Brasil Brasil bate novo recorde e passa de 4 mil mortes em 24h

01:31  07 abril  2021
01:31  07 abril  2021 Fonte:   ansabrasil.com.br

Pelo 2º dia seguido, Brasil confirma mais de 3.000 mortes em 24h

  Pelo 2º dia seguido, Brasil confirma mais de 3.000 mortes em 24h São 310. 550 vítimas. E 12. 490. 362 casosNenhum outro país registrou tantas mortes pela covid neste sábado. Os Estados Unidos, no 2º lugar, notificaram mais 744 vítimas, de acordo com o painel Worldometer consultado às 19h20 deste sábado.

Número de mortes diárias passou de 4 mil pela primeira vez desde o início da pandemia © Ansa Brasil Número de mortes diárias passou de 4 mil pela primeira vez desde o início da pandemia

(ANSA) - O Brasil registrou 4.195 mortes nas últimas 24 horas por Covid-19, elevando para 336.947 as vítimas da pandemia no país, informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta terça-feira (6).

O número é um recorde absoluto desde o início da pandemia, em fevereiro do ano passado, e conta com o represamento de dados que sempre ocorre nos fins de semana, quando as secretarias estaduais trabalham em capacidade reduzida de notificação.

O dado também é um dos mais altos registrados no mundo. Conforme a Universidade Johns Hopkins, o recorde para 24 horas pertence aos Estados Unidos: foram 4.476 óbitos no dia 12 de janeiro.

Brasil tem em 1 dia mais mortes por covid-19 do que 133 países em 1 ano de pandemia

  Brasil tem em 1 dia mais mortes por covid-19 do que 133 países em 1 ano de pandemia Morre-se mais no Brasil de covid-19 do que em continentes inteiros: Europa, Ásia, África, Oceania ou restante da América. Hoje, o Brasil tem 2,7% da população mundial, mas concentra 37% das mortes no mundo.O Brasil tem 212 milhões de habitantes. Estes 133 países somam 1,9 bilhão de pessoas.

A taxa de letalidade do coronavírus Sars-CoV-2 continua a subir e está em 2,6% na média nacional e a de mortalidade está em 160,3 a cada 100 mil habitantes. O Rio de Janeiro é o que possui a maior média na letalidade da doença (com 5,8%), seguido por Pernambuco (3,5%), Amazonas (3,4%) e São Paulo (3,1%).

O recorde também ocorre no dia em que o estado de São Paulo, que possui os maiores números absolutos, bateu sua própria marca para um dia, contabilizando 1.389 óbitos. Ao todo, são 78.554 vidas perdidas para a doença.

Ainda nos números totais, o Rio de Janeiro aparece na segunda posição (38.040), seguido por Minas Gerais (25.795), Rio Grande do Sul (21.018) e Paraná (17.685).

O total de novos casos de Covid-19 no período foi de 86.979, totalizando 13.100.580 os contágios confirmados no país. São Paulo continua na liderança nos dados absolutos, com 2.554.841 contaminações e é seguido por Minas Gerais (1.169.489), Rio Grande do Sul (868.590), Paraná (864.677) e Santa Catarina (821.952).

Conforme o portal Covid-19 no Brasil (https://coronavirusbra1.github.io/), o Brasil tem 20.685.707 pessoas que receberam ao menos uma dose das duas vacinas aplicadas no país e 5.798.401 que foram totalmente imunizadas com as duas doses - o que representa 2,74% da população. (ANSA).

São Paulo encerra março com recorde de mortes por Covid-19 .
Entre os dias 1º e 31, foram 15.159 novas mortes e 428.221 casos . © Erbs Jr./FramePhoto/Folhapress Profissionais da saúde atuando no combate à covid-19 Março também foi marcado pelo crescimento das internações, que ultrapassaram a marca de 31 mil pessoas hospitalizadas em um mesmo dia.Leia também: Anvisa aprova uso emergencial da vacina da Janssen contra a Covid-19 Previsão do tempo: quinta-feira será fresca em São PauloNesta quarta-feira (dia 31) são 31.175 internados, sendo 12.961 pacientes em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e 18.214 em enfermaria.

usr: 3
Isto é interessante!