Brasil Comida, gasolina, conta de luz: por que está tudo tão caro no Brasil?

13:46  16 setembro  2021
13:46  16 setembro  2021 Fonte:   bbc.com

A catastrófica reação em cadeia à seca do rio Paraná

  A catastrófica reação em cadeia à seca do rio Paraná Segundo maior rio da América Latina tem diminuição histórica em suas águas, afetando navegabilidade, pesca e geração de energia.Por trás dessa imagem, contudo, uma série de eventos catastróficos começam a acontecer em cadeia, como num efeito dominó.

Comida, gasolina, a conta de luz. Tudo está mais caro no Brasil.

Litro de gasolina passa de R$ 7 em alguns locais © Getty Images Litro de gasolina passa de R$ 7 em alguns locais

Em agosto, mais uma vez, a inflação oficial do país veio acima do esperado. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, medido pelo IBGE, acelerou para 9,68% no acumulado em 12 meses, levando a uma onda de revisões entre os economistas.

Nesta segunda-feira (13/9), o Boletim Focus do Banco Central, que colhe estimativas entre dezenas de consultorias e instituições financeiras, registrou a 23ª alta consecutiva da mediana das projeções para o IPCA no fim de 2021, que agora está em 8%.

O aumento generalizado de preços é um produto de diferentes causas, muitas delas combinadas. A BBC News Brasil explora algumas por meio da trajetória dos três elementos que mais têm empurrado a inflação para cima nos últimos meses: combustíveis, alimentos e energia elétrica.

Agricultura brasileira ficará para trás se não considerar mudança do clima, diz ex-ministro

  Agricultura brasileira ficará para trás se não considerar mudança do clima, diz ex-ministro Em entrevista à BBC News Brasil, o ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues diz que falta ao governo brasileiro uma estratégia para aumentar a produção de alimentos no país.Em entrevista à BBC News Brasil, Rodrigues cita a estimativa de que a produção agrícola brasileira precisaria crescer 40% em dez anos para que, considerando o aumento projetado em outros países, a fome seja erradicada no mundo.

Trajetória da inflação. Acumulado em 12 meses - em %. . © Fornecido por BBC News Trajetória da inflação. Acumulado em 12 meses - em %. .

O efeito cascata da gasolina

O preço médio da gasolina comum no país chegou a R$ 6 na semana até 11 de setembro, conforme os dados mais recentes da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O preço máximo, ainda de acordo com a base, passa de R$ 7 em alguns locais.

O preço dos combustíveis no Brasil segue o comportamento dos preços lá fora. Desde 2016, a Petrobras se orienta pelo Preço de Paridade Internacional (PPI), que leva em consideração a cotação do barril de petróleo e o câmbio. Assim, esses dois fatores explicam boa parte do aumento dos combustíveis nos últimos meses.

O preço do barril de petróleo vem em uma sequência de alta forte desde o início deste ano. De um lado, por conta da maior demanda, depois da abertura de muitos países que começaram a vacinar contra a covid. De outro, por conta da própria dinâmica da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep).

Fórum dos Leitores

  Fórum dos Leitores Cartas de leitores selecionadas pelo jornal O Estado de S. PauloHora do basta

Ela concentra cerca de 40% da produção global da commodity e às vezes segura os estoques para valorizar o barril. Em julho, a organização comunicou que voltaria a ampliar gradativamente a oferta, dado o crescimento expressivo dos preços neste ano.

Como a cotação é feita na moeda americana, o dólar também tem impacto direto — e o real segue perdendo valor.

A questão do dólar é um capítulo à parte, que tem inclusive confundido os economistas nos últimos meses, como retratado recentemente pela BBC News Brasil.

De forma resumida, a forte desvalorização do real é reflexo de fatores externos, como a expectativa de crescimento dos Estados Unidos e de aumento dos juros no país, mas também da forte instabilidade interna que o Brasil atravessa.

Os conflitos do presidente Jair Bolsonaro com os demais poderes e a antecipação do debate sobre as eleições de 2022 têm contribuído para construir um ambiente de incerteza que afasta investidores, que preferem levar seus dólares para mercados mais seguros.

De imagens sensuais a sexo explícito: brasileiros contam como ganham dinheiro no OnlyFans

  De imagens sensuais a sexo explícito: brasileiros contam como ganham dinheiro no OnlyFans Plataforma de conteúdo que ficou mais conhecida por seu material erótico virou salvação financeira de muita gente na pandemia, quando explodiu em popularidade. Pagamentos em dólar e comodidade atraem 'novatos', mas há riscos, alertam especialistas.Cezar criou um perfil no OnlyFans, no qual pessoas vendem conteúdos de diversos temas, mas que se popularizou uma plataforma de material erótico. Em três meses, ele diz que conseguiu ganhar o suficiente para comprar o carro. "O dinheiro veio mais rápido do que eu imaginei." Mas ele preferiu adiar seu plano e investir o valor em aplicações financeiras.

De volta aos combustíveis, o impacto do aumento vai bem além de quem precisa encher o tanque. O efeito cascata pressiona custos como o do transporte público e do frete, com reflexo sobre os preços de uma miríade de produtos.

Alta do dólar também influencia preços dos alimentos © Getty Images Alta do dólar também influencia preços dos alimentos

Conta salgada também no supermercado

Inclusive nos preços dos alimentos, que também vêm numa trajetória de alta há meses.

Neste caso, mais uma vez o dólar influencia, e com um duplo efeito. Como as commodities agrícolas — milho, açúcar, carne, café, trigo, laranja — são cotadas em dólar, sempre que ele sobe, o preço delas em real tende a subir também.

Em paralelo, o dólar alto incentiva o produtor a exportar em vez de vender para o mercado interno. Isso reduz a oferta doméstica e também ajuda a empurrar os preços para cima.

Aos dois fatores se soma um outro que tem contribuído para diminuir a disponibilidade interna de alimentos: a seca histórica que afetou o Sudeste e o Centro-Oeste.

A falta de chuvas provocou quebra de safra em importantes regiões produtoras e afetou a cultura do café, da laranja, do milho, da soja, do açúcar, como explicou o gerente de consultoria Agro do Itaú BBA, Guilherme Bellotti.

Famosos que abandonaram a escola

  Famosos que abandonaram a escola Ter o ensino médio concluído é o mínimo de escolaridade que se espera de alguém para ter alguma oportunidade no mercado de trabalho de hoje em dia, né? Pois, certamente você ficará surpreso ao saber que várias celebridades de sucesso não chegaram a terminar a escola! Enquanto alguns famosos largaram os estudos para se lançarem muito jovens na carreira artística, houve casos de personalidades que precisaram trabalhar desde cedo para ajudarem suas famílias. Na galeria, conheça as estrelas que abandonaram a escola pelos mais variados motivos.

O milho e a soja, por exemplo, têm uma espécie de efeito cadeia. Eles são matéria-prima para a ração usada na indústria de aves, suínos e bovinos — ou seja, também pressionam o preço das carnes.

O açúcar, por sua vez, é matéria-prima para a produção do etanol — que também é usado na composição da gasolina vendida nos postos.

Com redução da produção de hidrelétricas, país necessitou acionar usinas térmicas e até importar energia © Getty Images Com redução da produção de hidrelétricas, país necessitou acionar usinas térmicas e até importar energia

Mais cara e mais escassa

Para além dos alimentos, a seca também ajuda a explicar o aumento da energia elétrica. Com a redução dos níveis dos reservatórios em hidrelétricas importantes neste ano, foi preciso acionar usinas termelétricas, movidas a gás natural, óleo diesel, biomassa e carvão, para compensar a redução da oferta pelas hidrelétricas e, mais recentemente, importar energia de vizinhos como Argentina e Uruguai.

A energia termelétrica não é apenas mais poluente, é também mais cara, daí a razão porque a conta de energia tem vindo com um adicional, a bandeira escassez hídrica, anunciada pelo governo no último dia 31 de agosto.

Até então, o maior valor previsto pelo sistema de bandeiras tarifárias era a bandeira vermelha patamar 2, que estava vigente. A bandeira escassez hídrica vai ser cobrada pelo menos até abril do próximo ano, adicionando R$ 14,20 às contas de luz a cada 100kW/h consumidos. O valor é cerca de 49% maior que o da bandeira vermelha patamar 2, que previa pagamento extra de R$ 9,49 a cada 100kW/h.

Por que o futuro não existe, para o autor de 'Seu cérebro é uma máquina do tempo'

  Por que o futuro não existe, para o autor de 'Seu cérebro é uma máquina do tempo' Dean Buonomano é apontado como um dos primeiros neurocientistas a estudar como o cérebro codifica o tempo.Como essa pergunta como ponto de partida, Dean Buonomano, professor de neurobiologia da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), começou a investigar a forma como nosso cérebro percebe o conceito de tempo.

Em paralelo, a situação crítica dos reservatórios acendeu um debate sobre os riscos de apagão e de racionamento — e a demora do governo para reagir.

Desde maio, quando o cenário de restrição de chuvas começou a ficar mais claro, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, tem repetido que não existe possibilidade de apagões e racionamento no país. No fim de agosto, quando anunciou a bandeira mais cara, o governo lançou um programa para redução voluntária do consumo de energia.

Dias antes, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informara que, a partir de outubro, a geração seria insuficiente para fazer frente à demanda, sendo necessário aumentar o nível de importação e acionamento de térmicas para evitar apagões.

Aumento da cotação do milho e da soja também empurra preços das carnes para cima © EPA Aumento da cotação do milho e da soja também empurra preços das carnes para cima

Mais inflação, menos crescimento

Ao contrário de outros ciclos inflacionários pelos quais o Brasil passou, este não é puxado por uma alta da demanda por parte dos brasileiros, mas por choques do lado da oferta — a seca, o dólar, o petróleo, etc.

De forma geral, os choques causam um aumento de preços temporário e se dissipam. Desta vez, contudo, eles têm sido persistentes e vêm contaminando outros preços, como observou o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco Lima Gonçalves. Em relatório enviado a clientes, ele avalia que a inflação, que até o início da pandemia vinha em uma trajetória benigna, "mudou de patamar".

Como resultado, o Banco Central vem apertando cada vez mais os juros. A Selic mais alta eleva o custo do crédito e contribui para reduzir ainda mais a demanda e desacelerar a economia.

É por isso que, em paralelo às revisões das estimativas para a inflação, os economistas também estão revendo para baixo suas previsões para o PIB (Produto Interno Bruto) de 2022. Entre as casas que reduziram as projeções nesta semana estão J.P.Morgan, de 1,5% para 0,9%; Itaú, de 1,5% para 0,5% e XP, de 1,7% para 1,3%.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

https://www.youtube.com/watch?v=R39K5Ddv06Q&t=34s

https://www.youtube.com/watch?v=ZnW6jvedIXQ

https://www.youtube.com/watch?v=bqG3NQ9KtCg&t=11s

Como ondas de frio e calor matam homens e mulheres de formas diferentes no Brasil .
Estudo pioneiro analisou dados coletados ao longo de uma década em São Paulo, onde as ondas de temperaturas extremas vêm se tornando mais frequentes e duradouras.Pesquisadores calculam mais de 5 milhões de óbitos por ano, principalmente de pessoas com mais de 65 anos.

usr: 4
Isto é interessante!