Brasil Brasil atinge novo recorde com 3.600 mortes por covid-19 em 24 horas

23:47  27 março  2021
23:47  27 março  2021 Fonte:   estadao.com.br

Médicos e cientistas já veem São Paulo em colapso e defendem lockdown

  Médicos e cientistas já veem São Paulo em colapso e defendem lockdown O Estado mais rico do país vem batendo recordes de casos, mortes e ocupação de hospitais. Mortes à espera de leitos e fila de pacientes para UTIs mostram que sistema de saúde paulista já não dá conta da demanda, dizem cientistas.A declaração foi feita em uma coletiva de imprensa na quarta-feira (17/3), enquanto São Paulo bate recordes de casos e mortes, vê sua rede de saúde passar de 90% de ocupação e aplica as medidas de isolamento mais rígidas desde o início da crise para tentar evitar uma tragédia ainda maior.

Com 3.600 óbitos em decorrência da covid-19 nas últimas 24 horas, o Brasil atingiu um novo recorde de vítimas da doença em um só dia, de acordo com dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. O número equivale a 150 registros por hora ao longo do último dia. O total de mortes pelo novo coronavírus no País chegou nesta sexta-feira, 26, a 307.326.

Dezenove das 20 maiores marcas de mortes da pandemia até aqui foram alcançadas em março. O número de vítimas desta sexta-feira é o segundo a passar da marca de 3 mil, após 3.158 óbitos terem sido registrados na terça-feira, 23. O Brasil vive o pior momento da pandemia, com avanço nos dados de casos, internações e mortes em decorrência da doença.

Brasil tem 2.659 mortes pela covid-19 em 24h; março já teve mais óbitos que fevereiro

  Brasil tem 2.659 mortes pela covid-19 em 24h; março já teve mais óbitos que fevereiro Média móvel de óbitos semanal bate recorde pelo 20º dia consecutivo no PaísO Brasil registrou 2.659 novas mortes pela covid-19 e em apenas 18 dias do mês de março já superou todas as vítimas de fevereiro, que já tinha sido um período muito ruim no País. A média móvel de óbitos semanal, que elimina distorções entre dias úteis e fim de semana, bateu recorde pelo 20º dia consecutivo e ficou em 2.096 nesta quinta-feira, 18. Com transmissão descontrolada da doença, o País tem visto o colapso de várias redes hospitalares. Governadores e prefeitos têm recorrido a restrições ao comércio e até ao lockdown para frear o vírus.

A média móvel diária de óbitos ficou em 2.400 nesta sexta-feira. É a maior média de toda a pandemia. O dado leva em consideração registros dos últimos sete dias para avaliar a tendência da curva no Brasil. A média está acima de 2 mil desde o dia 17 de março. Na prática, o número indica que 16.801 morreram de covid-19 na última semana, o maior número para um período de sete dias desde o surgimento da doença no País.

Os números desta sexta-feira sofreram influência da alta recorde em São Paulo, que registrou 1.193 novos óbitos pela doença. No Rio Grande do Sul, o número ficou em 408, seguido por 316 em Minas Gerais. Em Santa Catarina, foram 210 vítimas, e o dado ficou em 200 em Goiás e 195 no Rio de Janeiro.

Os dados do consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL são coletados junto às secretarias estaduais de Saúde. Nesta sexta-feira, 82.558 novos testes positivos foram confirmados, fazendo o total de diagnósticos confirmados chegar a 12.407.323. Segundo o Ministério da Saúde, 10.824.095 pessoas se recuperaram da covid-19 e 1.273.207 seguem em acompanhamento médico.

Mais 542 mil doses de vacina antiCOVID-19 chegam a Minas Gerais

  Mais 542 mil doses de vacina antiCOVID-19 chegam a Minas Gerais Novo lote de imunizantes, o 9° desde janeiro, será distribuído às regionais de Saúde; injeções foram produzidas no Instituto Butantan

Começou a vigorar nesta sexta-feira em algumas regiões um feriadão prolongado criado com propósito de incentivar o distanciamento social. Nas cidades de São Paulo e do Rio, teve início um feriadão de dez dias possibilitado a partir da antecipação de datas de feriado oficial para esta semana e a próxima. Entenda como fica o funcionamento dos serviços essenciais na capital paulista e na capital fluminense.

Consórcio de imprensa reúne dados desde 8 de junho

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Pelo 2º dia seguido, Brasil confirma mais de 3.000 mortes em 24h .
São 310. 550 vítimas. E 12. 490. 362 casosNenhum outro país registrou tantas mortes pela covid neste sábado. Os Estados Unidos, no 2º lugar, notificaram mais 744 vítimas, de acordo com o painel Worldometer consultado às 19h20 deste sábado.

usr: 1
Isto é interessante!