Brasil Livro aponta as referências de Machado de Assis ao mundo jurídico

11:50  22 setembro  2021
11:50  22 setembro  2021 Fonte:   estadao.com.br

"Acuadas, redes bolsonaristas estão mais extremistas"

  Pesquisador que acompanha grupos de extrema direita nas redes sociais no Brasil afirma que eles estão propagando teorias cada vez mais fantasiosas e mais odiosas. Narrativas para 2022, diz, já estão preparadas. © picture-alliance/AP/S. Izquierdo Provided by Deutsche Welle Na rotina do pesquisador brasileiro David Nemer está ler, todos os dias, a atividade de dezenas de comunidades bolsonaristas. Em 2017, quando começou esse trabalho, eram apenas quatro grupos, todos de Whatsapp. Com o passar do tempo, ele acabou se inscrevendo também no Telegram. "Hoje estou em 73 grupos, já que de um acaba saindo outro.

Machado de Assis coloca em questão nesse conto as fronteiras entre o que é normal e o que é anormal através de um médico que se esforça em tentar entender os distúrbios psicológicos da população. Dessa forma, pode-se dizer que há uma proximidade entre a personagem do Dr. Simão Bacamarte com o próprio Machado de Assis , uma vez que o autor também está interessado em analisar as atitudes das Em torno da figura quase mítica do Dr. Bacamarte, que segue com rigidez e frieza suas teorias científicas, Machado de Assis dispõe outras personagens ricas em detalhes.

Vim através desse vídeo compartilhar um pouco do meu cantinho literário, trazendo obras de um de meus escritores favoritos da vida, Machado de Assis !

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Um dos grandes mistérios da literatura brasileira – teria Capitu traído ou não Bentinho, no romance Dom Casmurro? – acaba de receber um veredicto, a partir de uma análise pouco comum, feita pelo advogado e jornalista Miguel Matos. Ele é o autor de Código de Machado de Assis (Editora Migalhas), livro em que disseca a obra do Bruxo do Cosme Velho (1839-1908) sob o olhar jurídico.

“Na minha opinião, Machado sonhava em fazer Direito. Ele era um admirador dos acadêmicos. E não só pelo curso de Direito, que é a disciplina da convivência humana (objeto central de sua obra), como também pelo ambiente acadêmico”, observa Matos ao Estadão. “Quando ele critica os advogados, e isso acontece várias vezes, me parece que está demonstrando seu inconformismo com o fato de muitos terem tido (ao contrário dele) a oportunidade de estudar e não fazerem bom uso desse que era, na época, um privilégio.”

Negociado pelo Fluminense, Metinho embarca para a Europa: 'Vou em busca dos meus sonhos e objetivos'

  Negociado pelo Fluminense, Metinho embarca para a Europa: 'Vou em busca dos meus sonhos e objetivos' Em sua rede social, o jogador fez uma postagem se despedindo da família e do país. No primeiro momento, o meio-campista defenderá as cores do Troyes, da França . © Metinho foi vendido ao Grupo City e jogará na França (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.) Metinho foi vendido ao Grupo City e jogará na França (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.

Sobre Machado de Assis Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839 na cidade do Rio de Janeiro. Neto de escravos alforriados, foi criado em uma família pobre e não pode frequentar regularmente a escola. Porém, devido a seu enorme interesse por literatura, conseguiu se instruir por conta própria. Em 1869 Machado de Assis casou-se com Carolina Augusta Xavier de Novais sem o consentimento da família da moça, devido à má fama que Machado carregava. Porém, este casamento mudou sua vida, uma vez que Carolina o apresentou à literatura portuguesa e inglesa.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: ASSIS , Joaquim Maria Machado de . Dom Casmurro. São Paulo: Abril Cultural, 1981. Procurador Federal. Coordenador-Geral de Processo Disciplinar e Consultor Jurídico Substituto do Ministério da Previdência Social. Presidente de Comissão de Processo Administrativo Disciplinar. Doutorando em Direito Constitucional pela Universidade de Buenos Aires.Especialista em Direito Público pela ESMAPE.Ex-Assessor da Casa Civil da Presidência da República.

Matos é criador do site Migalhas, dedicado a assuntos jurídicos, além de amante da prosa machadiana. O livro, portanto, é a conversão de seus dois interesses. Com um cuidadoso projeto editorial, a obra analisa cronologicamente todos os escritos de Machado, filtrados pelo olhar de um advogado.

Não se trata do primeiro trabalho de Matos no gênero – publicou outro livro em 2008 –, assim como o assunto já foi esmiuçado por outros autores (como Nilo Batista, em Machado de Assis, Criminalista, de 2018). “O estilo de Machado, sem paralelo na nossa literatura, tem familiaridade com o Direito porque o escritor mergulha na problemática humana, farejando os comportamentos sociais. E o que isso tem a ver com o Direito? É que as normas jurídicas tratam exatamente disso, das relações e comportamentos humanos”, comenta Matos. “Quando uma lei diz que a pena é maior ou menor dependendo de quem é a vítima, de sua idade ou de como o crime foi praticado, o que se está fazendo é moldando as leis diante das condutas. E, para isso, é preciso fazer uma análise comportamental, coisa que Machado fazia com extrema habilidade. É certo que ele não investigava o ser humano para aplicar regras de Direito. Ele o investigava para nos mostrar como, na verdade, somos.”

“Me ofereceram 60 cents de dólar por dose para facilitar a importação das vacinas”

  “Me ofereceram 60 cents de dólar por dose para facilitar a importação das vacinas” “Me ofereceram 60 cents de dólar por dose para facilitar a importação das vacinas”O senhor esteve em reuniões com o lobista Silvio Assis e o deputado Ricardo Barros após a denúncia do escândalo da Covaxin? Houve tentativa de suborná-lo?

Este é o Vá ler um Livro : A tentativa de transformar o mundo , passinho por passinho, pra que tanto a universidade quanto o universo das letras não sejam um espaço onde apenas os bem aventurados frequentem. No vídeo de hoje o Guto veio falar sobre o conto "O Espelho", do escritor Machado de Assis , texto obrigatório da UNICAMP para o vestibular.

MACHADO DE ASSIS PARA PRINCIPIANTE Os temas que Marcos Bagno apresenta so: adultrio, ceticismo, dinheiro, loucura, mulheres, poltica, seduo, ser & parecer, vaidade, humor. indubitavelmente livro obrigatrio para qualquer estante, de qualquer casa, para leitor de qualquer idade, credo ou nvel cultural. Maior presente que Bagno, um dos maiores estudiosos de Assis , poderia trazer ao pblico mais jovem da Literatura. Trechos de alguns temas: Ceticismo Ningum se fie da felicidade presente; h nela uma gota de baba de Caim (Memrias pstumas de Brs Cubas) Nunca vistes ferver a gua?

Não é de se estranhar, portanto, que os romances machadianos estejam repletos de advogados, além de juízes e outras figuras ligadas à Justiça. E a grande maioria não ganha descrição elogiosa.

Em Ressurreição (1872), por exemplo, surge o primeiro personagem jurídico, Dr. Meneses, um frustrado no amor, pois não é correspondido no foro da paixão. Já em A Mão e a Luva (1874), os dois protagonistas, Luís Alves e Estevão, transitam no mundo jurídico. Na intrincada história vivida por ambos, Luís tem sucesso porque, segundo Matos, se vale exemplarmente de uma das características necessárias para um bom advogado: a argumentação convincente. Machado, inclusive, chega a utilizar termos jurídicos para nomear capítulos – como “embargos de terceiro”, que será usado novamente em Dom Casmurro, mas de forma mais reveladora, como se verá.

Já o terceiro romance, Helena (1876), traz, segundo Matos, o grande nascimento do Direito na obra machadiana. “O livro em si é um processo de Direito de Família”, escreve. “Trata-se de um inventário, no qual o Conselheiro Vale reconhece a paternidade de uma filha, Helena.”

Entenda as 2 denúncias de propina em negociação de vacinas pelo governo Bolsonaro

  Entenda as 2 denúncias de propina em negociação de vacinas pelo governo Bolsonaro Envolvidos devem ser convocados para depor à CPI da Covid, que começou investigando supostas omissões do governo Bolsonaro na compra de vacinas durante a pandemia e passou a apurar denúncias de corrupção e outros crimes em torno da aquisição desses imunizantes. Entenda abaixo os detalhes das duas denúncias e o que dizem os acusados.Denúncia de cobrança de propina por vacinas da AstraZenecaComo dito acima, a reportagem da Folha de S.Paulo se baseia na denúncia de Luiz Paulo Dominguetti Pereira, que se apresenta como um representante da Davati Medical Supply, empresa americana que atua no ramo da saúde.

Dom Casmurro - Machado De Assis (audiolivro). DIGITALBOOK. Casa Velha - Audiobook Machado de Assis - COMPLETO !!! Best Books. Learn Brazilian Portuguese with CURUPIRA BFF.

Quando pensamos em Machado de Assis , imediatamente associamos seu nome aos clássicos “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, “Dom Casmurro”, “A mão e a luva”, entre outros romances que são leitura obrigatória para os amantes de nossas letras. Machado também foi contista Pulsa-lhe aquele afeto verdadeiro Que, a despeito de toda a humana lida, Fez a nossa existência apetecida E num recanto pôs o mundo inteiro. Trago-te flores - restos arrancados Da terra que nos viu passar unidos E ora mortos nos deixa e separados. Que eu, se tenho nos olhos malferidos Pensamentos de

“Creio que Machado se valia dos institutos jurídicos e da terminologia forense como uma alegoria na narrativa”, comenta Matos ao Estadão. “Como exemplo disso, estão as esdrúxulas cláusulas testamentárias. Em vários textos, ele inclui um testamento que possui uma condição curiosa, como em Quincas Borba, em que o personagem Rubião, para abocanhar a herança do filósofo Quincas Borba, precisa cuidar do cachorro como se gente fosse.”

A famosa ironia machadiana, aliás, pontua a maioria de seus textos, que trazem elegantes observações. Em O Alienista, por exemplo, o vereador Galvão é preso no hospício da Casa Verde pelo médico Simão Bacamarte e, ao receber uma polpuda herança, “corrompeu os juízes e embaçou os outros herdeiros”, o que lhe garantiu a liberdade, em notória ação de corrupção praticada no Judiciário.

Ao longo das observações apresentadas em Código de Machado de Assis, o leitor percebe a predileção do escritor por maus advogados. “De fato, a grande maioria dos advogados machadianos não é exemplo de bons profissionais”, diz Matos. “Há o que ignorou o Direito até a morte e outros que, embora graduados em ciência jurídica, não usavam o diploma para sobreviver. Bentinho é um dos raros casos de causídicos que escapam da ferina crítica do escritor, sendo que na obra podemos vê-lo até mesmo estudando processos. E, sim, pode ser que Machado de Assis o tenha feito propositadamente advogado, qualificando assim suas opiniões. Mas se ele o presenteou como um bom advogado, é forçoso notar que o construiu cheio de ciúmes e cismas. Ou seja, salvou-o de um lado, mas o condenou de outro, na dualidade que é sua marca registrada.”

General dos EUA alertou China sobre estado mental de Trump, diz livro

  General dos EUA alertou China sobre estado mental de Trump, diz livro O principal comandante militar americano tomou medidas secretas para evitar que o então presidente americano desencadeasse uma guerra com a China, afirma obra. Mark Milley teria ligado duas vezes para colega chinês. © Susan Walsh/AP Photo/picture alliance Mark Milley estava alarmado com o estado emocional de Trump, aponta livro O principal comandante militar dos EUA esteve tão preocupado com a saúde mental de Donald Trump que tomou medidas secretas para evitar que o então presidente americano desencadeasse uma guerra com a China. A revelação consta em um novo livro a ser lançado no dia 21 de setembro.

Miguel Matos refere-se a Bentinho, um dos três principais personagens de Dom Casmurro (1899), obra marcada, entre várias qualidades, pela dúvida plantada na mente do leitor: teria Capitu traído seu marido, Bentinho, com o amigo dele, Escobar? E, desde então, leitores de diversas gerações se perguntam: o ciúme de Bentinho era mesmo justificado? Ezequiel era de fato filho de Escobar, fruto de uma aventura extraconjugal de Capitu? A incerteza alimentou debates ao longo de décadas, alguns divertidos – como a variação de julgamentos que marcou o pensamento da escritora Lygia Fagundes Telles.

Segundo ela, depois de sua primeira leitura da obra, o que fez quando cursava Direito nos anos 1940, acreditava que Capitu era uma santa, enquanto Bentinho, um neurótico, histérico. A segunda leitura foi na maturidade, em 1967, quando Lygia estava casada com o crítico e escritor Paulo Emílio Sales Gomes. Juntos, preparavam Capitu, roteiro filmado por Paulo César Saraceni. Depois de reler o livro, a escritora disse ao marido: “Mudei completamente de ideia: a mulher traiu ele sim, o filho não era dele”.

Nos últimos anos, porém, Lygia confessou sua indecisão. “Minha última versão é essa: não sei”, disse ao Estadão, em 2008, entre risos. “Acho que enfim suspendi o juízo. No começo, ela era uma santa; depois, um monstro. Agora, na minha velhice, eu não sei.”

Real Madrid entra na lista de pretendentes por Isak

  Real Madrid entra na lista de pretendentes por Isak Atacante da Real Sociedad tem chamado atenção por conta da sua progressão e também interessa alguns clubes da Premier League. Espanhóis tentam renovaçãoO atual vice-campeão da La Liga perguntou sobre a possibilidade do jovem deixar a equipe de San Sebastián nesta janela de transferências devido ao interesse de times da Premier League e recebeu boas notícias com relação ao progresso do atacante na carreira.

Ao analisar a trama sob o ponto de vista jurídico, Miguel Matos não apenas dissecou o caso como também apresentou um veredicto – assim, atenção: a partir de agora, o texto estará recheado de spoilers. Matos alega que hoje, pela ótica do Direito Penal, o caso inexistiria, pois o adultério deixou de ser considerado crime. E, sob as leis do Direito de Família, bastaria um teste de DNA para saber quem, de fato, é o pai de Ezequiel.

Mas, por sorte, a trama se passa na virada do século 19 para o 20, quando a tecnologia quase inexistente da época não abrandava o mistério. E Bentinho, que é o narrador da história, é um raro exemplo de bom advogado, dentro da obra machadiana. “É claro que Bentinho toma as decisões, mas Machado de Assis transferiu o caso para o tribunal popular, tanto que, passados mais de cem anos da publicação da obra, ainda estamos aqui a julgá-lo.”

Matos começa a embasar seu argumento a partir da cena em que Bentinho vai sozinho ao teatro – alegando dor de cabeça, Capitu ficou em casa. Mas, ao retornar antes do final do espetáculo, ele encontra Escobar dentro de sua casa, à porta do corredor. O amigo justificou ter ido até lá para tratar do “negócio dos embargos”.

“Ao ouvirmos a narrativa de Escobar, sabemos que, juridicamente falando, não valia nada a circunstância nova que ele relatava. O tal incidente era irrelevante”, escreve Matos. “Como filho de advogado, ele deveria ter algum entendimento acerca da questão.”

Outro detalhe suspeito, ainda segundo Matos, é o fato de Escobar estar na casa do amigo em um horário impróprio e, principalmente, em um momento em que ele não estaria – fato que apenas Capitu saberia. Finalmente, o argumento decisivo está no título dado por Machado ao capítulo: Embargos de Terceiro.

Segundo Matos, no Direito, embargos de terceiro diz respeito a uma ação processual na qual um terceiro, que não é parte do processo, interfere na relação das partes alegando a legítima posse ou bem jurídico discutido nos autos. “Em A Mão e a Luva, Machado usou a mesma terminologia jurídica, de maneira metafórica, para se referir à entrada de um terceiro num casal”, escreve. “Dito isso, o veredicto sobre Capitu é inevitável: culpada!”

A estranha história do Alcorão que Saddam Hussein ordenou que fosse escrito com seu próprio sangue .
Então presidente do Iraque, que governou país de 1979 até invasão dos EUA em 2003, teria doado 24 litros de sangue para escrever 605 páginas da obra, dividida em 114 capítulos, mas especialistas duvidam que isso seja verdade.O então presidente do Iraque, que governou o país de 1979 até a invasão dos EUA em 2003, lhe deu uma incumbência: criar uma cópia do Alcorão (ou Corão, o livro sagrado para os muçulmanos), mas com seu próprio sangue, no lugar da tinta comum.

usr: 13
Isto é interessante!