Brasil Estação Livre recebe Mônica Calazans, primeira vacinada contra a Covid-19 no Brasil

06:06  19 junho  2021
06:06  19 junho  2021 Fonte:   tvcultura.com.br

Governo do Estado e prefeituras de São Paulo não vão desobrigar o uso de máscaras

  Governo do Estado e prefeituras de São Paulo não vão desobrigar o uso de máscaras Governadores do Nordeste e Centro-Oeste também reforçam a impotância e obrigatoriedade da proteção facial para conter disseminação do coronavírusO governo paulista se posicionou no sentido de fazer cumprir o decreto estadual 64.959/2020 que estabelece o uso geral e obrigatório de máscaras. O secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, disse que, independentemente de qualquer decisão federal, a orientação é para que os prefeitos paulistas continuem exigindo o uso da proteção facial. "Nós aqui vamos pela medicina e pela ciência. Nossa orientação aos prefeitos é que preservem a vida da população e sigam com a utilização da máscara", disse.

No Estação Livre desta sexta (18), a pauta é vacinação. Para falar sobre o assunto, o programa recebeu Mônica Calazans, primeira vacinada contra a Covid-19 do Brasil.

  Estação Livre recebe Mônica Calazans, primeira vacinada contra a Covid-19 no Brasil © Reprodução/TV Cultura

Mônica recebeu a primeira dose da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan, em 17 de janeiro deste ano. O momento foi o pontapé inicial da imunização contra a Covid-19 no país.

Leia também: Veja como é produzida a ButanVac, vacina contra a Covid-19 feita 100% no Brasil

"Antes do dia 17, a gente não tinha nada. Agora, a gente tem a vacina, o que, na minha opinião, é a única coisa que vai poder salvar a população", afirmou.

Cidades paulistas vacinam em ritmo desigual e cobertura varia de 11% a 63%

  Cidades paulistas vacinam em ritmo desigual e cobertura varia de 11% a 63% Há problemas pontuais, como em Ilhabela, onde de 9.674 com a 1ª dose só 3.648 receberam a 2ª; Balbinos, com piores números, teve atraso na definição para os presos. Algumas se queixam da falta de doses, mas Estado alega prioridades e responsabilidade municipalApesar dos avanços no calendário de vacinação paulista, com previsão de imunizar todos os adultos até 15 de setembro, o ritmo nas cidades ainda é desigual, com variações na primeira dose de 11% a 63% de cobertura total. Algumas se queixam de falta de doses, enquanto outras estão mais adiantadas do que prevê o calendário do Estado.

"Como profissional da saúde, como enfermeira, nós estamos na linha de frente, nós sabemos muito bem o que estamos passando. Essa questão de eu ter sido a primeira vacina também representa que eu sou uma pessoa comum, sou enfermeira, moradora da Zona Leste, trabalho todos os dias. Esse é o perfil dos brasileiros. Essa representatividade foi muito importante, fiquei muito feliz com tudo isso", completou a enfermeira.

Leia também: Espaço dedicado ao legado de Sueli Carneiro será aberto ao público

Veja o trecho:

Para falar sobre vacinas, a jornalista Cris Guterres recebeu também Raquel Stucchi, infectologista da Unicamp, e Keilla Freitas, infectologista do Hospital Sírio Libanês.

Assista ao Estação Livre na íntegra:

O programa é parte da grade de jornalismo da TV Cultura. A emissora, que já tinha em sua programação o Roda Viva e o #Provoca, às segundas e terças-feiras, no início de 2021 lançou os programas Manhattan Connection e Linhas Cruzadas, às quartas e quintas-feiras, e agora, completa a faixa semanal das 22h, com o Estação Livre.

'Saudade é diária e infinita': a professora que comoveu as redes lembrando parentes mortos ao ser vacinada .
Ao ser imunizada, Tallyta Cerqueira mostrou homenagem aos familiares vítimas do novo coronavírus. Uma foto do momento foi compartilhada intensamente nas redes sociais."A vida não espera!", diz o recado. Na folha, ela colocou as datas em que perdeu a avó, o pai e a mãe para a enfermidade causada pelo novo coronavírus. Ao fim, a tag #vacinasim.

usr: 2
Isto é interessante!