribuída, que envolve a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A energia produzida na Usina do Galo é jogada na rede da distribuidora, que a contabiliza e cobra pelo serviço. A quantidade, então, é abatida do consumo do Atlético-MG em Belo Horizonte, a cerca de 500 quilômetros de Verdelândia. O saldo é positivo para o clube, já que o consumo médio, no somatório das suas quatro estruturas, é de 180 megawatts por mês.

"A gente produz a energia nesta planta e joga na rede da distribuidora, que é a Cemig. O Atlético consome através de uma contabilização na conta mensal. Quando ele recebe a conta, tem um consumo positivo. Mas como ele é proprietário da usina, por um contrato de locação, ele tem um negativo pela geração da usina. A rigor, o Atlético é totalmente sustentável, através da fonte solar da usina no norte de Minas", explica João Victor Santos, sócio da CMU e diretor da Solatio.

Com Usina do Galo, Atlético-MG se torna autossustentável com energia limpa e renovável

  Com Usina do Galo, Atlético-MG se torna autossustentável com energia limpa e renovável Clube usa energia solar em parceria com patrocinador em Verdelândia, cidade no norte de Minas Gerais, tem redução de R$ 2 milhões nas contas e encaminha parceria por 20 anosAo mesmo tempo em que reforçava o elenco nos últimos meses para voltar a ser referência de bom futebol no Brasil, o Atlético Mineiro agiu fora dos gramados para alcançar algo inédito na gestão da modalidade. O clube se tornou o primeiro do País a ser autossustentável em energia, produzindo o que consome nas suas quatro estruturas, sendo ela toda limpa e renovável. O time de Minas mostra-se antenado com as novas tendências.

A escolha da cidade no norte de Minas Gerais tem uma razão. A região possui elevado índice solarimétrico, que mede o potencial de insolação em um espaço, algo fundamental para a produção de energia do projeto.

Além disso, a legislação permite que se produza a própria energia. Nesse sentido, a de Minas Gerais é uma das mais avançadas, pois não há incidência do ICMS para o tipo de estrutura produtora de energia utilizada pelo Atlético-MG, algo que foi aproveitado pelo clube e pela Solatio para viabilizar a parceria. "A operação de compensação tem alguns critérios tributários que impactam. A legislação de Minas fala que para empreendimentos com até 5 megawatts de potência instalada, você não paga o ICMS no consumo da energia", explica o diretor da Solatio, empresa que possui acordos parecidos em Minas Gerais com o Bradesco e a rede varejista Supermercados BH, patrocinadora do Cruzeiro.

No caso do Atlético-MG, pelo acordo inicial, a empresa recebe, como contrapartida do clube, a exibição da sua marca dentro do número do uniforme da equipe principal. A estimativa é que o time tenha uma economia de R$ 2 milhões nos 18 primeiros meses do contrato. Posteriormente a esse período, nos 20 anos seguintes, a equipe terá desconto de 10% em sua conta de energia.

"O Atlético passa por um processo de mudança de gestão, com consultoria, com SAP, e uma parte muito discutida é a questão da sustentabilidade. De cuidarmos para ter um planeta melhor para as futuras gerações. Mas também gerando economia para o clube, sendo algo sustentável", afirmou Leandro Figueiredo, diretor de negócios do Atlético-MG, destacando como o acordo traz benefícios financeiros ao clube, além da sua importância para a sustentabilidade.

A iniciativa também mostra que é possível no futebol avançar em sua admnistração sem perder o foco do seu bem maior, que é o time de futebol. Sob o comando de Jorge Sampaoli, o Atlético-MG é um dos líderes do Campeonato Brasileiro, candidato a brigar pelo título com Flamengo e Internacional.

Com comida estragando e usando água da chuva, moradores do Amapá relatam desespero: 'Estamos abandonados' .
Uma explosão seguida de incêndio atingiu transformador de subestação de Macapá, segundo o Ministério de Minas e Energia. Incidente de causa ainda desconhecida deixou 85% da população do Estado sem energia."Estamos abandonados e desesperados. Não tem como esperar 10 ou 15 dias para essa situação se resolver", diz Luccas Cavalcante, de 20 anos, estudante de Direito.

usr: 0
Isto é interessante!