Brasil Saiba quem era João Beto, homem espancado até a morte no supermercado Carrefour

00:55  21 novembro  2020
00:55  21 novembro  2020 Fonte:   poder360.com.br

Autoridades manifestam repúdio por morte de homem espancado no Carrefour

  Autoridades manifestam repúdio por morte de homem espancado no Carrefour Internautas pedem boicote à rede. Espancamento ocorreu em POA. Seguranças presos em flagranteJoão Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido em uma unidade do supermercado Carrefour na capital gaúcha na véspera do Dia da Consciência Negra, celebrado nesta 6ª feira (20.nov.2020).

Em nota, Carrefour chamou ato de criminoso e anunciou o rompimento do contrato com empresa que 'responde pelos seguranças que cometeram a agressão'. João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido em uma unidade do supermercado Carrefour .

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi agredido em uma unidade do supermercado Carrefour . A rede de supermercados , que atribuiu a agressão a seguranças, também chamou o ato de criminoso e anunciou o rompimento do contrato com a empresa que responde pelos agressores.

João Beto foi vítima de 1 espancamento de 2 homens brancos na noite de 5ª feira (19.nov.2020) no supermercado Carrefour de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul © Arquivo pessoal João Beto foi vítima de 1 espancamento de 2 homens brancos na noite de 5ª feira (19.nov.2020) no supermercado Carrefour de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul

João Alberto Silveira Freitas, homem negro espancado e morto nesta 5ª feira (19.nov.2020) por 2 seguranças brancos em unidade do Carrefour em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, tinha 40 anos e deixa a sua mulher Milena Borges Alves, 43 anos, cuidadora de idosos.

João Beto, como era conhecido entre os amigos, morava com a sua mulher em uma comunidade na Vila Farrapos, zona norte de Porto Alegre, onde era bastante querido pelos vizinhos. Ele ganhava a vida com bicos, em pequenos trabalhos feitos como pintor e pedreiro.

'Dois seguranças batendo num homem negro com covardia. Não tem justificativa', diz amigo de homem morto no Carrefour

  'Dois seguranças batendo num homem negro com covardia. Não tem justificativa', diz amigo de homem morto no Carrefour João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto por dois seguranças em uma unidade do supermercado em Porto Alegre na quinta (19/11). Em nota, o Carrefour diz lamentar o caso e que tomará medidas para responsabilizar os envolvidos.João Alberto, conhecido pelos amigos como Beto e Nego Beto, um homem negro, foi morto por seguranças após ser surrado e imobilizado no supermercado na zona norte de Porto Alegre. A morte aconteceu às vésperas do Dia da Consciência Negra, celebrada nesta sexta, 20 de novembro, data atribuída à morte de Zumbi dos Palmares, em 1695.

Depois que um homem negro foi espancado e morto em um supermercado Carrefour em Porto Alegre, muitos Um homem negro de 40 anos, João Alberto Silveira Freitas, morreu após ser agredido por um segurança e por um PM temporário, fora de serviço, no supermercado Carrefour

João Alberto Silveira Freitas foi espancado por dois seguranças brancos até a morte . Pesado uma pessoa ser espancada até a morte . O fato de o presidente ter enviado esta mensagem pelo WhatsApp foi encarada por quem a recebeu como uma forma de Bolsonaro tentar impedir o avanço

Em entrevista concedida ao Metrópoles, Flávio Chaves, amigo da vítima, afirmou que João Beto “nunca fez mal para ninguém, nunca roubou ninguém. Era 1 cara bonachão, cara legal”.

“Ele era preto, pobre e morador de favela, mas era 1 homem que a comunidade amava. Andava sempre tomando uma cervejinha à noite, às vezes com a ‘patroa’ dele. Era 1 homem respeitoso, e a comunidade gostava dele por isso. Abraçava todo mundo com alegria e entusiasmo”, prosseguiu.

Segundo amigos, João Beto gostava de fazer churrasco e tomar cerveja nos dias de jogo do time do coração, o São José, time de futebol que atualmente disputa a 3ª divisão do campeonato Brasileiro.

O grupo Os Farrapos, torcida organizada do time, publicou uma nota em homenagem ao torcedor.

A torcida organizada do São José, batizada de Os Farrapos, publicou uma nota pedindo justiça à vítima. “Há relatos que os seguranças bateram a cabeça dele no chão por diversas vezes e Beto clamava por socorro e pedia para respirar”, escreveram.

Leia a repercussão da morte de Beto na imprensa internacional

  Leia a repercussão da morte de Beto na imprensa internacional Espancado por 2 homens dentro de loja. Mídia destaca indignação de brasileirosBeto, como era conhecido pelos amigos, foi espancado e morto por 2 homens brancos em Porto Alegre, em uma unidade do supermercado Carrefour, na noite dessa 5ª feira (19.nov.2020). Os 2 foram presos em flagrante. Um deles é policial militar e o outro, segurança da loja.

egundo a Brigada Militar, a confusão teria iniciado no caixa do supermercado , envolvendo o homem e uma funcionária. A vítima teria ameaçado agredir a mulher, que chamou os seguranças.

Um homem negro identificado por testemunhas como João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte após uma briga na porta do supermercado Carrefour , no bairro Passo Na prova do fazendeiro realizada nesta quarta-feira, em "A Fazenda", quem levou a melhor foi Jojo .

  Saiba quem era João Beto, homem espancado até a morte no supermercado Carrefour © Fornecido por Poder360

Abílio Diniz fala que o assassinato de João Alberto no Carrefour foi uma 'enorme brutalidade' .
Empresário é acionista e membro dos Conselhos de Administração do Carrefour Global e do Carrefour Brasil , comentou a morte de João Alberto Silveira Freitas no fim da noite desta sexta-feira, 20. Em uma série de postagens em sua conta no Twitter, ele classificou o fato como "uma tragédia e uma enorme brutalidade". O homem negro de 40 anos foi espancado e morto por dois seguranças em uma unidade do supermercado Carrefour em Porto Alegre na noite de quinta-feira. Sua morte, às vésperas do Dia da Consciência Negra, desencadeou uma série de protestos contra o racismo em várias cidades brasileiras.

usr: 19
Isto é interessante!