Brasil Barragem construída como em Brumadinho e Mariana é desmanchada em Nova Lima

03:00  13 setembro  2021
03:00  13 setembro  2021 Fonte:   em.com.br

Mineradoras estrangeiras são campeãs de denúncias e conflitos no Brasil

  Mineradoras estrangeiras são campeãs de denúncias e conflitos no Brasil Dados inéditos sobre mineração revelam que empresas norueguesas, australianas, canandenses e britânicas concentram 48,7% dos conflitos envolvendo populações vulneráveis no Brasil; acusações vão de intoxicação de moradores à ameaça a terras indígenas.Mais de 20 mil famílias foram atingidas e agora a comunidade atribui a morte prematura de bebês na região aos efeitos do consumo, pelas mães, de águas com chumbo, bauxita e alumínio.

De reservatório com 558 mil metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro, água e areia acumulados ao longo de 15 anos em um complexo minerário entre o Rio das Velhas e a rodovia BR-356, em Nova Lima, a um planalto vegetado com canalização de água fluindo ao centro. Depois de nove meses de trabalhos a Barragem de Fernandinho deixou de existir.

A Barragem de Fernandinho deixou de ser um barramento e está sendo integrada ao ambiente © Divulgação/Vale A Barragem de Fernandinho deixou de ser um barramento e está sendo integrada ao ambiente

O barramento operado pela Vale em Vargem Grande é o sexto da empresa a ser descaracterizado desde 2019. Apesar de não apresentar nível de emergência indicativo de instabilidade, a construção precisou ser desmantelada por ter sido alteada pelo método a montante, o mesmo utilizado nas estruturas rompidas de Mariana (Barragem do Fundão) e Brumadinho (Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão).

Estados e cidades receberão R$ 150 milhões para saúde da indenização rompimento de barragem em Mariana

  Estados e cidades receberão R$ 150 milhões para saúde da indenização rompimento de barragem em Mariana SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Por determinação da Justiça Federal, a Fundação Renova destinará um total de R$ 150 milhões exclusivamente para fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O montante, que será dividido entre os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo e 36 municípios mineiros, sairá de uma fatia da indenização de caráter compensatório pelos danos causados no rompimento da barragem da mineradora Samarco, ocorrido na cidade de Mariana (MG) em novembro de 2015. As informações são da Agência Brasil. Na tragédia, 19 pessoas morreram e uma avalanche de rejeitos provocou devastação ambiental e poluição em dezenas de municípios da bacia do Rio Doce.

O sistema de alteamento a montante foi banido pela nova legislação minerária por ser considerado inseguro, mesmo com as garantias de estabilidade.

De acordo com a Vale, com a descaracterização, a estrutura perdeu a função de armazenamento de rejeitos e água, sendo reintegrada ao ambiente local e não possuindo mais características de barragem de mineração.

"A conclusão das obras de descaracterização ainda será avaliada pelos órgãos competentes. A descaracterização das barragens a montante é um compromisso assumido pela Vale para aumentar a segurança das comunidades e das operações", informa a empresa.

Localização do Complexo Minerário de Vargem Grande onde ficava a Barragem de Fernandinho © Reprodução/Google Earth Localização do Complexo Minerário de Vargem Grande onde ficava a Barragem de Fernandinho A barragem tinha Declaração de Condição de Estabilidade (DCE) positiva e durante o processo de descaracterização foram removidos 15 vezes menos volume do que se desprendeu da Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão, em 2019, em Brumadinho.

EUA declara escassez hídrica histórica no lago Mead, que também abastece o México

  EUA declara escassez hídrica histórica no lago Mead, que também abastece o México O governo federal dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira (16) que o lago Mead, a maior represa do país, vai operar em 2022 em históricas condições de escassez de água, impactando dois estados do oeste do país e o México. As projeções surgem a partir do estudo bianual, que analisa as condições da bacia do rio Colorado. "O sistema do rio Colorado está atualmente em 40% de sua capacidade, uma redução comparável aos 49% registrados nesta época no ano passado", anunciou a agência encarregada dos recursos hídricos, subordinada ao ministério do Interior.

Um canal central de drenagem foi implantado para o escoamento das águas em períodos chuvosos. A área que antes retinha rejeitos agora está revegetada.

A Vale destaca que esse trabalho gerou cerca de 540 empregos diretos, a maioria proveniente da região de Nova Lima. As obras ainda serão avaliadas pelos órgãos competentes, como o Ministério Público, a Secretraria de estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e Agência Nacional de Mineração (ANM).

A descaracterização das barragens a montante é uma obrigação legal de todas as mineradoras. Desde 2019, a Vale conseguiu descaracterizar e reintegrar os reservatórios 8B, na mina de Águas Claras, em Nova Lima, seguida por três estruturas no Pará. A descaracterização do dique Rio do Peixe, em Itabira, também está concluída e a barragem Fernandinho é a mais recente.

Por si só, os rejeitos contidos na Barragem de Fernandinho não representavam ameaça ao Rio das Velhas, o principal manancial de abastecimento da Grande BH. Contudo, o barramento vizinho, de Vargem Grande, chegou a entrar em nível 2 do programa de segurança, por apresentar problemas não sanados por intervenções, em fevereiro de 2019, semanas depois do rompimento da Barragem B1 da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Plataforma de observação gratuita é construída em geleira na Groenlândia. Saiba detalhes!

  Plataforma de observação gratuita é construída em geleira na Groenlândia. Saiba detalhes! A arquiteta dinamarquesa Dorte Mandrup, conhecida por seus edifícios esculturais específicos para o local, concluiu um centro de visitantes com contornos de bumerangue na costa oeste da Groenlândia, 250 km The post Plataforma de observação gratuita é construída em geleira na Groenlândia. Saiba detalhes! appeared first on DecorStyle | Decoração de quarto, sala, cozinha, banheiro, varanda, casa e apartamentoDesejo Luxo | Grifes, moda, beleza, carros, iates, casa, viagens e alta gastronomia.

Em caso de rompimento, os rejeitos de Vargem Grande poderiam ocasionar a ruptura da vizinha Fernandinho, interrompendo segmentos da rodovia BR-356, a principal ligação entre Ouro Preto e Belo Horizonte. No caminho da lama, seria engolida a Lagoa das Codornas e o Rio do Peixe, em um trajeto de 23 quilômetros que findaria no Rio das Velhas.

As obras de descaracterização da Barragem de Fernandinho levaram nove meses © Divulgação/Vale As obras de descaracterização da Barragem de Fernandinho levaram nove meses Em fevereiro de 2019, uma proção da Rodovia BR-356 chegou a ter o fluxo controlado até que a Barragem de Vargem Grande voltasse ao nível 1 do programa de segurança, no dia 5 de junho do mesmo ano. Essa estrutura permanece em nível 1 até o momento.

Áreas evacuadas Na última segunda-feira (05/07), como adiantou o Estado de Minas, a Vale anunciou ter iniciado o processo de descaracterização da Barragem Sul Superior, operada em Barão de Cocais, no complexo de Gongo Soco. Desde o dia 8 de fevereiro de 2019, quando a barragem foi considerada com nível 3 de emergência, ou seja, com risco iminente de rompimento, 200 pessoas foram evacuadas da chamada Zona de Autossalvamento (ZAS) desse barramento e se encontram vivendo em moradias providenciadas pela mineradora.

O barramento situado no município da Região Central de Minas Gerais, a 96 quilômetros de Belo Horizonte, tem 85 metros de altura e retém 6 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro (2/3 do que despejou a barragem rompida em Brumadinho).

No mesmo dia do anúncio da descaracterização em Barão de Cocais, a mineradora afirmou que o mesmo processo avançou em Nova Lima, com a remoção de rejeitos de minério de ferro sendo feita na Barragem B3/B4 do complexo minerário de Mar Azul. A estrutura também se encontra em nível 3, com risco iminente de ruptura, e obrigou, desde 16 de fevereiro de 2019, que 118 famílias deixassem o povoado turístico de Macacos.

Em caso de rompimento, os 2,7 milhões de metros cúbicos (m3) - cerca de um terço do volume que se desprendeu da Barragem B1, em Brumadinho - de rejeitos da B3/B4 levariam pouco mais de 15 minutos para chegar a Macacos.

Vale e Sul Americana buscam sinal verde para acelerar projetos .
A Vale e uma produtora de metais de controle asiático estão entre as primeiras a acessar um programa do governo que visa reduzir a burocracia e acelerar projetos de mineração no Brasil. Vale e Sul Americana de Metais (SAM) tiveram projetos habilitados dentro de uma nova política do governo Jair Bolsonaro para agilizar o processo de licenciamento de ativos de mineração considerados estratégicos para o desenvolvimento econômico do país.

usr: 17
Isto é interessante!