Brasil RJ: Após enterrar filho, mãe de Henry foi a salão de beleza na Barra da Tijuca

15:51  08 abril  2021
15:51  08 abril  2021 Fonte:   istoe.com.br

Peugeot 208 e 2008 foram os carros mais vendidos na Europa em fevereiro

  Peugeot 208 e 2008 foram os carros mais vendidos na Europa em fevereiro Fora da Alemanha, VW emplaca apenas Golf e Tiguan entre os 10 mais As vendas de veículos novos na Europa tiveram mais um mês negativo. De acordo com a ACEA, entidade que representa os fabricantes no continente, foram vendidas 850.170 unidades em fevereiro, pior desempenho para o mês desde 2013. Em relação ao mesmo período de 2020, a retração foi de 20,3% - o acumulado (1.693.059) caiu ainda mais (-23,1%). A Volkswagen (94.242) manteve uma confortável liderança entre as montadoras, mas a Peugeot (66.

A professora Monique Medeiros, mãe de Henry Borel, passou a tarde em um salão de beleza de um shopping na Barra da Tijuca no dia seguinte ao enterro do filho, morto no último dia 8 de março. De acordo com a Polícia Civil, três profissionais cuidaram dos pés, das mãos e do cabelo da professora, que pagou R$ 240 pelo serviço.

Durante as investigações, os policiais levantaram informações sobre o comportamento de Monique após a morte do filho que chamaram a atenção. Segundo a polícia, ela chegou a trocar de roupa duas vezes até escolher o melhor modelo, todo branco, para ir à delegacia.

Monique e o namorado, o vereador Dr. Jairinho, foram presos nesta quinta-feira (8) após terem a prisão temporária de 30 dias decretada. De acordo com a polícia, os dois teria tentado atrapalhar as investigações da morte da criança. Os investigadores da 16ª DP (Barra da Tijuca) afirmam ainda que o garoto foi assassinado.

Caso Henry: entenda as investigações sobre a morte da criança de 4 anos

  Caso Henry: entenda as investigações sobre a morte da criança de 4 anos Vereador do Rio e Monique Medeiros foram presos por ordem da Justiça nesta quinta-feira. Veja o que aconteceu após a morte da criança e as investigações conduzidas pela políciaA polícia diz que os dois estavam atrapalhando o andamento das investigações sobre a morte do menino Henry Borel Medeiros, de 4 anos, no dia 8 de março. O vereador e a mãe da vítima estariam intimidando testemunhas e combinando versões sobre o caso. A polícia sustenta que o menino morreu após ser agredido pelo político, que era seu padrasto. Os suspeitos foram presos por força de um mandado de prisão temporária expedido pelo II Tribunal do Júri do Rio. O prazo de validade da prisão é de 30 dias.

Conforme as investigações, o vereador teria praticado pelo menos uma sessão de tortura contra Henry semanas antes da morte da criança. Ainda conforme os investigadores, a mãe de Henry sabia das agressões. Jairinho teria se trancado no quarto para bater no menino no último dia 12 de fevereiro.

A polícia ouviu ao menos 18 testemunhas desde o dia 8 de março e reuniu provas técnicas que descartam a hipótese de acidente, que foi levantada pela própria mãe de Henry. As investigações apontam ainda que o casal apagou conversas em seus celulares após o início das investigações, e suspeita que eles tenham trocado de aparelho.

Conforme o G1, a perícia do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) usou um software israelense, o Cellebrite Premium, para recuperar o conteúdo.

“Vida que segue. Faz outro filho”, disse Jairinho segundo pai de Henry .
“Vida que segue. Faz outro filho”, disse Jairinho segundo pai de Henry, Leniel Borel. Ele também disse que não acredita na versão do vereadorSuspeito de envolvimento na morte de Henry Borel Medeiros, Dr. Jairinho, é uma pessoa fria e não aparenta remorso, segundo o pai de Henry. “Ele é muito frio. Assim que foi decretado o óbito do meu filho, Dr. Jairinho chegou perto de mim e, na frente de uma pessoa da igreja que frequento e de uma amiga minha, disse: ‘Vamos virar essa página, vida que segue. Faz outro filho’”.

usr: 1
Isto é interessante!