Brasil Domingos restritos freiam tráfego intenso na reabertura de BH

18:47  04 maio  2021
18:47  04 maio  2021 Fonte:   em.com.br

Supermercado se antecipa e anuncia abertura aos domingos em BH

  Supermercado se antecipa e anuncia abertura aos domingos em BH Expectativa é de que a prefeitura atualize as informações sobre os serviços da capital em coletiva marcada para as 10h30Nesta quarta-feira (6/5), quem passou pela unidade do Supermercados BH no Bairro Palmares, na Região Nordeste de Belo Horizonte, encontrou faixas e cartazes comunicando a abertura aos domingos, das 8h às 19h. Os anúncios não estavam lá nos últimos dias. As fotos foram feitas pouco antes das 9h de hoje.

A retomada das atividades não essenciais em Belo Horizonte após 46 dias de progressivas restrições de funcionamento para controle da COVID-19 ainda não se refletiu em disparada do tráfego na capital mineira e um dos motivos foi a manutenção dos domingos com restrições.

Movimento aumentou com a reabertura das atividades, mas não de forma vigorosa, segundo Waze e BHTrans © Jair Amaral/EM/D.A.Press Movimento aumentou com a reabertura das atividades, mas não de forma vigorosa, segundo Waze e BHTrans

Nos primeiros 11 dias após a flexibilização, entre 22 de abril e 2 de maio de 2021, o trânsito registrou 5 pontos percentuais de alta, segundo monitoramento do aplicativo de transporte Waze. No período de suspensão gradual das atividades não essenciais, entre 6 de março e 21 de abril, o trânsito registrado pela ferramenta em BH estava em média 30% abaixo do volume normal pré-pandemia. Com a reabertura sob regras sanitárias, subiu para -25% do comportamento observado antes da chegada do novo coronavírus (Sars-CoV-2) à cidade.

No 1º dia útil de reabertura em SP, restaurantes e bares veem menos da metade dos clientes de volta

  No 1º dia útil de reabertura em SP, restaurantes e bares veem menos da metade dos clientes de volta Comparação é com o início de março, quando comércio e serviços não essenciais foram fechados pelo governo estadual para frear a covid-19;Foram 50 dias de fechamento. Bares e restaurantes estavam com cadeados nas portas desde o dia 6 de março (o delivery estava liberado), quando o governo estadual regrediu todo o estado da fase laranja para a fase vermelha do plano de flexibilização econômica da quarentena em meio ao combate à pandemia.

Boa parte desse impacto se refere aos domingos, que durante os dois primeiros meses de 2021 tinham 30% menos movimento que um dia regular, caíram para -41% com as restrições, mas subiram para apenas -35% com a reabertura não os incluindo.

O volume atual de carros, motos, ônibus e caminhões é semelhante a agosto de 2020, que apresentou -28,7% de movimento, logo após mais uma flexibilixação seguindo o primeiro pico de disseminação e morte da pandemia na capital mineira, em julho de 2020. Na época desse pico, o tráfego chegou a ser 42% menor que os volumes pré-pandêmicos.

A nova fórmula de flexibilização ajudou a controlar os índices de tráfego e com isso a movimentação das pessoas. Isso, porque aos domingos apenas atividades essenciais podem abrir. O dia da semana é exatamente o que mais volumes de veículos transitando registrou durante a pandemia.

Abrasel reclama que bares e restaurantes de BH seguem fechados aos domingos

  Abrasel reclama que bares e restaurantes de BH seguem fechados aos domingos Nesta quinta-feira (6/5), o prefeito Alexandre Kalil anunciou que apenas supermercados e padarias poderão funcionar a partir deste domingo (9/5)Conforme anunciado pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD) nesta quinta-feira (6/5), apenas supermercados e padarias poderão voltar à atividade na data.

Com isso, os dias que mais registraram movimento em BH após a reabertura foram a segunda-feira, dia 26 de abril, com -11% do normal antes da epidemia, e a terça-feira seguinte, dia 27, com -18%, o primeiro início de semana de trabalho com flexibilização.

  Domingos restritos freiam tráfego intenso na reabertura de BH O maior pico registrado em 2021, com a chegada das novas variantes, ocorreu em fevereiro, mês do carnaval. Mesmo com os apelos do Comitê de Enfrentamento à COVID-19 da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), o mês da folia foi intenso e computou -16% do volume médio antes da infecção. Apenas em dezembro de 2020 e em janeiro de 2021 o movimento foi mais intenso em média, antes das variantes que vieram de Manaus, em uma época de índices controlados, apresentando -14,1% e -13,5% respectivamente.

O mais alto pico de tráfego de toda a pandemia ocorreu às vésperas do natal, em 22 de dezembro, quando a quantidade de veículos nas ruas belo-horizontinas foi 11% superior ao  correspondente pré-pandemia. Em 2021, o dia 22 de fevereiro foi o mais movimentado, com 1% acima do esperado antes da doença infecciosa circular.

Kalil libera supermercados e padarias em BH aos domingos

  Kalil libera supermercados e padarias em BH aos domingos Diante dos indicadores de ocupação de UTIs e enfermarias e transmissão, prefeito atende demanda de comerciantes. Bares e restaurantes ampliam horáriosPublicação do Facebook relacionada

Área da Contorno - A empresa de transporte e trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) também registrou um aumento modesto no tráfego de veículos pelas ruas do perímetro interno da Avenida do Contorno após a reabertura. Durante a vigência da suspensão de atividades não essenciais, foram computados 74,3% do volume normal de veículos, com média diária de 208.047 veículos circulando no perímetro semanalmente, sendo que o normal seriam 280 mil.

Na semana mais recente monitorada pela BHTrans com dias de flexibilização, entre os dias 18 e 24 de abril - apenas os dias 22, 23 e 24 são de reabertura -, o volume foi de 215.298, ou 77% do fluxo comum. A BHTrans informa que durante a pandemia há regras de circulação adaptadas. Está dispensada, por exemplo, a ativação dos créditos eletrônicos do Sistema de Estacionamento Rotativo na Área Hospitalar. A medida permanece até a sua revogação.

"A área hospitalar, liberada para o uso do rotativo, compreende as vias internas ao perímetro: Avenida dos Andradas com Alameda Ezequiel Dias, seguindo as avenidas dos Andradas, do Contorno, Carandaí, Brasil, Afonso Pena, Rua Pernambuco e Alameda Ezequiel Dias até avenida dos Andradas", informa a empresa.

Brasileira que voltou do Brasil para a França conta como vive a quarentena rígida

  Brasileira que voltou do Brasil para a França conta como vive a quarentena rígida A mineira Rubiana Fortes chegou do Brasil neste domingo (25) num dos primeiros voos liberados após a suspensão do tráfego aéreo entre o Brasil e a França, no dia 13 de abril. Residente na França há mais de quatro anos, ela não teve problemas para entrar no país, mas está impedida de voltar ao trabalho e de sair de casa durante dez dias. Caso desrespeite as regras, está sujeira a uma multa de € 1.500, cerca de R$ 10 mil. Se houver reincidência, a multa sobe para € 3.000. © Arquivo pessoal O fechamento das fronteiras da França para voos vindos do Brasil, no dia 13 de abril, pegou muita gente de surpresa.

Movimento de passageiros também foi maior que no período de restrições, mas não em volume absurdo © Jair Amaral/EM/D.A.Press Movimento de passageiros também foi maior que no período de restrições, mas não em volume absurdo Em uma semana de dias úteis típicos, a média de passageiros transportados todos os dias seria de 1.271.755, sendo cumpridas 24.741 viagens. Durante a suspensão das atividades não essenciais, esse volume foi de 542.133, o que representa 42,6% dos passageiros. Já as viagens encolheram para 57%, com média diária de 14.112.

A reabertura representou uma demanda de 591.462 passageiros (47%) com 14.398 (58%) viagens, lembrando que o período mais recente computado pela BHTrans é entre os dias 18 e 24 de abril, contendo apenas os dias 22, 23 e 24 de reabertura das atividades.

A empresa informa que durante a pandemia os quadros de horários das linhas do transporte coletivo municipal estão alterados. "As mudanças são definidas de acordo com os decretos publicados e demandas de viagens. Todos os dias a operação do sistema é analisada e, havendo necessidade, são feitas adequações para o dia seguinte. Diariamente a BHTtrans fiscaliza a operação do transporte coletivo e, sempre que necessário, notifica os consórcios para que disponibilizem ônibus extras para suprir a demanda. O monitoramento acontece também por meio de câmeras do COP.

Dados do Waze - Os dados de variação percentual de quilômetros/milhas rodados compartilhados são agregados, anonimizados e provenientes do aplicativo Waze. Segundo esse  serviço, que é um dos braços do Google, os dados mostram o aumento ou a redução dos quilômetros rodados como uma variação percentual comparada a dados de base.

Sol e esportes ao ar livre, mas com distanciamento

  Sol e esportes ao ar livre, mas com distanciamento Reabertura de clubes de lazer atraiu bom público, com a devida sinalização para evitar aglomerações. Retorno de visitantes aos parques será gradativoMarcolino Júnior comemorou a reabertura, ressaltando que o segmento “é um dos que mais oferecem maior segurança para as pessoas. Sempre mativemos aferição de temperatura, álcool em gel espalhado, monitoramento dos associados, além do fato de serem atividades de saúde e ao ar livre”.

"As variações por dia são comparadas a valores de base referentes ao mesmo dia da semana. O valor de base é uma média do dia da semana correspondente durante um período de duas semanas (11 a 25 de fevereiro de 2020)", informa o aplicativo.

Os relatórios mostram tendências de duas semanas considerando os dados mais recentes de aproximadamente dois a três dias anteriores. "Como acontece com todas as amostras, isso pode ou não representar o comportamento exato de uma população maior. Tratatam-se de "insights que foram gerados com base em critérios de privacidade diferenciados para proteção da privacidade dos usuários. Nenhuma informação de identificação pessoal (como local, contatos ou deslocamento de um indivíduo) é incluída nesses dados".

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.

Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

Ruas de bares têm clientes sem máscara e aglomerações em SP

  Ruas de bares têm clientes sem máscara e aglomerações em SP Gerentes falam em dificuldade de controlar frequentadores do lado de fora; blitze no Estado tiveram 234 detidosApós um sábado em que o fim de tarde se mostrou o mais problemático, com cenas de aglomerações em frente a restaurantes/bares, hoje foi possível ver mais fiscalização, mas ainda houve desrespeito de regras.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

  • Veja onde estão concentrados os casos em BH
  • Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

  • Animais de estimação no ambiente doméstico precisam de atenção especial

  • Coronavírus x gripe espanhola em BH: erros (e soluções) são os mesmos de 100 anos atrás

Sindicato das escolas particulares vai propor reabertura para Grande BH .
Sinep-MG já tem reunião com as prefeituras de Contagem e Nova Lima nesta semana

usr: 2
Isto é interessante!