Brasil Violência contra mulher aumenta 64% em São Paulo

21:00  29 outubro  2020
21:00  29 outubro  2020 Fonte:   istoedinheiro.com.br

Piñera pede que chilenos votem em plebiscito e condenem a violência nos protestos

  Piñera pede que chilenos votem em plebiscito e condenem a violência nos protestos O presidente do Chile, Sebastián Piñera, pediu nesta segunda-feira (19) que os chilenos votem em massa no plebiscito constitucional do próximo domingo e que condenem a violência que marcou a grande manifestação convocada na véspera para comemorar o aniversário do início dos protestos de 2019. O presidente explicou que durante o domingo aconteceram mais de 107 eventos violentos em todo o Chile, que levaram à prisão de 643 pessoas e deixaram 118 policiais feridos. "Esta ação criminosa deve ser condenada por todos nós que acreditamos na democracia e queremos viver em paz.

Os casos de violência doméstica aumentaram 64% nos últimos três anos na capital paulista. As informações são do Mapa da Desigualdade, realizado pela Rede Nossa São Paulo, e divulgado nesta quinta-feira (29). O número de mulheres vítimas de violência doméstica passou de 50 mil, em 2016, para 83 mil em 2019.

A pesquisa também relevou em quais distritos da cidade há maior incidência de casos registrados. As regiões da Sé, Barra Funda, Brás e Pari são as que possuem maior coeficiente de mulheres vítimas de violência na cidade. Nesses distritos, as agressões – física, psicológica, ameaças, violência sexual e patrimonial – ocorrem 7,6 vezes mais do em Marsilac, Vila Andrade, Alto de Pinheiros e Perdizes.

Só 7% das cidades têm delegacias especializadas para mulheres vítimas de violência, diz estudo

  Só 7% das cidades têm delegacias especializadas para mulheres vítimas de violência, diz estudo Minoria das unidades fica aberta 24 horas por dia e aos finais de semana; pior cenário está na Região NorteSÃO PAULO - Só 7% das cidades do Brasil contam com delegacias especializadas no atendimento às mulheres vítimas de violência, segundo levantamento do Instituto AzMina. O estudo também aponta que três a cada 20 delegacias da mulher (DDMs), ou 15%, ficam abertas 24 horas por dia e funcionam aos sábados e domingos.

+ Fux abre fórum de combate à violência contra a mulher

+ Crime de violência contra a mulher aumentou 10% na quarentena

Segundo dados obtidos pelo R7, a partir da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), 63% dos casos de violência contra a mulher ocorrem dentro da residência e 37%, em espaços públicos, sejam terminais de transporte, rodovias, comércios e restaurantes.

BA: Policial dá tapas no rosto de uma mulher em discussão na rua .
Uma mulher foi agredida com tapas no rosto por um policial militar durante uma discussão na rua, na Bahia, e um vídeo registrou o momentoA vítima, Stephanie da Cruz Santos, de 19 anos, contou que tudo aconteceu após uma discussão com uma mulher. Ela disse que pegou uma pá para se defender quando a irmã da jovem chamou a polícia.

usr: 1
Isto é interessante!