Brasil Exército vai cortar distribuição de água no semiárido de MG em plena seca

14:41  01 setembro  2021
14:41  01 setembro  2021 Fonte:   folha.uol.com.br

Brasil perde 15% de superfície de água desde o começo dos anos 1990

  Brasil perde 15% de superfície de água desde o começo dos anos 1990 Tendência de redução da superfície de água é observada em 8 das 12 regiões hidrográficas e em todos os biomas do país []A superfície coberta por água do Brasil em 2020 era de 16,6 milhões de hectares, uma área equivalente ao estado do Acre ou quase quatro vezes o estado do Rio de Janeiro. Desde 1991, quando chegou a 19,7 milhões de hectares, houve uma redução de 15,7% da superfície de água no país. A perda de 3,1 milhões de hectares em 30 anos equivale a mais de uma vez e meia a superfície de água de toda região nordeste em 2020.

BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Exatamente num momento de forte seca, o Exército Brasileiro vai cortar o fornecimento de água potável por caminhões-pipa para municípios do Vale do Jequitinhonha e do norte de Minas Gerais —regiões que fazem parte do chamado semiárido do estado e que já sofrem normalmente com a falta d'água.

Em Minas 127 municípios já decretaram estado de emergência este ano por conta da seca, todos localizados ou na região norte ou nos vales do Jequitinhonha e do Mucuri, segundo dados desta quarta-feira (25). Há quatro meses, no fim de abril, 74 cidades estavam nessa situação.

Prefeitos receberam um comunicado, ao qual a Folha de S.Paulo teve acesso, emitido pelo 55º Batalhão de Infantaria do Exército, baseado em Montes Claros, uma das principais cidades do norte de Minas, informando sobre a suspensão do fornecimento de água.

Usina hidrelétrica: o que é e como funciona

  Usina hidrelétrica: o que é e como funciona A usina hidrelétrica é formada por um conjunto de obras e equipamentos usados para produzir energia elétrica através do aproveitamento do potencial hidráulico existente em um rio. Essa força é proporcionada pela vazão do rio e pela concentração dos desníveis existentes ao longo de seu curso, que podem ser naturais ou construídos na forma de barragens ou por meio do desvio do rio de seu leito natural para a formação de reservatórios. Apesar de utilizar uma fonte de energia renovável para gerar eletricidade, uma usina hidrelétrica provoca impactos socioambientais irreversíveis na região em que for instalada.

Os caminhões-pipa atendem principalmente comunidades afastadas das sedes dos municípios. O documento, de caráter urgentíssimo, é assinado pelo comandante do batalhão, o coronel Hidelgard Borba de Vasconcelos.

A justificativa do cancelamento é falta de dinheiro. O texto de 12 de agosto afirma que a paralisação no fornecimento do serviço ocorrerá em a partir de 20 de setembro —o Exército disse que o serviço continuará suspenso até dezembro.

O programa de distribuição de água potável do Exército, batizado de Operação-Pipa, foi criado há mais de 20 anos e chega a nove estados: além de Minas Gerais, atende ainda a Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Em Minas, conforme informações do site do Exército, cinco municípios participam do programa, sendo que todos estão entre os que já decretaram estado de emergência pela falta d'água. A lista inclui Espinosa, Francisco Sá, Jaíba e Manga (na região norte) e Itaobim (no Vale do Jequitinhonha).

O papel da agroecologia em um país que já sente a crise climática no campo, no bolso e no prato

  O papel da agroecologia em um país que já sente a crise climática no campo, no bolso e no prato O recado da ciência está dado, e não é de hoje. A crise climática não é mais uma ameaça futura e estamos vivendo uma última janela de oportunidades para a tomada de ação em direção a uma mudança urgente e necessária no modo de funcionar da humanidade. Este foi um dos importantes alertas do mais recente relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), que revelou que “é inequívoco que a influência humana aqueceu a atmosfera, o oceano e a terra”. E o que importa agora? O que importa é olharmos para o que está errado, para as soluções que já existem, entendermos o que nos trouxe até aqui e para onde precisamos ir a partir de agora.

Ao todo, 13 veículos participavam da distribuição de água na região, que beneficiava uma população de 11.916 moradores.

"Não sei o que vou fazer. A prefeitura não tem estrutura para levar essa água às comunidades", afirma o prefeito de Manga, Anastácio Guedes Saraiva (PT). No município, segundo o Exército, 4.592 pessoas dependem dos caminhões-pipa.

O prefeito afirma que está tentando reunir outros chefes do Poder Executivo das cidades que terão o fornecimento de água suspenso para pressionar os militares a manterem as entregas.

O comunicado sobre o fim do serviço já foi feito também à prefeitura de Espinosa, onde, ainda segundo o Exército, a água dos caminhões-pipa atendem a 1.970 pessoas.

TUDO SECO

O cenário de falta d'água no semiárido mineiro piora a cada ano, afirma Paulo Sérgio Vieira Magalhães, presidente da Associação de Moradores da Comunidade de Palmito, no município de Montes Claros, que também já declarou situação de emergência pela seca.

Bolsonaro pede para Exército matricular filha em colégio militar sem passar por processo seletivo

  Bolsonaro pede para Exército matricular filha em colégio militar sem passar por processo seletivo BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro pediu ao comandante do Exército, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, que dê tratamento especial à filha dele, Laura Bolsonaro, 10, e que a criança seja matriculada no Colégio Militar de Brasília de forma excepcional, sem passar pelo processo seletivo a que são submetidos meninos e meninas que disputam as vagas abertas na unidade de ensino. A informação apurada pelo jornal Folha de S.Paulo foi confirmada pelo CCOMSEx (Centro de Comunicação Social do Exército) no início da noite de terça-feira (24). Segundo o Exército, o comandante ainda não proferiu uma decisão a respeito do pedido.

A comunidade, onde moram cem famílias, é atendida por dois rios, o Ressaca e o das Irmãs. O problema é que nenhum deles é perene —ou seja, a água só corre no período das chuvas, que cada vez é menor, segundo Magalhães.

"Não tem chovido. Com isso, os rios não seguram mais água. Há dez anos encerrava-se o período de chuvas e eles corriam até agosto. Atualmente chove e nenhum dura mais que dois meses", relata. O período normal de chuvas na região começa em outubro e vai até março.

Outro problema que vem sendo enfrentado pela população é em relação aos poços artesianos, que também estão secando. "As famílias dependem exclusivamente dos caminhões-pipa", diz o representante dos moradores de Palmital.

Em relação à comunidade, no entanto, o fornecimento de água via caminhões-pipa é feito pela prefeitura de Montes Claros que mantém o fornecimento sem interrupções.

No entanto, a água é repassada para consumo humano. Animais domésticos também a usam, mas plantações, por exemplo, ficam prejudicadas. "Quando os rios corriam por mais tempo, bombas retiravam água e levavam para irrigar hortas, por exemplo", afirma Magalhães.

O fenômeno climático El Niño e seus efeitos nocivos na Amazônia

  O fenômeno climático El Niño e seus efeitos nocivos na Amazônia Nova pesquisa mostra como a combinação de altas temperaturas, secas intensas e os incêndios causados pelo homem resultaram em uma perda florestal dramática na bacia do Baixo Tapajós, no oeste do Pará. De acordo com os autores, a redução florestal fez com que um dos maiores sumidouros de carbono do mundo gerasse quase 500 milhões de toneladas de emissões de CO2, uma quantidade maior do que as emissões anuais de países desenvolvidos como o Reino Unido e a Austrália.

EXÉRCITO DIZ QUE CUIDA APENAS DA EXECUÇÃO DO PROGRAMA

A reportagem entrou em contato com o Exército para saber sua posição sobre o fim do fornecimento de água potável via caminhões-pipa em cidades do semiárido de Minas.

Em nota, os militares afirmaram que a Operação-Pipa foi criada por uma cooperação técnica e financeira entre os ministérios do Desenvolvimento Regional e da Defesa.

"O seu objetivo principal é promover o abastecimento de água potável para o consumo humano na região do Nordeste e no norte de Minas Gerais. Nesse contexto, o Exército Brasileiro é responsável apenas pelas ações que envolvem a execução das Operações".

Também em nota, o Ministério do Desenvolvimento Regional afirma que há recursos suficientes para manter a operação apenas até o final do mês de agosto, "quando o montante aprovado na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2021 será utilizado em sua integralidade".

O texto diz ainda que a pasta "busca alternativas no âmbito do Governo Federal para garantir a execução da Operação e evitar prejuízos".

Segundo a pasta, os valores repassados a cada ano para o programa mudam dependendo das demandas dos municípios, "respaldadas no reconhecimento federal da situação de emergência por seca ou estiagem —que tem relação com a sazonalidade climática (ocorrência de chuvas)".

Em junho, o valor repassado foi de R$ 55,3 milhões.

O Ministério da Defesa ainda não se posicionou sobre o corte no fornecimento de água para as cidades do semiárido mineiro.

A catastrófica reação em cadeia à seca do rio Paraná .
Segundo maior rio da América Latina tem diminuição histórica em suas águas, afetando navegabilidade, pesca e geração de energia.Por trás dessa imagem, contudo, uma série de eventos catastróficos começam a acontecer em cadeia, como num efeito dominó.

usr: 2
Isto é interessante!