Brasil Após Queiroga contrair covid, Anvisa recomenda quarentena para Bolsonaro e toda comitiva brasileira

20:00  22 setembro  2021
20:00  22 setembro  2021 Fonte:   estadao.com.br

“Jogadores estão infringindo a legislação brasileira”, diz Anvisa

  “Jogadores estão infringindo a legislação brasileira”, diz Anvisa Agência criticou atletas que não cumpriram quarentena e a falta de atuação das vigilâncias municipais e estaduais para impedir esta violação. © Sérgio Lima/Poder360 Edifício sede da Anvisa, em Brasília A portaria nº 655 de 2021 determina que brasileiros que tenham passado pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte ou Índia nos 14 dias antes de ingressar no Brasil façam quarentena por duas semanas. Estrangeiros que passaram por estes lugares nos 14 dias anteriores não podem ingressar no país.

BRASÍLIA — A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) recomendou no início da madrugada desta quarta-feira, 22, que o presidente Jair Bolsonaro e o restante da comitiva presidencial brasileira que esteve nos Estados Unidos para a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) Integrante da comitiva , o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , testou positivo para a covid -19 na noite de terça-feira, 21, e cumpre seu isolamento em hotel de Nova York. Um funcionário do Itamaraty, que atuou na preparação da viagem antes da chegada da comitiva

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) recomendou que todos os integrantes da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que tiveram contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , adotem medida de isolamento social, permanecendo em quarentena assim que retornarem ao Brasil. Por conta de Queiroga ter sido diagnosticado com covid -19 em exame feito nos Estados Unidos, a Anvisa remeteu um ofício nesta madrugada à Casa Civil dando as orientações sanitárias que seguem as medidas protetivas no caso da pandemia.

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

BRASÍLIA — A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou no início da madrugada desta quarta-feira, 22, que o presidente Jair Bolsonaro e o restante da comitiva presidencial brasileira que esteve nos Estados Unidos para a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) permaneçam isolados numa quarentena de 14 dias.

Integrante da comitiva, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para a covid-19 na noite de terça-feira, 21, e cumpre seu isolamento em hotel de Nova York. Um funcionário do Itamaraty, que atuou na preparação da viagem antes da chegada da comitiva, também já havia testado positivo para a doença.

Bolsonaro e apoiadores pressionaram Queiroga pela suspensão da vacinação de adolescentes

  Bolsonaro e apoiadores pressionaram Queiroga pela suspensão da vacinação de adolescentes BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores pressionaram o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a rever regras para vacinação contra a Covid-19 de adolescentes. Feita às pressas e sem conhecimento dos técnicos do PNI (Programa Nacional de Imunizações), a decisão de orientar que jovens menores de 18 anos não sejam imunizados pegou de surpresa gestores do SUS, diretores da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e até secretários de Queiroga. O ministro atribuiu o recuo a dúvidas sobre a segurança e eficácia dos imunizantes em adolescentes.

Após Queiroga testar positivo para a covid -19, agência sanitária envia ofício pedindo o isolamento dos que viajaram a Nova York com o presidente. Horas depois, governo confirma quarentena de apenas cinco dias. Além disso, os membros da comitiva devem realizar outro teste de covid -19 após chegarem a seus destinos finais. Essas medidas deveriam se aplicar também a Jair Bolsonaro , que desembarcou em Brasília na manhã desta quarta-feira. Após a divulgação da recomendação da Anvisa pela imprensa, a agenda oficial do presidente foi atualizada, e uma reunião marcada para a

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) recomendou que todos os integrantes da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que tiveram contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , adotem medida de isolamento social, permanecendo em quarentena assim que 2) isolamento de 14 dias após o último dia de contato com o caso confirmado de covid -19, conforme o Guia de Vigilância Epidemiológica para COVID -19 publicado pelo Ministério da Saúde; 3) cumprimento de isolamento na cidade de desembarque no Brasil, evitando novos deslocamentos até que tenham

O presidente Jair Bolsonaro comeu pizza ao ar livre com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga e outros membros do governo. © Instagram/Reprodução O presidente Jair Bolsonaro comeu pizza ao ar livre com o ministro da Saúde Marcelo Queiroga e outros membros do governo.

Em nota, a agência informou que encaminhou para a Casa Civil uma série de recomendações para a comitiva. Entre elas estão:

  • desembarcar no Brasil de forma a expor o mínimo possível ambientes e pessoas;
  • cumprir o período de isolamento de 14 dias após o último dia de contato com o caso confirmado de covid-19, conforme o Guia de Vigilância Epidemiológica para COVID-19 publicado pelo Ministério da Saúde;
  • cumprir o isolamento na cidade de desembarque no Brasil, evitando novos deslocamentos até que tenham ultrapassado o período de transmissibilidade do vírus;
  • serem novamente testados em solo brasileiro.

O ministro da Saúde esteve com Bolsonaro no plenário da ONU na terça, o que deve despertar reação internacional para rastrear os contatos do ministro e identificar possíveis focos de transmissão. Em uma foto postada em suas redes sociais, o ministro aparece no meio do local onde mais cedo discursaram os principais líderes mundiais.

Queiroga testa positivo para covid-19 após encontrar com Boris Johnson, que esteve depois com Biden

  Queiroga testa positivo para covid-19 após encontrar com Boris Johnson, que esteve depois com Biden Ministro da Saúde é o segundo caso confirmado da doença na delegação brasileira, acompanhada pela polemica da recusa da vacina pelo presidente Jair Bolsonaro.Queiroga compunha a comitiva presidencial de 18 pessoas que esteve em Nova York, Estados Unidos, para a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Este é o segundo caso de covid-19 na delegação brasileira — o primeiro foi de um diplomata.

A Anvisa reforçou ainda que realiza a triagem em aeroportos brasileiros desde o início da pandemia, a fim de adotar as ações de prevenção e promoção da saúde nos casos de identificação de viajantes infectados pelo Sars-Cov-2. O órgão reforçou que não cabe à Anvisa estabelecer ou monitorar a quarentena dos infectados ou de quem teve contato com eles. "A Agência, desde o início da pandemia, atua na identificação, promovendo, de imediato, a notificação de casos suspeitos ou confirmados de covid -19 em viajantes à Rede Cievs", disse a Anvisa .

Anvisa recomenda isolamento para integrantes da comitiva que tiveram contato com Queiroga . A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) informou que, ainda na madrugada, recomendou ao governo que autoridades que tiveram contato em Nova York com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , fiquem em isolamento por 14 dias. Queiroga fez parte da comitiva do presidente Jair Bolsonaro em viagem oficial aos Estados Unidos. Nesta terça (21), pouco antes do embarque de volta, ele testou positivo para a Covid .

Bolsonaro planejava participar no próximo sábado, 25, de evento com apoiadores no Paraná, mas o evento e toda a programação prevista na viagem dele ao Estado, que começaria na sexta-feira, 24, foram cancelados. O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (Progressistas-PR), informou por meio do Twitter que a ida do presidente foi adiada.

Ministros com quem Queiroga conviveu de maneira próxima nos últimos dias, como o das Relações Exteriores, Carlos França, e o do Meio Ambiente, Joaquim Leite, também devem ser monitorados. Os dois tiveram reuniões nesta terça com o alto escalão do governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. França se reuniu com o secretário de Estado, Antony Blinken, e Leite esteve com o enviado especial para o clima, John Kerry.

Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York

  Queiroga testa positivo para covid-19 e fica em Nova York Ministro cumprirá isolamento obrigatório de 14 dias na cidade americana e não retorna com o presidente Bolsonaro ao Brasil. É o segundo caso de coronavírus na comitiva brasileira. © Marcelo Camargo/Agencia Brazil/picture alliance Queiroga declarou que está cumprindo os protocolos de segurança sanitária O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, testou positivo para covid-19 durante a viagem a Nova York, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro, e ficará em isolamento na cidade, comunicou nesta quarta-feira (21/09) a Presidência da República, que acrescentou que Queiroga passa bem.

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ) recomendou que todos os integrantes da comitiva do presidente Jair Bolsonaro que tiveram contato com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga , adotem medida de isolamento social, permanecendo em quarentena assim que retornarem ao Brasil. Por conta de Queiroga ter sido diagnosticado com Covid -19 em exame feito nos Estados Unidos, a Anvisa remeteu um ofício nesta madrugada à Casa Civil dando as orientações sanitárias que seguem as medidas protetivas no caso da pandemia.

Queiroga foi diagnosticado com Covid -19 em Nova York e acompanhou Bolsonaro durante toda a sua agenda na cidade americana. O isolamento, no entanto, é apenas uma recomendação da Anvisa , não uma exigência. Já Queiroga continua nos EUA e vai ficar em quarentena por duas semanas antes de voltar a Brasília. Durante seu discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas, Bolsonaro criticou medidas de isolamento contra a Covid -19 e defendeu o uso de tratamentos ineficazes contra a doença.

Por causa do teste positivo do ministro, a diplomacia brasileira decidiu suspender a presença de diplomatas nas reuniões previstas para ocorrer nesta quarta-feira, 22, na Assembleia-Geral da Nações Unidas. É o segundo caso de um infectado por coronavírus na comitiva do País.

Pelo Twitter, Queiroga confirmou o teste positivo e disse estar seguindo “todos os protocolos de segurança sanitária”. O ministro da Saúde não embarcou de volta a Brasília com Bolsonaro por causa do diagnóstico de covid. Ele ficou em Nova York. Médico, Queiroga se vacinou contra covid ainda em janeiro.

Durante a viagem a Nova York, onde Bolsonaro discursou na abertura da cúpula de países da ONU, Queiroga se envolveu em polêmica ao reagir com gesto obsceno a manifestantes. Um grupo pequeno protestava contra o presidente Jair Bolsonaro na calçada em frente à residência da missão nacional junto à ONU, onde a comitiva brasileira foi recepcionada para um jantar na noite de segunda-feira, 20.

Queiroga vive pior momento e se agarra ao cargo com acenos ao bolsonarismo .
BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Seis meses à frente do Ministério da Saúde, ciclo que completou isolado em Nova York para cumprir quarentena da Covid-19, o médico Marcelo Queiroga vive seu pior momento no governo federal. O ministro promove uma série de agrados ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para se agarrar ao cargo, ainda que contrarie técnicos da própria pasta e desgaste a relação com os gestores do SUS (Sistema Único de Saúde). Os acenos ao bolsonarismo ofuscam avanços na campanha de vacinação e a queda das internações na pandemia.

usr: 1
Isto é interessante!