Brasil RS: Policial militar mata a tiros quatro pessoas em pizzaria de Porto Alegre

00:30  14 junho  2021
00:30  14 junho  2021 Fonte:   istoe.com.br

COVID-19: Pouso Alegre não seguirá novas restrições da onda vermelha

  COVID-19: Pouso Alegre não seguirá novas restrições da onda vermelha A cidade está fora do 'Minas Consciente' e por isso valem as regras do último decreto municipal, que autorizou a reabertura do comércio, após a onda roxaA partir do próximo domingo, dia 06, as cidades do Sul de Minas, que estão na onda vermelha do programa Minas Consciente, vão ter novas restrições de combate à pandemia da Covid-19. Entre as novas medidas estão a proibição de eventos, de atrativos culturais e naturais; proibição de academias, clubes e salões de beleza; alimentação em bares e restaurantes fica limitada até 19h; após este horário, apenas delivery, sem retirada em balcão.

Uma tragédia aconteceu em uma pizzaria na Avenida Manoel Elias, em Porto Alegre (RS), na madrugada deste domingo (13). Quatro pessoas foram mortas a tiros por um policial militar, de acordo com a Polícia Civil.

+ G7 promete doar 1 bilhão de vacinas contra a covid-19 até 2022

+ Parlamento aprova nova coalizão e encerra governo Netanyahu

O Departamento de Homicídios de Porto Alegre investiga o caso, e segundo informações, o homem teria se desentendido com um grupo de seis pessoas no local. “Ele tentou se esconder e as pessoas foram pra cima ele. Ele estava sozinho, eram seis pessoas [no grupo] e colocaram numa situação ‘embretado’ num canto, onde tinha um armário. Segundo a versão dele, não tinha outra forma de se defender, correndo o risco de ter a arma retirada e ser morto pela própria arma”, disse a delegada Vanessa Pitrez.

O policial militar se apresentou à polícia e entregou a arma após cometer os disparos. Ele alega legítima defesa e, por isso, não foi autuado em flagrante. “Temos uma situação de possível legítima defesa, que ao longo da investigação será apurada, com outras provas e depoimentos, para ver se se confirma”, completa a delegada.

Posseiros da Mata do Japonês reivindicam usucapião da terra .
Grupo afirma ter ocupado o local sem comprar lotes de forma ilegal

usr: 8
Isto é interessante!