Brasil Fórum dos Leitores

09:51  03 maio  2021
09:51  03 maio  2021 Fonte:   estadao.com.br

Fórum de governadores defende papel da Fiocruz no combate à covid-19

  Fórum de governadores defende papel da Fiocruz no combate à covid-19 Instituição aumentou produção, diz. Defende transferência tecnológica“A Fiocruz através de equipes técnicas e competentes tem feito um esforço gigante para viabilizar mais vacinas e ampliando a linha de produção e mais turnos alcançou o cronograma que traçamos na agenda com o Fórum dos Governadores em março.

No Brasil do capitão

Golpe em marcha?

Recentemente o presidente Jair Bolsonaro indicou estar à espera de “um sinal do povo para tomar providência”, leia-se pôr o “seu exército” nas ruas. No 1.º de Maio saíram às ruas, em várias cidades brasileiras, seus exaltados seguidores pedindo intervenção militar e uma nova versão de AI-5 – e, para variar, sem tomar nenhum cuidado contra a covid-19. Temos agora manifestação para legitimar um “golpe militar democrático”?

OMAR EL SEOUD ELSEOUD.USP@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Apoio ao algoz

Os que foram às ruas no 1º de Maio para apoiar Bolsonaro – que foi eleito presidente pelo voto popular, sem fraudes, num processo democrático – pedem intervenção militar, o que fere a Constituição, a democracia e a soberania do povo brasileiro. É algo tão esdrúxulo e sem sentido que nenhuma sociedade entenderia se fôssemos explicar os atos nas ruas do País nessa data. Em sua maioria, gente abastada, com carrões do tipo SUV, empresários e todo tipo de alienados pedindo o fim de uma democracia? Querem terceirizar o voto? Querem que militares façam o que eles não têm capacidade mental de fazer? Querem romper com uma democracia em pleno século 21? Por quê? Medo de quê? Já perceberam que Jair Messias não tem mesmo capacidade nem aptidão para ser o gestor que imaginavam quando foram às urnas em 2018?

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloManobras

RAFAEL MOIA FILHO RMOIAF@UOL.COM.BR

BAURU

*

Tratamento precoce

Os manifestantes pró-Bolsonaro desfilaram no 1.º de Maio também com mensagens a favor do “tratamento precoce”. Como sugestão, os 20% de bolsonaristas-raiz não deveriam ser vacinados, seguindo seu “mito” – ele deverá ser imunizado escondido, como fez seu general. Além de economizar doses para imunizar 80% da população, os bolsonaristas seriam “curados” pelo kit covid. Não nos esqueçamos dos que protestam contra prefeitos e governadores pelo fechamento de seus negócios – que, aliás, é consequência da irresponsabilidade do “mito”, que não fez como os governantes responsáveis, que adquiriram vacinas em tempo hábil.

OSWALDO BAPTISTA PEREIRA FILHO OSWALDOCPS@TERRA.COM.BR

Polícia da Alemanha fecha fórum de pornografia infantil com 400 mil membros

  Polícia da Alemanha fecha fórum de pornografia infantil com 400 mil membros Hospedado na darknet. 4 homens foram presosA Polícia Federal alemã (Bundeskriminalamt, ou BKA) divulgou que 3 suspeitos foram presos no país: um homem de 40 anos residente de Paderborn, um de 49 anos em Munique e um homem de 64 anos em Hamburgo — esse último era um dos membros mais ativos da plataforma e teria postado mais de 3.500 publicações. A autoridades também informaram que um alemão de 54 anos foi preso no Paraguai e aguarda extradição. Eis a íntegra do comunicado da BKA (em alemão).

CAMPINAS

*

Incompetência e maldade

A média de mortes por covid-19 no Brasil é quase cinco vezes a mundial. A capacidade brasileira de vacinar, reconhecida mundialmente, é acima da média. Não fosse o negacionismo irresponsável e impatriótico dos que mandam e dos que os seguem, poderíamos estar chorando menos de 100 mil vidas perdidas, mas passaremos de meio milhão antes da terceira onda.

VENTURA ALLAN MORENILLA VENTURA.MORENILLA@GMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Estado máximo

No Dia do Trabalho, com manifestações a favor e contra Bolsonaro em diversas capitais do País, as centrais sindicais, agora à míngua graças ao fim da contribuição obrigatória, protestaram também contra as privatizações. Quanto maior o Estado, maior é a roubalheira. Lula da Silva, ávido para retomar o poder, chegou ao absurdo de enaltecer a covid-19 para demonstrar a importância de um Estado cada vez maior. Mesmo assim, busca apoio na Faria Lima.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloLesa-humanidade

J. A. MULLER JOSEALCIDEsmuller@hotmail.com

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloMais de 400 mil...

AVARÉ

*

O farsante

Confundindo 1.º de maio com 1.º de abril, Lulla diz que “a Lava Jato destruiu a economia do Brasil”. Errou a comemoração, mas continua mentiroso.

A. FERNANDES STANDYBALL@HOTMAIL.COM

SÃO PAULO

*

Orfandade

Miguel Reale Júnior, no artigo Quem fala pelo Brasil (1º/5, A2), mostra como estamos órfãos de um presidente. Além de seu criminoso descaso com a pandemia, Jair Bolsonaro destruiu a outrora ótima imagem da diplomacia brasileira. Partiu para o confronto com nossos tradicionais parceiros comerciais e perante o mundo fez do País um pária no quesito meio ambiente. Que vergonha! Como bem descreve Reale, o presidente perdeu “respeitabilidade em razão da contínua omissão ante as desgraças que nos assolam” e, assim, “não mais representa a Nação”. E como “nem Bolsonaro nem Guedes são levados a sério” lá fora, hoje quem atua para atenuar esse desastre diplomático são os governadores. Que nesta pandemia, sem as vacinas que o Planalto desgraçadamente deixou de adquirir, além de defenderem restrições de circulação, uso de máscara e isolamento social (o presidente é contra), tentam ajuda de organismos internacionais para fornecimento de vacinas, insumos, etc. E eu faço coro ao que sugere Reale aos governadores: “Falem em uma só voz pelo Brasil, para que sejamos ouvidos”!

Dívidas ocultas: "Pessoas ligadas ao poder querem que este processo morra"

  Dívidas ocultas: Em entrevista à DW, Adriano Nuvunga, coordenador do Fórum de Monitoria do Orçamento, sublinha que “matar” o processo das dívidas ocultas "é negar justiça ao povo moçambicano" e "continuar violação dos direitos humanos".O Fórum de Monitoria do Orçamento (FMO), de Moçambique, promoveu esta segunda feira, (03.05) um evento público de advocacia em Pretória, na África do Sul, pela extradição para os EUA do ex-ministro das Finanças de Moçambique. Manuel Chang foi detido na África do Sul em dezembro de 2018 no âmbito do caso dívidas ocultas.

PAULO PANOSSIAN PAULOPANOSSIAN@HOTMAIL.COM

SÃO CARLOS

*

Trabalho escravo

Que país é esse onde se lê manchete do jornal sobre empresas que se unem e abraçam causas sociais e de diversidade – consciência social chegando – e bem ao lado o presidente da República se negando a punir o trabalho escravo? Quantos anos de retrocesso teremos ainda com essa pessoa desqualificada desgovernando o País?

M. CRISTINA CARDOSO DE OLIVEIRA CRICARDOSO23@GMAIL.COM

CARAPICUÍBA

*

Justiça

Assassino solto

O homem suspeito de matar recentemente a marretadas uma mulher dentro do metrô de São Paulo disse que toma remédios psiquiátricos e ouve vozes. Esteve 18 anos internado em manicômio judiciário por ter praticado crimes graves, homicídio incluído. Sua liberação do hospício, há cerca de três anos, para o convívio social se deu porque foi decidido que já não oferecia risco às pessoas. Onde fica a Justiça nessa história toda? Vidas de inocentes importam, e muitíssimo!

MARCELO DE LIMA ARAÚJO MARCELODELIMAARAUJO@YAHOO.COM.BR

RIO DE JANEIRO

*

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

GOVERNO EM PÂNICO

O pânico total do governo em relação à abertura da CPI da Covid no Senado deixa evidente a culpa dos crimes de omissão e de atuação contrária ao combate à epidemia do coronavírus, que, aqui no Brasil, foi recebido de braços abertos pelo presidente infeccionista de todos os males que um antigoverno pode impingir à uma nação perplexa. O desfile de ex-ministros da Saúde demitidos pelo capitão pandêmico e pândego não será um “carnaval fora de época”, como debochou o próprio, mas um “Carnaval no Fogo” na hora mais escura de um implodido desgoverno de um bando de trânsfugas acovardados.

Manuscrito de “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, é publicado por editora francesa especializada

  Manuscrito de “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, é publicado por editora francesa especializada A nordestina Macabéa - e suas desventuras como datilógrafa no Rio de Janeiro - acaba de ganhar as ruas de Paris. A responsável pela proeza é a editora francesa Les Saint Pères especializada na publicação de manuscritos de grandes nomes da literatura e da ciência mundial. Restaurados, os rascunhos de Clarice Lispector deram origem a uma bela edição de luxo, um livro-objeto fenomenal de grandes proporções. O lançamento figura a partir desta segunda-feira (3) no catálogo da Les Saint Pères, num lançamento conjunto na França, Portugal e no Brasil.

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

BOLSONARO E OS MINISTROS DA SAÚDE

O estadista Jair Bolsonaro, em plena pandemia e enciumado, exonerou Luiz Henrique Mandetta pela ótima condução ao combate à covid. Depois veio Nelson Teich que, horrorizado pela famigerada reunião ministerial de 22 de abril do ano passado, pediu demissão. Logo após veio Eduardo Pazuello que, apesar de “obedecer quem manda”, conseguiu chegar ao Guinness Book – livro dos recordes – no quesito “óbitos”, e, por isso exigiram a sua saída. Agora temos Marcelo Queiroga, que promete, discursa, explica, mas não sai do lugar. Por isso o Brasil chegou aos mais de 400 mil mortos e, certamente, chegará nos próximos meses aos 500 mil óbitos. Quem viver verá a saga do negacionista Bolsonaro!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL – CASA DA MÃE JOANA

Enquanto países sérios exigem quarentena de visitantes estrangeiros e de nacionais em retorno, o Brasil segue de portas e fronteiras escancaradas, desprezando a letalidade do contágio da macabra pandemia, que se desdobra em novas ondas. É a casa da mãe Joana. Até quando?

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

PANDEMICIDA

Cidades sem vacinas que viabilizem a aplicação da 2ª dose para imunização dos grupos prioritários, assunção de 400 mil mortes e projeção de atingir 1 milhão até o fim do ano, difusão da nova cepa do vírus proveniente de Manaus entre os jovens,  enfim, parte das circunstâncias mais do que justificáveis para nomear Jair Bolsonaro como o primeiro pandemicida do País.

Almagro alerta que El Salvador segue caminho similar a Venezuela e Cuba

  Almagro alerta que El Salvador segue caminho similar a Venezuela e Cuba O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, pediu nesta quarta-feira (5) ao presidente de El Salvador, Nayib Bukele, para respeitar a independência de poderes e a abandonar o caminho percorrido pela Venezuela, Cuba, Nicarágua e Bolívia. "Se o presidente Bukele agir incorretamente em um futuro próximo, tomará o caminho onde já estão Venezuela, Cuba, Nicarágua e Bolívia", disse o diplomata uruguaio em um fórum em Miami. "Eles já estão lá", acrescentou a respeito dos governos desses países, que no passado qualificou como sendo ditatoriais. "Com poderes judiciários cooptados, com uma dinâmica de perseguição política", afirmou.

Ele merece.

Lairton Costa lairton.costa@yahoo.com.br

São Paulo

*

CPI DA COVID

Tá na moda, muitos antecipam o fim do governo Bolsonaro. Será?

Não vou aqui defendê-lo, entendo ter sido ele um péssimo estrategista, pois teve condições de colocar o Brasil na liderança do combate ao coronavírus na América do Sul, talvez do mundo, e deixou a oportunidade escapar. Com isso chegamos a 400 mil mortos. Agora, essa CPI, com um presidente que em 2019 teve a mulher e irmãos acusados de fraudes na Saúde do Amazonas e com um relator dono de uma enorme capivara, não passa de um teatro de horrores. Falsa como uma nota de 3 reais.

Vamos cair na real, ninguém ali está preocupado com as 400 mil vidas perdidas nem com o sofrimento de 400 mil famílias.

A CPI foi montada apenas com interesses políticos e para tirar alguns senadores do ostracismo.

Infelizmente, este é o Senado que nós temos, todos de olho em 2022.

João Paulo de O Lepper jp@seculovinteum.com.br

Cabo Frio (RJ)

*

NOVO MINISTRO, VELHA SAÚDE

Além da inadequada defesa de Jair Messias Bolsonaro, o ministro Queiroga pede ajuda de outros países no combate à covid. Esqueceu de mencionar o que farão para trocar a corrupção na Saúde por compra de vacinas e medicamentos e, principalmente,  sugerir a Bolsonaro 400 mil minutos de silêncio em respeito aos mortos.

Carlos Gaspar carlos-gaspar@uol.com.br

São Paulo

*

O SALVADOR DA PÁTRIA

Quem poderia imaginar que  o senador alagoano Renan Calheiros, enrolado até o pescoço em inúmeros processos e, por enquanto, salvo graças à imunidade parlamentar, seria o relator da CPI da Covid-19. Um investigado no papel de investigador. Todos nós sabemos que uma CPI não leva a lugar nenhum. O eleitor, apesar  da falta de imunizante, está vacinado contra Bolsonaro e  também contra Lula da Silva. A grande questão é descobrir quem será o salvador da pátria.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

POR QUÊ?

O ministro da Saúde apareceu pedindo humildemente aos países em condições que nos passem suas vacinas excedentes, já que a nossa carência do imunizante é desesperadora perante o número de mortes.

Por que então o presidente recusa a se vacinar? E por que o seu chefe da Casa Civil, general Ramos, se sente obrigado a tomar a vacina escondido para não melindrar o presidente? Qual a razão para essa aversão à única coisa que pode nos salvar? Isso só prova que a falta de vacinas, que poderiam ter impedido o flagelo de 400 mil mortes, se deve a essa fobia à vida – a do próximo – inclusive de seus apoiadores,  porque os seus, com certeza, já tomaram suas doses.

Dá até para imaginar que o presidente, para não dar o braço a torcer, se negue a confessar já ter tomado sua dose. Não fosse assim, não se poria no meio do povo, até porque ele já deve ter sido informado por seus médicos  que sua imunidade acabou após três meses da cura da covid-19. O bom exemplo faz muita falta para o povo mais desinformado e ou imprudente. Que lástima! Não merecemos isso! Nem sequer os inconsequentes que saem às ruas se aglomerando pedindo “Intervenção militar com Bolsonaro no poder”. Valha-nos Deus!  Além de tudo, querem que nos transformemos num arremedo de Venezuela. Tragédia pouca é bobagem!

Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas

*

PEDESTAL PODRE

Faz alguns anos que estamos cultivando a mania de devotar “santo de pau oco”. Explicando: nos últimos anos, no dia 1º de maio, Dia do Trabalhador , adotamos a mania de puxar o saco de não trabalhadores. Minha memória fala do Lula, do Paulinho, do Getúlio, do Brizola e do Bolsonaro. Todos sugadores e nada de trabalho. A maldita dobradiça na espinha nos impede de defenestrar os enganadores. Assim, temos o rei, a rainha, o pai dos pobres e o mito.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais

*

O POVO É O PATRÃO

Os manifestantes que se reuniram nas ruas das principais capitais do País, no último sábado, parecem que desconhecem os números dessa séria pandemia, que já matou 406 mil brasileiros. Centenas de pessoas aglomeradas, sem máscaras, gritando e transmitindo o novo coronavírus livremente, é sem dúvida uma demonstração de idiotice comunitária. O momento é crítico e devemos ficar em casa, protegendo-nos das 60 mil contaminações diárias, que têm sido registradas nas últimas semanas. Agora é muito tarde para apoiar o presidente Bolsonaro, que apresentou medicamentos milagrosos para a prevenção da contaminação pela covid-19. Parece que a mentira não tem fim nesse incompetente governo de segunda categoria. O dinheiro que deveria ter sido destinado aos hospitais de campanha, aos respiradores, aos novos leitos de UTI e outros equipamentos médicos sumiu em meio à proposital bagunça em que se transformou esse flagelo. Queremos o nosso dinheiro de volta e a vacinação célere e bem planejada. Isso é pedir muito aos nossos funcionários públicos?

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

PÁTRIA AMADA BRASIL

Foi realmente gratificante ver os únicos brasileiros honestos se reunirem no último sábado, na Avenida Paulista, para protestar e exigir um novo golpe militar. Nossa democracia é maravilhosa. Porém, acredito terem feito a manifestação no local errado.

O local adequado é um cemitério.  Ali perto existe um, na Av. Dr. Arnaldo.

Espero que a próxima manifestação dos “honestos” seja lá, no Cemitério do Araçá, em frente da Faculdade de Medicina e próximo ao Instituto Emilio Ribas.  Sem medo de ser feliz e de pegar covid.

Estarão em boa companhia e, naturalmente, como gostam – silenciosa e obediente.

Valerio Jose Gianini valeriogianini@yahoo.com.br

São Paulo

*

CLAUDIO DE MOURA CASTRO

Claudio de Moura Castro escreveu ontem no Estadão O curioso trajeto da faquinha ‘sloyd’, que me remeteu aos bancos escolares do Alexandre de Gusmão, nos anos 60, onde o slogan era: entra burro sai ladrão. Não me tornei um ladrão e penso que, apesar de continuar sendo de certa forma pertencente à classe dos jumentos, progredi por ter, naqueles tempos, aulas de trabalhos manuais (salve saudoso mestre dos fiotechs, réguas e esquadros na criação de formas geométricas tridimensionais). Mas há também, na edição de hoje, a notícia da posse de Cláudio Castro no governo do Estado do Rio de janeiro, que prega reconstrução. Mera coincidência de nome e sobrenome?

Carlos Leonel Imenes leonelzucaimenes@gmail.com

Nazaré Paulista

*

O BRASIL DE VOLTA À ESCRAVIDÃO

O presidente Bolsonaro fez questão de deixar bem claro que não haverá desapropriação ou punição alguma aos escravocratas, pois isso poderia colocar em risco o direito à propriedade. Na visão do presidente da República, o direito à propriedade se sobrepõe ao direito à vida e à liberdade. Bolsonaro comete na gestão do meio ambiente os mesmos erros bárbaros que cometeu na gestão da pandemia: ele quer liberar a mineração na Amazônia, acabar com as multas, confiscos e desapropriações para quem comete crimes ambientais, regularizar a grilagem de terras, acabar com as áreas de preservação ambiental e acabar com as reservas indígenas. A ideia de Bolsonaro para acabar com o desmatamento ilegal é tornar legal o desmatamento, por meio de decretos. O Brasil precisa criar um pouco de vergonha na cara e acabar imediatamente com o catastrófico governo de Jair Bolsonaro.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

ENGASGADO NÍVEL DE EMPREGO

Pelo Cadastro-Geral de Emprego e Desemprego (Caged), no mês de março foram criados 184.140 novos postos de trabalho com carteira assinada, acumulando 837.166 novas vagas neste primeiro trimestre de 2021. Como destaque, o setor de serviços criou 95,5 mil postos; construção civil, 25 mil; e o comércio, 18 mil. Já em outra pesquisa divulgada pelo IBGE, a Pnad Continua, os números são preocupantes. Porque, no trimestre entre dezembro, janeiro e fevereiro, o desemprego subiu de 14,2% para 14,4%, atingiu um recorde de 14,4 milhões de pessoas sem trabalho. Em relação a 2020, houve aumento de 19,6% no desemprego, ou 2,08 milhões de pessoas sem trabalho.  Porém, especialistas já presumem que, nas próximas pesquisas da Pnad Contínua, o número do desemprego poderá se apresentar maior, porque em março e abril foi alto o número de trabalhadores demitidos, em função da pandemia.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

GUEDES, SUAS PLATITUDES O DESACREDITAM!

Ainda durante a campanha eleitoral – ou logo após a posse –, o ministro Paulo Guedes,  falando de suas experiências anteriores, mencionou sua passagem pelo Chile, onde participou da formulação de um plano econômico, ainda durante o governo de Pinochet. Também fez questão de jactar-se sobre  um convite da presidente Dilma Rousseff para jantar. A seu ver, disposta a ouvir  suas ideias e propostas para a área econômica – na época o governo petista ia de mal a pior. Indagado, adiantou que ela não o sondou e, tampouco, o convidou para assumir algum ministério. Tudo leva a crer que, mesmo sendo abestada, Dilma não se deixou levar pelas platitudes do atual ministro da Economia – certamente, suponho eu, não levou a sério a fala destrambelhada do economista. Depois, encantou-se com Jair Bolsonaro que lhe propunha – imaginem! – “carta branca” para se tornar uma espécie de czar no, ainda eventual, governo, que prometia ser liberal. Empolgado, Paulo Guedes desenhou um ministério para chamar de seu, que ia de A a Z no espectro administrativo estatal – inimaginável que daria certo enfeixar pastas de diferentes matizes sob comando único. O tempo, as estripulias do presidente da República e a própria limitação do superministro acabaram desidratando a pasta. Tudo isso, aliado à fala e ao comportamento afoito de Paulo Guedes, levou o ministério a perder a estatura e vitalidade. Atualmente, já não contando mais com o prestígio de então – chegando mesmo a ser confrontado por outras áreas e em algumas oportunidades sendo superado – apequenou-se e demonstrando insegurança acabou por se perder no emaranhado dos seus próprios discursos, geralmente pautados por platitudes e grosserias inadmissíveis para um gestor público. Como outras figuras, então expressivas e valorizadas no início do governo, agora parece estar se tornando  um pária que mais atrapalha – tal qual o seu presidente. Finalmente, tudo indica que tenha acertado ao diagnosticar: “O Brasil está quebrado”.

Noel Gonçalves Cerqueira noelcerqueira@gmail.com

Jacarezinho  (PR)

*

‘VELHACOS’

Mais uma vez, o meu Brasil perderá excelente oportunidade de emergir do caos econômico e reduzir nossa desigualdade social. Nossas contas externas apresentam superávit em transações correntes, situação que raramente testemunhei na minha existência.

Infelizmente, esse êxito em nada contribuirá, para nossas contas internas , pois nossa economia vem sendo prejudicada pela instabilidade política,  que gera expectativa negativa no crescimento do PIB e baixa confiança para investimentos internos e externos. Agrava essa situação a decisão dos deuses do STF  ressuscitando os Velhacos (maiúscula por favor) do Congresso  para promover uma CPI, contra um governo  perdido numa luta contra a epidemia, que corrói vidas diante de um labirinto de indecisões. O que querem? Sangrar a nação? Caminhar sobre o manto do imponderável,  onde um simples acontecimento  pode virar  estopim para o caos?

Velhacos, que país vocês preparam para seus netos viverem ?

Sun Tzu  recomenda, no seu livro A Arte da Guerra: deixe sempre uma saída para o inimigo acuado,  para que ele não se volte contra você,  em situação de desespero.

Osvaldo  Carneiro Filho osvaldo.carneiro@yahoo.com.br

*

MUITAS MORTES E POUCOS EMPREGOS.

Com mais de 400 mil mortes pela covid-19 e mais de 14,4 milhões de desocupados, o Brasil não pode alardear que tenha um bom governo, porque a verdade está estampada na imprensa internacional, impossibilitando as negativas. Além dos sérios problemas de desmatamentos, do negacionismo que impera na administração da República e das incertezas jurídicas que predominam nas relações comerciais e penais, na verdade, não temos um norte animador e confiável para oferecer aos investidores nacionais e alienígenas. Eis que o nosso ativo momentâneo são mortes, ausência de empregos e desconfiança generalizada nas autoridades republicanas que geram uma falta de credibilidade capaz de afetar profundamente o desenvolvimento nacional. O editorial do Estadão Sem vacina, sem emprego (A/3, 2/5) apresenta, sem rodeios, o filme nacional, que não está em exibição em países menores e com muito menos recursos que o nosso. Infelizmente.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

DIA DO TRABALHO

Não me deu tempo de escrever esta carta antes do 1º de maio, mas a mensagem traduz uma preocupação com o trabalho que continua válida também depois da referida data. Falando de trabalho, de acordo com o Relatório do Futuro do Emprego de 2020 do Fórum Econômico Mundial, 85 milhões de empregos devem ser substituídos pela mudança no trabalho entre humanos e máquinas até 2025, enquanto 97 milhões de novos papéis podem surgir – os chamados “empregos do futuro”. Quer dizer que a automação não vai acabar com meu emprego? Sinceramente, depende. Isto é verdade se você estiver apto a exercer uma função no futuro mercado de trabalho. Cargos básicos com tarefas rotineiras não têm futuro. Computadores e robôs os farão com maior qualidade, menor custo e muito menor margem de erro. E em que funções a demanda aumentará?  Entre outras: analistas e cientistas de dados, especialistas em IA e aprendizado de máquina, especialistas em Big Data, marketing digital, especialistas em automação de processos, profissionais de desenvolvimento de negócios, analistas de segurança da informação, profissionais de bancos de dados, etc. Por que eu estou escrevendo a respeito disso? Para sugerir duas coisas: 1ª) que as faculdades e cursos técnicos revisem os currículos com urgência para capacitarem os nossos alunos a participar do mercado de trabalho no futuro. 2ª) Que o País como um todo disponibilize um amplo treinamento para as pessoas que atualmente exercem funções que se planeja eliminar ou reduzir significativamente nos próximos 10/20 anos. Esperar ficarem desempregados para depois tomarmos providência é um absurdo. São uma ou mais dezenas de milhões de trabalhadores dos quais dependem muitas famílias.

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

PARA ALÉM DO HORIZONTE

Os participantes do encontro promovido pelo presidente americano para discutir o clima unanimemente decidiram em uma canetada que suas economias serão carbono zero até 2050. A data não foi escolhida por acaso. Além de marcar a metade do século, ela está além, muito além da linha do horizonte. Tão além do horizonte que a totalidade dos políticos signatários provavelmente não estará entre nós quando lá chegarmos. Dessa forma, o atento observador, que percebe que as grandes potências econômicas descumprem suas metas climáticas desde sempre, não pode receber essa informação senão com desânimo e ceticismo.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

Almagro alerta que El Salvador segue caminho similar a Venezuela e Cuba .
O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, pediu nesta quarta-feira (5) ao presidente de El Salvador, Nayib Bukele, para respeitar a independência de poderes e a abandonar o caminho percorrido pela Venezuela, Cuba, Nicarágua e Bolívia. "Se o presidente Bukele agir incorretamente em um futuro próximo, tomará o caminho onde já estão Venezuela, Cuba, Nicarágua e Bolívia", disse o diplomata uruguaio em um fórum em Miami. "Eles já estão lá", acrescentou a respeito dos governos desses países, que no passado qualificou como sendo ditatoriais. "Com poderes judiciários cooptados, com uma dinâmica de perseguição política", afirmou.

usr: 3
Isto é interessante!