Brasil Vacinar jovens é importante para imunidade de rebanho e volta às aulas, apontam especialistas

04:30  12 julho  2021
04:30  12 julho  2021 Fonte:   estadao.com.br

Minas: professores de rede estadual aprovam greve de 12 a 17 de julho

  Minas: professores de rede estadual aprovam greve de 12 a 17 de julho Conselho Geral do sindicato da categoria se reuniu nesta quarta-feira (7/7) para votar a proposta de paralisação das aulas presenciais durante uma semana Os professores da rede estadual de Minas Gerais anunciaram, nesta quarta-feira (7/7), a aprovação de greve de uma semana da categoria, marcada para 12 a 17 de julho.

A inclusão de adolescentes de 12 a 17 anos no calendário de vacinação de São Paulo, anunciada neste domingo, 11, pelo governo do Estado, é vista como uma iniciativa positiva por especialistas em saúde. De acordo com o novo cronograma de imunização apresentado pelo governador João Doria (PSDB), o grupo deve ser vacinado de 23 de agosto a 30 de setembro.

"Vacinar os adolescentes é extremamente importante para chegar ao benefício coletivo da imunidade de rebanho”, diz o epidemiologista e professor da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel) Pedro Hallal. “Inclusive, para permitir a volta às aulas presenciais, que é uma grande prioridade do momento.”

Com 80% de ocupação de UTI, Araçuaí flexibiliza comércio, mas suspende aula

  Com 80% de ocupação de UTI, Araçuaí flexibiliza comércio, mas suspende aula Cidade do Vale do Jequitinhonha publicou novas regras, após queda no número de casos, que começam a valer a partir desta quinta-feira (8/7)

Segundo o epidemiologista, os adolescentes aparentam ser um público que não vai recusar a possibilidade de se vacinar e que, portanto, deve aderir à campanha. “São adolescentes que já estão acostumados a tomar vacina, já são de uma geração que tomou muita vacina na infância e que, em geral, acredita na ciência”, complementa.

O diretor da Fiocruz-SP e professor de Medicina da Universidade de São Carlos (Ufscar) Rodrigo Stabeli relembra que, apesar de o Brasil vivenciar números mais baixos na pandemia em relação há algumas semanas, o patamar em que o País está ainda é superior ao pior dia de 2020.

Em meio a isso, quanto mais rápido a vacinação de São Paulo avança, mais a cobertura vacinal passa a ser significativa, fazendo com que a transmissibilidade e a possibilidade de surgirem novas variantes diminuam. “A antecipação do calendário de São Paulo é importante porque estamos falando do Estado cuja densidade populacional é a maior”, reforça.

'Não podemos vacilar': público de 45 anos é vacinado em BH

  'Não podemos vacilar': público de 45 anos é vacinado em BH Com o avanço da vacinação na capital, faixa etária é a quarta a ser contemplada no calendário da cidade somente nesta semana . © Leandro Couri/EM/D.A Press Soraia Romano de Oliveira recebeu a primeira dose da vacina no posto da UFMG: ''Muito emocionante e um alívio'' A expectativa para um avanço no controle da pandemia também cresce no restante de Minas. O governo de Minas anunciou, nessa quinta-feira (8/7), que todo o público a partir de 18 anos poderá ser imunizado contra o coronavírus até setembro deste ano.O sentimento é compartilhado pela psicóloga Soraia Romano de Oliveira, de 45 anos.

Já o diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), o epidemiologista Renato Kfouri, destaca que, com a chegada de mais doses anunciada pelo governo do Estado, é natural avançar na vacinação de adolescentes. “Até porque nós já temos produtos licenciados no País, com registro para vacinar a população a partir de 12 anos de idade, a vacina da Pfizer”, diz.

Kfouri complementa ainda que a faixa etária de 12 a 17 anos, a qual o governo de São Paulo pretende começar a vacinar em 23 de agosto, já passou a ser incluída nos programas de vacinação de países que estão mais avançados na cobertura vacinal. Desse modo, é pertinente avançar na vacinação dessa população também no Brasil. “Lembrando que, entre os adolescentes, também tem população de risco”, diz o epidemiologista.

Além disso, embora os adolescentes não sejam fortes transmissores da covid-19, eles contribuem para a transmissão da doença. “É necessário, à medida que os produtos em primeiro lugar se mostram seguros para essa população, que a gente expanda o uso das vacinas anticovid para os adolescentes.”

Brasil vislumbra luz no fim do túnel com queda de número de mortes após avanço da vacinação

  Brasil vislumbra luz no fim do túnel com queda de número de mortes após avanço da vacinação Caminho até o controle da pandemia ainda é longo e depende de medidas para diminuir o contágio e a chance de mutações do coronavírus. Com queda de mortes e hospitalizações há duas semanas e avanço da vacinação, especialistas veem possibilidade de “patamar mais tranquilo” no país até o fim do anoCom 13 dias consecutivos de queda na média móvel de mortes por covid-19, uma redução nas internações hospitalares na maioria dos Estados e o avanço da vacinação, o Brasil parece começar a vislumbrar uma luz no fim do túnel para domar a pandemia do coronavírus.

Vacinar adolescentes antes de completar o esquema vacinal de adultos é uma questão que recebe ponderação de especialistas. “Se há falta de doses, eu seguiria com os adultos antes. Se não está havendo falta de doses e está dando para já colocar os adolescentes, eu acho ótimo (incluir novos grupos)”, diz o epidemiologista Pedro Hallal. Segundo ele, quanto mais rápido puder incluir novas faixas etárias, melhor.

A leitura é similar à de Renato Kfouri. O epidemiologista explica que, enquanto o novo ritmo de vacinação e a previsão de chegadas de novas doses atendem esse novo cronograma no Estado de São Paulo, a inclusão de adolescentes é bem-vinda. “Sem inversão de prioridades”, afirma.

Pfizer é a única aprovada para vacinação de crianças e adolescentes

A vacina da Pfizer é o único imunizante, até o momento, aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para vacinação de crianças e adolescentes no Brasil.

Outra possibilidade de vacina para essa faixa seria o imunizante do laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, a Coronavac. Um estudo divulgado em junho pela revista científica The Lancet apontou que o imunizante é seguro e eficaz para pessoas na faixa etária de 3 a 17 anos. Os testes foram feitos na China e a taxa de produção de anticorpos contra o vírus foi superior a 96% após 28 dias da vacinação com duas doses.

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, estudos com estes dados sobre o uso da Coronavac em crianças e adolescentes já foram encaminhados à Anvisa. “Esperamos que seja incorporada essa aprovação do uso emergencial sem a necessidade de estudos adicionais feitos aqui no Brasil”, disse o diretor neste domingo.

Em nota, a Anvisa informou que "até o momento, somente a Pfizer solicitou indicação em bula para crianças com 12+". "Este pedido já foi autorizado. Não há solicitação do Instituto Butantan para alteração de bula da Coronavac e inclusão de crianças e adolescentes. A competência para solicitar a inclusão é do laboratório e deve ser fundamentada em estudos que sustentem a indicação. A Anvisa acompanha todos os estudos desenvolvidos sobre vacinas”, acrescentou o órgão federal.

COVID-19: veja os locais de vacinação para pessoas com 40 anos em BH .
A estimativa da Secretaria Municipal de Saúde é que existam 32 mil moradores na cidade com esta faixa etária . Para se vacinar, é preciso apresentar documento de identificação com foto. Além disso, a pessoa não pode ter recebido outra vacina contra a COVID-19, bem como não ter recebido qualquer outro imunizante nos últimos 14 dias. Quem teve a doença deve esperar 30 dias após o início dos sintomas para se vacinar.

usr: 2
Isto é interessante!