Brasil Governo de MG vai enviar 5% das vacinas de reserva técnica para municípios

23:56  08 abril  2021
23:56  08 abril  2021 Fonte:   em.com.br

Governo de São Paulo afirma que não haverá desabastecimento de oxigênio em municípios paulistas

  Governo de São Paulo afirma que não haverá desabastecimento de oxigênio em municípios paulistas Declaração foi feita nesta quarta-feira, 31, durante a liberação de mais 3,4 milhões doses da vacina do Instituto Butantan contra o novo coronavírus para o Ministério da SaúdeSÃO PAULO - Apesar de cidades paulistas alertarem para estoque crítico de cilindros de oxigênio, o governo do Estado de São Paulo garantiu que não haverá desabastecimento nos municípios. Segundo o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, o Estado trabalha para manter o abastecimento em todas as cidades.

“A reserva técnica de 5 %, que sempre foi estocada, agora será enviada aos municípios para que haja maior disponibilidade de vacinas . Não é recomendado estocar doses neste momento. O envio das doses vai priorizar as cidades que estão na frente do processo de imunização, com poucos imunizantes estocados. Como forma de ajudar as prefeituras que enfrentam dificuldades para acelerar a vacinação, o governador afirmou que o Governo de Minas está implantando medidas em parceria com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Associação Mineira de Municípios (AMM).

Minas Gerais vacinou , até esta segunda-feira (22), 45.898 idosos com 90 anos ou mais — Foto: Reprodução TV Globo. A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES- MG ) informou que não vai modificar a estratégia de vacinação contra a Covid-19 e vai continuar a reservar um quantitativo dos imunizantes recebidos para a aplicação da segunda dose. Na última semana, o Ministério da Saúde passou a orientar estados e municípios a utilizarem todas as novas doses de vacina a serem entregues.

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse nesta quinta-feira (08/04), em coletiva na Cidade Administrativa, que vai enviar aos municípios 5% de doses das vacinas contra a COVID-19 estocadas para reserva técnica. O objetivo é acelerar o ritmo de vacinação no estado. O governo não informou o número de doses que compõem a reserva técnica.

Zema não quer estocagem das vacinas contra a COVID-19 por parte das prefeituras © Gil Leonardi / Imprensa MG Zema não quer estocagem das vacinas contra a COVID-19 por parte das prefeituras

Zema explicou que a alteração no processo de distribuição das vacinas foi necessária para agilizar a imunização da população mineira.

“A reserva técnica de 5%, que sempre foi estocada, agora será enviada aos municípios para que haja maior disponibilidade de vacinas. Não é recomendado estocar doses neste momento. A vacina só resolve nosso problema quando ela é aplicada no braço de quem precisa, e não dentro do refrigerador aguardando. A vacinação é a única solução definitiva para a pandemia”, alertou o chefe do Executivo estadual

Infraestrutura é gargalo na corrida pela vacina nacional

  Infraestrutura é gargalo na corrida pela vacina nacional Falta de laboratório apropriado para produzir lote-piloto pode atrasar ensaio clínico da UFMG. Situação se repete país afora, aponta pesquisadoraTROPEÇOS Apesar dos anúncios do Instituto Butantan e da USP de Ribeirão Preto, o país está bem atrás, no cenário mundial, na produção de vacinas contra a COVID-19. A Anvisa admite que se houvesse melhor estrutura laboratorial o Brasil estaria mais bem posicionado no ranking.

Os municípios do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste de MG vão começar a receber a partir de segunda-feira (1º) as 42.606 doses da segunda remessa de vacinas enviadas pelo governo do Estado. Ao todo, o Estado de Minas Gerais recebeu 356,3 mil doses da AstraZeneca e da CoronaVac nesta segunda remessa, para distribuição entre as 28 Unidades Regionais de Saúde (URSs). As URSs poderão reter poucas doses como reserva técnica para a reposição de perdas, por isso, o número enviado pelo Estado poderá divergir das quantidade que serão liberadas para cada

Avião para buscar 2 milhões de doses de vacina da AstraZeneca na Índia decola nesta quarta e deve chegar no sábado, segundo ministro. Outras 6 milhões de doses da CoronaVac importadas da China estão em depósito do Butantan em São Paulo. "É uma equação com várias variáveis. O primeiro aspecto é a aprovação da Anvisa. Estamos aguardando ansiosamente a aprovação das duas vacinas solicitadas, Butantan e AstraZeneca. Vamos começar a vacinação simultaneamente nos 26 estados e no DF. Não vamos começar por um estado só, vai começar em todos ao mesmo tempo".

O envio das doses vai priorizar as cidades que estão na frente do processo de imunização, com poucos imunizantes estocados.

Como forma de ajudar as prefeituras que enfrentam dificuldades para acelerar a vacinação, o governador afirmou que o Governo de Minas está implantando medidas em parceria com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e a Associação Mineira de Municípios (AMM).

“Algumas prefeituras não buscam as vacinas com a velocidade que poderiam ou não aplicam com a velocidade que poderiam. Temos solicitado aos prefeitos que o processo não seja interrompido, apesar de sabermos que os profissionais de Saúde estão exaustos. Onde há disponibilidade de vacina, que é na maioria das prefeituras, que esse processo continue inclusive aos fins de semana. Também temos ajuda do setor privado, como o Unidos Pela Vacina, que está apadrinhando diversas prefeituras com dificuldades e tem contribuído para a solução desse problema”, disse.

"Quando um presidente recomenda um medicamento que não serve, isso é um ato criminoso", afirma especialista da OMS

  Em entrevista à RFI, o presidente do Grupo de Especialistas em Imunização da Organização Mundial da Saúde (OMS), o mexicano Alejandro Cravioto, falou sobre as estratégias de combate à pandemia de Covid-19 na América Latina, além do uso de vários medicamentos que não apresentam eficácia comprovados contra a doença. Por Carlos Pizarro, da RFI RFI - Nesta semana, todo o planeta está na expectativa dos resultados do estudo realizado pelo Grupo de Especialistas em Imunização da OMS sobre as vacinas chinesas da Sinovac e da Sinopharm.

Que vacina é essa? Entenda sobre o imuizante da Pfizer/Biontech. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta sexta-feira (28) novas condições de conservação e armazenamento para a vacina da Pfizer. Agora, a vacina pode ser mantida em temperatura controlada entre 2ºC e 8ºC por até 31 dias. A orientação anterior era de cinco dias. Para aprovar as novas condições, a equipe técnica da Anvisa avaliou os estudos de estabilidade apresentados pelo laboratório desenvolvedor da vacina .

Cidades que não tiverem demanda suficiente de certos grupos prioritários poderão reservar parte das doses para público de 18 a 59 anos sem comorbidades. Brasil já aplicou a primeira dose de vacinas contra Covid em quase 44 milhões de pessoas. Depois que os professores forem vacinados , as

Zema não quer estocagem das vacinas contra a COVID-19 por parte das prefeituras. Nesse fim de semana, Belo Horizonte interrompeu a vacinação. Segundo o governador, a orientação é para que o processo de imunização não seja interrompido.

“Temos solicitado aos prefeitos que o processo não seja interrompido, apesar de sabermos que os profissionais de saúde estão exaustos. Mas, onde há fila e onde há disponibilidade de vacina, que é a grande maioria das prefeituras, que esse processo, inclusive, continue no final de semana. Quero salientar aqui que a distribuição estado para municípios tem acontecido em questão de horas”, ressaltou. “O que tem ocorrido é: algumas prefeituras não buscam essas vacinas na velocidade em que poderiam. Outras não aplicam na velocidade em que poderiam, e nós ainda temos uma questão de informação. Algumas prefeituras aplicam vacinas, mas não informam no sistema no tempo adequado”, completou.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloImperícia presidencial

Os municípios que alcançarem cobertura vacinal contra o sarampo de 90% a 94,9% para a primeira dose da tríplice viral receberão 75% do incentivo federal. Já aqueles que atingirem cobertura igual ou superior a 95% para a primeira dose receberão o valor total do repasse. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões de adultos. Para viabilizar a ação, o órgão afirma ter garantido a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença

Esse foi o argumento apresentado pela Secretaria de Saúde do Amazonas para justificar o baixo O principal são as enchentes nos municípios , onde é preciso realocar as salas de vacina , e a Em comparação, SP, MG e ES figuram no topo da tabela. Para o médico epidemiologista José Cássio Outro ponto é a articulação entre governo estadual e governos municipais no controle das doses.

Falta de informação

O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, explica sobre a falta de repasse de informações por parte de algumas prefeituras. "As informações não têm chegado. A última atualização de alguns municípios foi em janeiro, quando quase não havia vacina. Ou seja, tudo que a cidade aplicou desde janeiro não veio para o sistema e gera essas distorções de informação. As regionais de Saúde da secretaria estadual estão indo ativamente aos 853 municípios, especialmente aqueles que têm os piores resultados. Provavelmente viveremos um aumento progressivo dos índices de vacinação do estado, já nesta semana, por essa ação bem ativa”, disse. Zema alertou a população sobre os cuidados de prevenção que devem ser mantidos © Gil Leonardi / Imprensa MG Zema alertou a população sobre os cuidados de prevenção que devem ser mantidos

Resultado

Ainda segundo o secretário, o número de internações de idosos acima de 85 anos reduziu expressivamente, o que comprova a evolução da vacinação e da eficácia do imunizante.

“Temos uma redução quase total no número de casos de pacientes nessa idade. É um alento muito importante neste momento e reforça a atenção dos municípios em crescer na vacinação. O que vai mudar esse momento nosso é a vacinação. Esperamos novas remessas do Ministério da Saúde, esperamos que elas ocorram de forma constante e mais acelerada”, destacou.

Novas variantes

Sobre a eficácia da vacinação para as novas cepas do vírus, o secretário de Saúde esclareceu que as vacinas existentes têm boas respostas.

De frente para o colapso, vacina contra a COVID-19 opõe Zema e Kalil

  De frente para o colapso, vacina contra a COVID-19 opõe Zema e Kalil Governador criticou prefeituras por 'segurar' imunizantes e admitiu risco de que pacientes intubados deixem a sedação por falta crítica de remédiosBelo Horizonte foi uma das cidades que suspendeu a imunização no fim de semana, com o argumento de que os profissionais de Saúde necessitavam de descanso. A crítica do governador gerou resposta ontem mesmo do prefeito de BH, Alexandre Kalil. Horas depois da declaração do governador, Kalil publicou em sua conta no Twitter taxa percentual de vacinação na capital, de 13,97% da população, superior a do estado e do Brasil. A postagem foi acompanhada da frase “Esclarecimento sobre vacinação.

“Já saíram vários estudos confirmando que a nova cepa P1, a de Manaus, que é a mais prevalente no estado, tem uma boa resposta em relação à Coronavac, a vacina mais aplicada aqui. Também já temos estudos sobre a AstraZeneca que estão confirmando a eficácia, o que nos deixa tranquilos”, reiterou o médico Fábio Baccheretti.

O secretário também comentou a respeito das novas mutações identificadas em BH por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

“Ontem à noite fizemos uma reunião com a equipe técnica da UFMG e a principal conclusão, além da existência de uma nova cepa em BH, é que ela possui mutações nos mesmos locais da P1 e da P2, que são as cepas mais prevalentes no estado. Ainda não sabemos se é mais infectante ou mais letal. No momento, a informação mais importante desse estudo é que aquela cepa inicial vivenciada em 2020 praticamente não circula mais no estado. A que circula é a cepa mais infectante, que veio do Amazonas. Por isso a importância das restrições adotadas no estado”, pontuou.

Zema chama a atenção

Romeu Zema alertou para que a população mantenha os cuidados sanitários de prevenção, como o uso de máscara e distanciamento social, inclusive para os que já foram vacinados.

“A vacina reforça muito a imunização, mas temos que ter consciência de que os cuidados precisam ser mantidos, até porque quem foi vacinado ainda pode transmitir o vírus. Infelizmente temos um novo problema de saúde no mundo, que exige essa mudança de hábito, o distanciamento, o uso de máscara. Talvez tenham vindo para ficar um tempo muito maior do que nós imaginávamos”, reforçou.

Situação em Minas

Dados divulgados nessa quarta-feira (07/04) pelo Governo de Minas, revelaram que o estado chegou à marca de 26.303 óbitos por coronavírus desde o início da pandemia, em março de 2020. Também nos números totais, são 1.182.847 diagnósticos positivos, sendo 1.061.397 recuperados e 95.147 em acompanhamento. Também de acordo com o Executivo, 2.033.734 receberam a primeira dose da vacina, enquanto 620.340 tomaram a segunda.

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.

Corrida para controlar pandemia

  Corrida para controlar pandemia Pesquisa de universidades mineiras aponta que o Brasil precisa vacinar 2 milhões de pessoas por dia para conter aumento do vírus em até um anoMas uma pesquisa feita pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em parceria com o Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), mostra que o Brasil precisa vacinar 2 milhões de pessoas por dia para controlar a pandemia em até um ano.

Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.

Municípios de Minas Gerais recebem novo lote de vacinas contra a COVID-19

  Municípios de Minas Gerais recebem novo lote de vacinas contra a COVID-19 A 12ª remessa de imunizantes será usada para vacinar idosos de 65 a 69 anos, profissionais da saúde e trabalhadores das Forças da Segurança do estado

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

  • Veja onde estão concentrados os casos em BH
  • Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

  • Animais de estimação no ambiente doméstico precisam de atenção especial

  • Coronavírus x gripe espanhola em BH: erros (e soluções) são os mesmos de 100 anos atrás

21 Estados e DF recebem mais medicamentos do “kit covid” do que para intubação .
Saúde envia mais cloroquina e tamiflu. Que sedativos para intubação. Hospitais enfrentam escassez. MS: compra compete à gestão localO “kit covid” é formado por difosfato de cloroquina, hidroxicloroquina e fosfato de oseltamivir (o tamiflu). Não há estudos científicos que comprovem, conclusivamente, a eficácia desses medicamentos no tratamento da covid-19. Desde junho do ano passado, o Ministério da Saúde remeteu 21,6 milhões de unidades desses fármacos aos Estados e ao Distrito Federal.

usr: 0
Isto é interessante!