Brasil Comerciantes protestam contra decreto de Kalil que voltou a fechar BH

16:36  11 janeiro  2021
16:36  11 janeiro  2021 Fonte:   em.com.br

Kalil assume segundo mandato pressionado por chuvas e com desafio de reaquecer comércio

  Kalil assume segundo mandato pressionado por chuvas e com desafio de reaquecer comércio Prefeito de Belo Horizonte terá que retomar obras anti-enchente; ele é cotado para disputar o governo do Estado daqui dois anosBELO HORIZONTE - O prefeito reeleito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), assumiu o cargo neste sábado, 1º, para mais quatro anos de governo com dois desafios e uma decisão política a tomar antes mesmo do fim da primeira metade do mandato que se inicia. Os desafios são a adoção de medidas para reaquecer o comércio da cidade, afetado pela pandemia da covid-19, e a realização de obras para evitar mais mortes e nova destruição do município pelas chuvas, como ocorreu em janeiro de 2020.

Comerciantes protestaram esta manhã porque o comércio da capital foi mantido fechado após as novas medidas anunciadas com a suspensão do lockdown no Pará.

Mesmo com a suspensão do aumento das passagens de ônibus de Belo Horizonte, integrantes do movimento Tarifa Zero BH fazem um protesto na noite dessa segunda

Manifestantes de diversos setores comerciais se reúnem na manhã desta segunda-feira (11/01) na porta da Prefeitura de Belo Horizonte, na Região Central da cidade. Eles são contrários à decisão do Executivo de somente permitir o funcionamento de serviços e estabelecimentos considerados essenciais, como supermercados, farmácias, postos de gasolina, padarias e sacolões.

Manifestantes se reúnem na porta da Prefeitura de Belo Horizonte para protestar contra o fechamento do comércio na capital © Jair Amaral/EM/D.A Press Manifestantes se reúnem na porta da Prefeitura de Belo Horizonte para protestar contra o fechamento do comércio na capital

Milhares de pessoas participam do ato, várias com camisas e bandeiras do Brasil e nariz de palhaço. Vereadores de Belo Horizonte também integram o protesto contra a decisão de Kalil. Também há um buzinaço por parte de quem passa de carro pelo local, na Avenida Afonso Pena. A BH Trans fechou a avenida, nos dois sentidos (Mangabeiras e Centro), o que está congestionando o trânsito em toda região. BH Trans fecha Avenida Afonso Pena, sentido Mangabeiras © Jair Amaral/EM/D.A Press BH Trans fecha Avenida Afonso Pena, sentido Mangabeiras Pouco antes dessa manifestação, donos de academias também estiveram na prefeitura para contestar a decisão, justificada pelo aumento de casos do novo coronavírus e situação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em BH. Eles voltaram para este novo protesto e, segundo o instrutor da academia Open Fitness, que fica no bairro Jardim América, Região Oeste de Belo Horizonte, Jamilson Castro, de 33 anos, a saúde no Brasil tem que ser vista além da estética. "No meu modo de pensar a academia hoje em dia é uma forma de cuidar da saúde e vai muito além da estética. Eu trabalho com dança, com senhoras de várias idades e vejo a importância de se exercitar e eliminar qualquer tipo de doença", afirmou.  Enquanto ao fechamento, ele diz discordar da decisão porque estão cumprindo as regras de prevenção. "A questão da paralisação tras uma frustração porque estamos seguindo todas as orientações da OMS. ENtão trabalhar nos deixa mais feliz em poder compartilhar com a saúde, os médicos e enfermeiros. Faz com que as pessoas se preocupem mais com a saúde", disse. Donos e funcionários de academias também estão presentes no protesto desta segunda-feira (11/01) na porta da Prefeitura de Belo Horizonte © Matheus Muratori/EM/D.A Press Donos e funcionários de academias também estão presentes no protesto desta segunda-feira (11/01) na porta da Prefeitura de Belo Horizonte

COVID-19: Após lockdown, CDL/BH pede para comércio ficar aberto

  COVID-19: Após lockdown, CDL/BH pede para comércio ficar aberto A CDL alega que não há dado que correlacione o aumento do número de casos graves de infecção pelo novo coronavírus em Belo Horizonte à reabertura do comércioNo documento, a CDL argumenta que não há dado que correlacione o aumento do número de casos graves de infecção pelo novo coronavírus na capital à reabertura do comércio, ocorrida no segundo semestre do ano passado.

Comerciantes e Motoboys fazem carreata e protesto exigindo reabertura do comércio a noite - Продолжительность: 2:07 TV UP 39 просмотров. Comerciantes fazem protesto em São Sebastião - Продолжительность: 0:21 Portal Meon 352 просмотра.

Confira, na íntegra, a entrevista concedida pelo prefeito de BH , Alexandre Kalil , ao Hoje em Dia - Продолжительность: 46:32 Jornal Hoje em Dia 2 872 просмотра.

Na última quarta-feira (06/01), o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD), utilizou as redes sociais para justificar o fechamento do comércio não essencial. De acordo com o prefeito, a COVID-19 “chegou no limite” em Belo Horizonte. A ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), por exemplo, permanece na casa dos 80%, na zona vermelha de alerta, uma vez que a demanda superou a marca de 70%.

Para efeito de comparação, o percentual de uso na terapia intensiva era de 44% no início de dezembro. Contudo, vale lembrar que a prefeitura alterou o critério de avaliação em 18 de dezembro. Em vez de considerar a oferta em potencial, a prefeitura passou a colocar na conta apenas os leitos que realmente estavam à disposição da população. "São números impressionantes. Houve uma importação da doença surpreendente, porque temos casos, hoje, em hospitais particulares de BH de uma família inteira e famílias inteiras, que passaram o Natal juntos, (e que hoje estão) infectados e internados”, disse o chefe do Executivo municipal.

Vereadores negros tomam posse e protestam contra hino racista

  Vereadores negros tomam posse e protestam contra hino racista Vereadores negros tomam posse e protestam contra hino racista“Pensar em uma revisão do hino é importante para que todos os rio-grandenses se sintam acolhidos e incluídos” Letícia Marques, profesora do Instituto Federal do Mato Grosso

Cerca de 40 comerciantes fizeram uma manifestação esta semana no centro comercial de Redenção, no sul do Pará, contra o fechamento do comércio não essencial O comércio não essencial da cidade foi fechado após a prefeitura expedir o decreto que determinou o fechamento parcial do comércio.

Comerciantes e comerciários protestam após prolongamento de quarentena. Apoiadores de Bolsonaro protestam contra quarentena e pedem prisão de Doria na Av.

Veja como ficará o comércio em BH a partir de segunda:

  • Padarias e lanchonetes (vedado o consumo no local) (de 5h às 22h)
  • Comércio varejista de laticínios e frios (de 7h às 21h)
  • Açougue e Peixaria (de 7h às 21h)
  • Hortifrutigranjeiros (de 7h às 21h)
  • Minimercados, mercearias e armazéns (de 7h às 21h)
  • Supermercados e hipermercados (de 7h às 22h)
  • Artigos farmacêuticos (sem restrição de horário)
  • Artigos farmacêuticos, com manipulação de fórmula (sem restrição de horário)
  • Comércio varejista de artigos de óptica (sem restrição de horário)
  • Artigos médicos e ortopédicos (sem restrição de horário)
  • Tintas, solventes e materiais para pintura (de 7h às 21h)
  • Material elétrico e hidráulico, vidros e ferragem (de 7h às 21h)
  • Madeireira (de 7h às 21h)
  • Material de construção em geral (de 7h às 21h)
  • Combustíveis para veículos automotores (sem restrição de horário)
  • Peças e acessórios para veículos automotores (de 8h às 17h)
  • Comércio varejista de gás liquefeito de petróleo - GLP (sem restrição de horário)
  • Comércio atacadista da cadeia de atividades do comércio varejista da fase de controle (5h às 17h)
  • Agências bancárias: instituições de crédito, seguro, capitalização, comércio e administração de valores imobiliários (sem restrição de horário)
  • Casas lotéricas (sem restrição de horário)
  • Agência de correio e telégrafo (sem restrição de horário)
  • Comércio de medicamentos para animais (sem restrição de horário)
  • Atividades de serviços e serviços de uso coletivo, exceto os especificados no art. 2º do Decreto nº 17.328, de 8 de abril de 2020 (sem restrição de horário)
  • Atividades industriais (sem restrição de horário)
  • Banca de jornais e revistas (sem restrição de horário)
  • Serviços de alimentação, apenas para entrega em domicílio e retirada no local de alimentos prontos e embalados para consumo fora do estabelecimento, nos termos do art. 3º do Decreto nº 17.328, de 2020 (sem restrição de horário)
  • Restaurantes, lanchonetes, bares e estabelecimentos congêneres no interior de hotéis, pousadas e similares, para atendimento exclusivo aos hóspedes, nos termos do art. 4º do Decreto nº 17.328, de 2020 (sem restrição de horário)
  • Atividades autorizadas neste anexo em funcionamento no interior de shopping centers, galerias de loja e centros de comércio (Deverão ser observados os horários de cada atividade)

Não podem funcionar em BH

  • Casas de shows e espetáculos de qualquer natureza
  • Boates, danceterias, salões de dança
  • Casas de festas e eventos
  • Feiras, exposições, congressos e seminários
  • Shoppings centers, centros de comércio e galerias de lojas
  • Cinemas e teatros
  • Clubes de serviço e de lazer
  • Academias, centros de ginástica e estabelecimentos de condicionamento físico
  • Clínicas de estética e salões de beleza
  • Parques de diversão e parques temáticos
  • Bares, restaurantes e lanchonetes (para consumo interno)

Também ficam suspensas

  • Autorizações para eventos em propriedades e logradouros públicos
  • Autorizações de feiras em propriedade
  • Autorizações para atividades de circos e parques de diversões

Parques e Zoológico abrem; Feira Hippie é suspensa

Vacinação: PBH seguirá plano nacional, mas mantém plano B com CoronaVac

  Vacinação: PBH seguirá plano nacional, mas mantém plano B com CoronaVac Infectologistas comemoram eficácia da vacina. Prefeitura mantém acordo com Instituto Butantan em segundo plano caso Ministério da Saúde não forneça o imunizanteIsso porque o prefeito Alexandre Kalil (PSD) tem um acordo com o Instituto Butantan que garante o imunizante. Esse pacto é o chamado “plano B” que será colocado em prática caso o Ministério da Saúde decida não ofertar a proteção.

Comerciantes protestam contra reordenamento do Centro de Maceió. Jornal Extra Alagoas.

Em meio à pandemia de coronavírus, a quarentena preocupa comerciantes por todo o Brasil.

Nesta sexta-feira, a Prefeitura de Belo Horizonte confirmou que as feiras organizadas pelo Município, como a Feira Hippie da Avenida Afonso Pena, também foram suspensas por meio de uma portaria do DOM.

Festas em espaços comuns de condomínios residenciais ou corporativos continuam proibidas.

Parques públicos e o Zoológico de BH continuam recebendo visitantes com agendamento prévio. As praças permanecerão abertas. O BH Resolve também vai manter os atendimentos presenciais com marcação pela internet e restrições.

Delivery e retirada na porta

A prefeitura também ressalta que todos os estabelecimentos poderão vender por delivery e os que tiverem estacionamento internalizado (sem ser na calçada), podem disponibilizar o serviço de drive-thru para os clientes. Bares, restaurantes e estabelecimentos dessa natureza podem atender por delivery e retirada na porta, sem consumo no local.

“Um total de 156.958 empresas de serviços e de atividades essenciais (84% das empresas ativas instaladas na capital) seguem autorizadas a funcionar. Empresários e empreendedores podem consultar se seu estabelecimento pode abrir na data da consulta e todas as orientações necessárias neste link. A pesquisa pode ser feita pelo código ou descrição da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE) ou pelo grupo de atividades”, informou a PBH. *Estagiária sob supervisão do subeditor Frederico Teixeira

Metrô terá ajuste de horário a partir de segunda-feira (11/01) .
Com o fechamento do comércio, CBTU informou que a linha 1 vai operar das 5h40 às 11h30 e das 15h30 às 21h30, todos os dias . As 19 estações permanecerão abertas. © Beto Novaes/EM/D.A Press O intervalo entre as viagens será de 14 minutos, de segunda a sexta-feira A companhia ainda informou que o intervalo entre as viagens será de 14 minutos, de segunda a sexta. Nos finais de semana, o tempo de espera vai variar de 20 a 30 minutos. As viagens serão feitas em trens acoplados, com oito vagões, intercaladas com composições de quatro carros, como de costume.

usr: 1
Isto é interessante!