Brasil Fórum dos Leitores

11:48  30 julho  2021
11:48  30 julho  2021 Fonte:   estadao.com.br

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.Ninguém sabe, ninguém viu

Desgoverno Bolsonaro. ‘Eu sou do Centrão’. A grande maioria já sabia do parco e raso conteúdo de Jair Bolsonaro, mas, na esperança de retirar do poder a esquerda corrupta que pilhou o erário, o capitão foi eleito. A esperança era de que, com a nomeação de uma equipe gerencial forte (os ministros), ele somente teria de decidir entre as boas equações formuladas por seu staff .

Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo. Ely weinstein elyw@terra.com.br. São paulo. * Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br. HÉLIO FERNANDES.

Desgoverno Bolsonaro

Choro e ranger de dentes

A cada dia o Brasil desce mais rápido a ladeira. Jair Bolsonaro, um parlamentar medíocre e sem escrúpulos de praticar as chamadas rachadinhas em seu gabinete durante sucessivos mandatos e que ensinou os filhos a cometerem o mesmo crime, elegeu-se prometendo combater a corrupção no Parlamento e em todos os demais setores governamentais. O povo acreditou na balela. Agora ele leva pela mão um dos mais enrolados senadores da República e o coloca na Casa Civil para comandar toda a verba que sai do suado trabalho dos brasileiros, que não suportam mais tantos impostos jogados nas contas de suas excelências. Tudo para tentar apoio para a reeleição. Nós, que chorávamos, agora vamos suar ainda mais e ranger os dentes. Que país injusto com seu povo, que dá o sangue para que as coisas melhorem! Há que avisar aos poderosos que a galinha dos ovos de ouro está agonizando. Até quando assistiremos a tanta falta de amor ao Brasil?

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloNáusea

Desgoverno Bolsonaro. Antes que seja tarde. Forte e incisivo o editorial É preciso reagir antes que seja tarde (5/6, A3). Ou as Forças Armadas se unem contra esse desgoverno, que não só menospreza a vida da população por não dar ouvidos à ciência no combate à pandemia, como tenta contra a sagrada soberania das instituições; ou se consumará o plano de Bolsonaro, que está mais do que claro: impor sua vontade, juntamente com a dos filhos e asseclas

Fórum dos Leitores . Estadão 6 horas atrás Fórum dos Leitores . Eleições municipais. Autonomia do eleitor. Só algumas capitais e grandes cidades conseguiram eleger o prefeito em primeiro turno, destaque para Curitiba e Belo Horizonte. E as urnas mostraram que o povo rejeita tutela.

JANE ARAÚJO JANEANDRADE48@GMAIL.COM

BRASÍLIA

*

Caro demais

A politicalha brasuca é como uma matilha de hienas brigando pelos despojos deste país (país?) apodrecido pela corrupção entranhada na administração pública, que vai do municipal ao federal, porque (des)governado por essa tralha que dá certeza de que jamais o Brasil será Primeiro Mundo. A prova está aí, no mais de meio milhão de mortos pela covid-19 e na culpa maior de um presidente irresponsável que demorou meses para aceitar vacinar a população. Só a partir daí a média de mortes começou a cair, numa prova mais que suficiente para obrigar o Congresso a abrir um processo de impeachment. A situação frágil de Bolsonaro é aproveitada pelas hienas do Congresso Nacional, que está cobrando um absurdo da Nação para evitar que ele sofra impeachment, como mostra a malandragem do imoral fundo eleitoral, que era de R$ 2 bilhões, a Câmara dos Deputados aumentou para R$ 5,7 bilhões e Bolsonaro “ameaçou” vetar, mas aceita deixar por “míseros” R$ 4 bilhões, uma jogada mais que manjada de acordo antecipado. Essa situação leva a perguntar se um país pode funcionar quando é desgovernado por 33 partidos políticos legalizados no Tribunal Superior Eleitoral. E ainda há mais alguns na fila pedindo legalização!

Na Rússia, prefeito de Barbacena recebe alta após infecção por COVID-19

  Na Rússia, prefeito de Barbacena recebe alta após infecção por COVID-19 Chefe do Executivo comunicou a alta hospitalar nas redes sociais; ele foi ao país para participar do Fórum Internacional dos Municípios dos Países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).   As atividades do fórum – entre 2 e 12 de julho – tiveram por objetivo discutir a possibilidade de cooperação entre cidades brasileiras e russas e, consequentemente, estabelecer conexões com representantes comerciais, autoridades e especialistas das áreas de indústria e de exportação na Rússia.

Desgoverno Bolsonaro. Carestia. O custo de vida está nas alturas. Cada vez que se vai ao supermercado, menos alimento se leva para casa. Ponho-me a pensar em como está sendo a vida dos quase 14 milhões de desempregados do País. Se está difícil para quem tem trabalho, imagine-se para quem não tem. Arroz, óleo de soja, tomate, leite e carnes se destacam no aumento dos preços. Mas é melhor não reclamar com o presidente da República, vai doer menos.

Fórum dos Leitores . Estadão 21/02/2021 Fórum dos Leitores . Desgoverno Bolsonaro. Estrago de bilhões.

LAÉRCIO ZANINI SPETTRO@UOL.COM.BR

GARÇA

*

Pandemia e burocracia estatal

Parabéns pelo editorial de 28/7 (A3), pois reflete o pensamento da maioria de nós, brasileiros, que estamos cansados de tantos desencontros no tocante à pandemia que já levou à morte mais de 550 milhões de brasileiros, grande parte dos quais só perdeu a vida por causa da incapacidade desse governo.

HUMBERTO CIRILLO MALTESE CMALTESE@AASP.ORG.BR.

SÃO PAULO

*

Verbas

Não sei que palavra educada se pode usar para qualificar um presidente que aprova R$ 4 bilhões para o fundo eleitoral, mas veta o fornecimento de medicamentos para tratamento de câncer à população.

SHIRLEY SCHREIER SCHREIER@IQ.USP.BR

SÃO PAULO

Ministérios

*

Pelo visto, não vai demorar para termos mais ministérios do que governos anteriores. Promessas de campanha se quebram rápido demais.

MARIA DO CARMO Z. LEME CARDOSO ZAFFALON@UOL.COM.BR

2021 Mock Draft Jumper Brasil – Final

  2021 Mock Draft Jumper Brasil – Final Analistas fazem suas projeções finais das 30 primeiras escolhas do recrutamento deste ano O post 2021 Mock Draft Jumper Brasil – Final apareceu primeiro em Jumper Brasil.

Desgoverno Bolsonaro. De corrupção. O ambiente tóxico no atual momento da política nacional parece ter produzido, entre outros comportamentos deletérios, falta de rigor na apuração das falas presidenciais, sobretudo quando o presidente lança palavras ao vento que são vendidas nas redes sociais como verdade absoluta. A de que acabou com a Lava Jato porque “não tem corrupção no governo” é a mais recente.

Ambas se referiam aos meus comentários no Fórum dos Leitores do Estadão. Logo percebi que se tratava de bolsonaristas fanáticos, pelo teor da escrita. Não respondi, porém achei que eles precisavam saber quem sou, a minha origem e minhas Andei muito de ônibus, bonde e trem. Desde 1980 moro em Piracicaba. Trabalhei na indústria, viajei ao exterior, falo várias línguas, fui secretário municipal, escrevo desde 1987 para vários jornais, publiquei mais de 1.400 artigos, no Fórum dos Leitores

BAURU

*

Economia desmembrada

Depois de fatiar o Ministério da Economia, o Centrão agora quer poder sobre o Orçamento da União, noticia o Estado. Falta pouco para Paulo Guedes pedir as contas...

ROBERT HALLER

SÃO PAULO

*

Birosca

Como transformar o posto Ipiranga em venda de esquina em dois anos, curso rápido e expresso com capitão Bolsonaro.

MAURO LACERDA DE ÁVILA LACERDAAVILA@UOL.COM.BR

SÃO PAULO

*

Ajudante de ordens

Pelo que sei, há lei disciplinando a função de ajudante de ordens da Presidência. A Lei nº 1.608, de 22/5/1952, dispõe que a função será exercida por capitães ou majores. Mas, pelo visto, o capitão instalado no Planalto resolveu colocar um general na função, Walter Braga Netto. No caso do voto impresso, o quatro-estrelas atuou quase como moleque de recados.

JORGE CARRANO CARRANO@CARRANO.ADV.BR

NITERÓI (RJ)

*

Armas no campo

Que país é esse mostrado pela Secretaria de Comunicação do governo Bolsonaro, onde para comemorar o Dia do Agricultor é mostrado um homem com arma de fogo? Não deve ser o Brasil. No meu município de interior, com muitos agricultores, ninguém usa essa “ferramenta”. Por sinal, homenagem correta fez o governo do Estado de São Paulo, mostrando um trabalhador com filho no colo e uma grande plantação.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.Terceira via

ÉLLIS A. OLIVEIRA ELLISCNH@HOTMAIL.COM

CUNHA

*

Petrobras

Sorvedouros

Muito acertada a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, anulando decisão da Justiça do Trabalho que previa pagamentos atrasados de mais de R$ 22 bilhões a empregados da Petrobras. No Brasil é hábito conceder uma infinidade de regalias a empregados de estatais, que já têm altos salários, com sindicatos querendo cada vez mais sangrar essas empresas, o que muito contribui para sua privatização ou extinção. Quem pagaria a conta dos R$ 22 bilhões não seria o presidente da República do momento, e sim toda a população, por meio de aumentos extraordinários nos combustíveis e da consequente repercussão na inflação. Urge privatizar ou extinguir todas as estatais.

HEITOR VIANNA P. FILHO LAGOS@ARARUAMA.COM.BR

ARARUAMA (RJ)

_____________________________________________________

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A ALMA DO GOVERNO

Clichê à parte, a entrega da “alma do governo” de Bolsonaro para o senador Ciro Nogueira remete ao Fausto, de Goethe, em que o dr. Fausto faz um pacto com o diabo Mefistófeles, entregando-lhe sua alma em troca de conhecimento. A única e fundamental diferença é que, enquanto o dr. Fausto é um homem de ciências, Bolsonaro deplora e nega a ciência e entregou a “alma” para, se não conseguir ser reeleito, ao menos salvar sua pele perante a Justiça. A obra de Goethe incita a reflexões éticas profundas. Já o acordo entre Bolsonaro e o senador passa longe da ética.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo.Cadê as provas, capitão?

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

A ALMA E O PAÍS

Jair Messias Bolsonaro, com data de recebimento aprazada para outubro de 2022, vendeu a alma e os interesses maiores do Brasil ao Centrão, entregando a Casa Civil, a voz do governo, a Ciro Nogueira, cuja capivara não é das mais elogiosas, além de outros postos de extrema importância para a governança. Para avivar a memória, analisemos as suas promessas de governo e as suas críticas a quase todas as suas atuais atitudes e posicionamentos, e teremos como resultado a total quebra de palavra e de princípios, a demonstrar que a única condição e conduta para seus direcionamentos éticos é a reeleição. Quem gosta do Brasil e é patriota pode torcer para este time?

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

TERCEIRA VIA

Muito boa a análise do colunista William Waack Bolsonaro terceira via (29/7, A10). O Centrão esperou calmamente que o incompetente e desacreditado Bolsonaro fizesse suas divagações autoritárias, na crença de um apoio militar que só existiu no meio de poucos militares com igual ideologia à do capitão insurgente. Mas não concordo que apostar em Bolsonaro, como a verdadeira terceira via, seja arriscado para o Centrão. Eles vieram do lado que Bolsonaro sucedeu, voltar para lá, hipótese mais radical, não tem o menor risco.

Abel Pires? Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

O CENTRÃO EM DESTAQUE

O artigo do William Waack (29/7, A10) é muito objetivo. Efetivamente, o Centrão, com seus integrantes oportunistas, está em destaque num governo amorfo, com o atual presidente praticamente só fazendo campanha visando à sua reeleição.

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. Paulo Golpe é o que ele quer

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

SEMIPRESIDENCIALISMO

Em matéria intitulada Pré-candidatos à Presidência rejeitam debate sobre semipresidencialismo (29/7), o jornal Estado informa: “Embora tenha ganho aceitação e apoio nos meios políticos, a discussão sobre uma mudança do sistema de governo para o semipresidencialismo encontra resistência entre os pré-candidatos à Presidência. (...) Este sistema híbrido de governo ocorre em países como Portugal e França. O debate sobre o novo modelo ganhou força em meio a uma articulação do presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL). Como mostrou o Estadão, uma minuta do texto foi discutida em reunião de líderes partidários, no dia 13”. Dos dois modelos citados acima, o de Portugal é o mais indicado para ser adotado pelo Brasil, por vários motivos: primeiro, porque, sendo unicameral, acaba com o Senado Federal, reduzindo substancialmente os gastos com o dinheiro público. São bilhões e bilhões de reais desperdiçados todos os anos, que serão economizados e aplicados na implantação da Escola Pública de Tempo Integral em todo o País, o único caminho de ascensão social dos marginalizados. Segundo, por via de consequência, por acabar com um escândalo nacional: o direito que os senadores têm de indicarem seus suplentes, manobra que leva os eleitores a votarem não em um candidato, mas em uma família, como bem exemplifica a situação do senador Ciro Nogueira. Este senador, alçado à condição de eminência parda do governo Bolsonaro, deixou o Senado, mas não o cargo, que foi transferido para sua mãe, uma senhora pacata que vai deixar a poltrona de sua sala de estar para ficar esquentando a cadeira cativa de seu filho no Senado Federal. Acresce a estas razões, em favor da adoção do semipresidencialismo unicameral português, a quebra de uma hegemonia dos nordestinos no Senado Federal, possibilitando, assim, que todos os Estados da Federação possam estar representados segundo o número de seus eleitores no Parlamento unicameral, acabando com o atual sistema em que uns valem mais que outros, desequilibrando a Federação e fazendo prevalecer um modo de vida arcaico que mantém o País no atraso. A Região Nordeste, por exemplo, tem nove Estados, cinco dos quais minúsculos, como Alagoas e Sergipe, todos eles marcados por uma cultura escravista e colonial da qual ainda não se libertaram, ao contrário do que ocorreu nas Regiões Sul e Sudeste, que se modernizaram graças à imigração maciça de italianos, alemães, sírios e libaneses. É esta situação que está estressando a sociedade brasileira, que se vê incapaz de tornar o Brasil um país democrático, obstado pela ação nefasta destes políticos que formam na Câmara dos Deputados o chamado bloco do Centrão, liderado pelo deputado alagoano Arthur Lira, e no Senado Federal, onde mandam e desmandam desde 1985.

Jorge Amado continua desnudando o Brasil mesmo 20 anos depois de sua morte

  Jorge Amado continua desnudando o Brasil mesmo 20 anos depois de sua morte SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Vinte anos depois de sua morte, o romancista Jorge Amado tem suas representações do povo da Bahia reconhecidas pelo pioneirismo na abordagem da cultura popular e das religiões de matriz africana. Fenômeno internacional da literatura brasileira, traduzido em 49 idiomas, Amado teve em vida milhões de leitores e o menoscabo de parte da crítica literária. O escritor baiano morreu em 6 de agosto de 2001, aos 88 anos, em Salvador. Ainda que a popularidade de seus personagens siga intocada, suas heranças literárias são menos reivindicadas por escritores brasileiros contemporâneos. A força histórica de seus romances, no entanto, parece indiscutível.

João Gilberto Parenti Couto jgparenti@hotmail.com

Belo Horizonte

*

FARSA

Com a chegada do pervasivo e indefinido Centrão às entranhas do palácio do Planalto e a sua ocupação do centro nervoso do governo, parece não restar dúvida de que já está vigorando no Brasil, informal, mas efetivamente, o tão decantado semipresidencialismo, por meio do qual o País passa a ser controlado por uma nuvem de partidos liderados por um síndico convidado pelo presidente que, incapaz de derrotar as forças originárias dos parlamentares que agem ao largo do interesse público, só se importando com as ascensões pessoais, abre mão do poder autenticado por quase 60 milhões de eleitores que o escolheram e que, assim, se veem frustrados, ao constatar, mais uma vez, que o chamado governo de coalizão, tentado nos intervalos em que a democracia foi experimentada em sua plenitude na República, é uma farsa que levou chefes de Estado à renúncia, a sofrer processo de impeachment ou a capitular, como agora, quando o atual, em nome de uma sobrevivência política visando às próximas eleições, abre mão de governar para se tornar mero sancionador.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

MISSÃO IMPOSSÍVEL

O mundo está de ponta cabeça, com acontecimentos inusitados e absurdos. Virou moda destruir estátuas de personagens da história e acusar alguém de apropriação cultural. Enquanto o presidente do Brasil recebe deputada alemã da extrema-direita e se curva, ainda mais, ao Centrão nomeando Ciro Nogueira para a Casa Civil, Lula da Silva continua a elogiar os regimes ditatoriais e antidemocráticos de Cuba e da China. Bolsonaro e Lula são dois charlatões nocivos ao Brasil e que merecem ser enclausurados politicamente para sempre. É missão quase impossível escapar de um dos dois, mas acredito, com a graça de Deus, que vai surgir um salvador da Pátria.

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

PARA RELEMBRAR

Finalmente um editorial digno de nota: O devaneio castrista de Lula. Vivemos momento crítico de nossa história recente, em que arroubos de estupidez do nosso atual presidente parecem ter cegado nossa imprensa para os crimes cometidos contra o Brasil, seus vizinhos (Venezuela, Bolívia, Argentina, etc.) e o povo cubano perpetrados por Lula, PT e artistas cegos durante os anos de poder do lulopetismo. Obrigado, Estadão, por relembrar isso.

Cezar Augusto cezarja3008@gmail.com

São Paulo

*

DESCONSTRUÇÃO

Alguém aí, do Estadão, por favor, escreva uma matéria lembrando os brasileiros de que Lula, apesar de solto, tem seus crimes configurados e confirmados. Ele só está solto por causa de procedimentos legais que foram mal feitos, e não por falta de crimes. Precisamos desconstruir as imagens destes dois indivíduos, Lula e Bolsonaro, para abrir caminho para outras opções.

Silvio Sebastião Pinto silvio.sebastiao@gmail.com

São Paulo

*

BALAS DE FESTIM

Os microfones da CPI da covid informam mudanças na escalação do maltrapilho time de governistas: com a saída do titular Ciro Nogueira, Luiz Carlos Heinze passa a ser titular da comissão e Flávio Bolsonaro torna-se suplente. No frigir dos ovos, Bolsonaro continuará dispondo apenas de balas de festim para defender-se do arsenal de balas de canhão dos oposicionistas. Flávio e Heinze são fracos e inexpressivos. As duas alterações não significam bulhufas. Não é nada, não é nada mesmo. Não têm nenhuma força política. Mesmo com o filho 01 na rinha, o governo vai continuar sangrando e caminhando para o abismo.

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

TESTE DE PACIÊNCIA

O Brasil e o mundo sabem que o presidente Bolsonaro fez tudo o que ele bem entendeu na gestão da Saúde na pandemia: demitiu os médicos e passou a mandar em tudo no Ministério da Saúde durante a pior crise de saúde pública da história da humanidade. As intervenções do Supremo Tribunal Federal (STF) foram para conter medidas desastradas propostas por Bolsonaro. Tudo o que Bolsonaro fez foi frontalmente contra as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Se não fosse a atuação do governo de São Paulo, o Brasil estaria ainda mais atrasado na imunização. Bolsonaro continua até hoje recomendando remédios ineficazes para a covid-19. Existem acachapantes evidências de tentativas do governo Bolsonaro de obter propina com a compra das vacinas, fato que atrasou ainda mais a vacinação. Diante de tudo o que já se sabe sobre a gestão da pandemia conduzida por Jair Bolsonaro, é uma vergonha para o Brasil que ele continue na Presidência da República, falando em reeleição. As instituições brasileiras seguem prevaricando, testando a paciência do povo brasileiro e envergonhado o País perante o mundo.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

SAÚDE NÃO ENTREGA VACINAS

O editorial do Estadão de 28/7 com título A vida versus a burocracia estatal esclarece que, enquanto nove capitais do País, tiveram de suspender a vacinação pela falta de imunizantes, o Ministério da Saúde, incompetente que é, mesmo tendo há mais de uma semana em estoque 16 milhões de doses de vacinas, não foi capaz de entregá-las em tempo hábil para que a população fosse imunizada. Um absurdo! Mais uma vez fica evidente que salvar vidas não é a prioridade do Planalto.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

TENTATIVA VERGONHOSA

O governador de São Paulo, João Doria, deve ser considerado pelo presidente Bolsonaro um adversário poderoso nas eleições de 2022. O presidente quer, de toda forma, tentar destruir a imagem da vacina Coronavac, a que mais imunizou a população brasileira, para justificar sua omissão e irresponsabilidade na iniciativa de evitar os mais de 550 mil mortos. Não consegue nem disfarçar suas intenções. Que pague por sua incompetência e ignorância.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

A CHACINA DA COVID CONTINUA

O número de mortos pela covid-19 no Estado de São Paulo dobrou em quatro meses e triplicou em sete meses. No Rio de Janeiro, dobrou em seis meses e triplicou em nove meses. A situação em Minas Gerais também está muito séria, pois dobrou em quatro meses e triplicou em menos de cinco meses. O Brasil perdeu 553.272 pessoas durante a pandemia. Apenas 18,4% da população está totalmente vacinada. Perdemos os nossos entes queridos, as nossas crianças em fase escolar foram prejudicadas, gastamos bilhões de reais de forma incorreta e a insegurança tomou conta de grande parte da população. As autoridades brasileiras precisam se empenhar em acelerar a imunização do nosso povo. Chega de mortes por ineficiência dos responsáveis pela Saúde em nosso país.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

PREÇOS

O preço de tudo não para de subir. De 2020 até o momento, a maioria dos produtos alimentares e de higiene subiram entre 35% a 90%. Ir ao supermercado não é prazeroso, pois compramos menos e pagamos mais! O preço dos veículos 0 km subiram quase 20% e o dos combustíveis, 25% só este ano. E os “vilões” sempre são o dólar e os combustíveis, evidente que a pandemia ajudou e muito, associado aos oportunistas do momento. Acredito que os salários dos trabalhadores e aposentados deveriam ter reajustes baseados na alta do dólar e combustíveis, pois os dois ainda determinam a nossa economia.

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

A REFORMA TRIBUTÁRIA SE ARRASTA

Desde o início do governo Bolsonaro, o Ministério da Economia fala sobre a bendita reforma tributária. Promessas, estudos, tetos, taxas, índices, entre outras mirabolantes equações são feitas, dia sim e outro também, mas sempre fica tudo na intenção e na promessa. Afinal, continua “tudo como dantes no quartel d’Abrantes”, como dizia aquela senhorinha de Taubaté. Até se parece com as promessas de compra de milhões de vacinas imunizantes, mas que não são entregues ou distribuídas pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga – que, aliás, pretende se lançar na política brasileira. É o que temos para hoje!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL DESIGUAL

É escandaloso o agronegócio bater recordes de produção e lucros enquanto milhões de pessoas passam fome no Brasil. Um contraste absurdo e inaceitável. Sob o antigoverno Bolsonaro, o Brasil ficou ainda mais desigual e injusto. Mais pobre, ignorante, bárbaro, corrupto e selvagem. Vivemos hoje no pior dos mundos, onde o fosso entre ricos e pobres só aumenta, em progressão geométrica. Ao invés de termos uma distribuição igualitária e justiça social, o Brasil virou uma terra de opressão, abusos, fome, violência e destruição ambiental em escalas jamais vistas antes. Parabéns aos 58 milhões de envolvidos neste desastre que já era mais do que esperado e previsível.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

A FESTA DAS MEDALHAS

A medalha de Mérito Oswaldo Cruz destina-se a “reconhecer esforços de autoridades e personalidades que, no âmbito das atividades científicas, educacionais, culturais e administrativas relacionadas com a higiene e a saúde pública, tenham contribuído, direta ou indiretamente, para o bem-estar físico e mental da população”. Quais foram tais contribuições da primeira-dama, dos ministros das Relações Exteriores, do Turismo, da Educação e da Agricultura, entre outros? Ao invés de assumir sua responsabilidade no desastre da covid-19, Jair Cloroquina Bolsonaro está insuflando a tensão social, atacando os demais Poderes da República e corroendo todos os valores da sociedade. É revoltante!

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

REBECA ANDRADE DE PRATA

Rebeca Andrade ganhou a prata inédita e levou a ginástica olímpica ao patamar de um pódio mais do que merecido. Venceu uma menina de origem humilde, negra, determinada ao extremo e acostumada a superar as dificuldades que nosso país injusto e desigual impôs a ela desde que nasceu. Rebeca superou o fato de viver num país cujo governo não investe em educação, ciência, pesquisa, cultura e muito menos no esporte. Um país governado por um ignóbil que desde que tomou posse brinca com o povo brasileiro. Está em campanha de reeleição sem ao menos ter feito nada de positivo para o País e o nosso povo. Rebeca venceu o preconceito, as dores das contusões e a incerteza gigante que pairava sobre ela e a ginástica olímpica. Menina doce, criada pela mãe com todas as dificuldades naturais que afligem nossa gente. A escolha da música Baile de Favela não poderia ser mais significativa, afinal, vivemos num país onde os governantes não investem em habitação popular, saneamento básico e acabam propiciando a formação de favelas numa crescente constante em nossas grandes cidades. Parabéns, Rebeca! A prata é sua, mas seu exemplo vale ouro.

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru

*

‘ESTADÃO EXPRESSO’

Estou muito feliz com a publicação do Estadão Expresso, pois já há alguns meses havia pensado em enviar uma sugestão de uma edição distribuída gratuitamente com artigos interessantes e educativos para comunidades e periferias e, principalmente, gratuito. Minha alegria foi grande ao ver na edição de 28/7/2021 o anúncio desta publicação do Estadão Expresso, pois, como assinante do Estadão, aos 88 anos de idade, cujos pai e sogro também foram, fico grata e desejo muito sucesso educativo à população indicada.

Yedda Camargo Penteado papelarialetrasenumeros@hotmail.com

São Paulo

Jorge Amado continua desnudando o Brasil mesmo 20 anos depois de sua morte .
SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - Vinte anos depois de sua morte, o romancista Jorge Amado tem suas representações do povo da Bahia reconhecidas pelo pioneirismo na abordagem da cultura popular e das religiões de matriz africana. Fenômeno internacional da literatura brasileira, traduzido em 49 idiomas, Amado teve em vida milhões de leitores e o menoscabo de parte da crítica literária. O escritor baiano morreu em 6 de agosto de 2001, aos 88 anos, em Salvador. Ainda que a popularidade de seus personagens siga intocada, suas heranças literárias são menos reivindicadas por escritores brasileiros contemporâneos. A força histórica de seus romances, no entanto, parece indiscutível.

usr: 8
Isto é interessante!