Brasil Para celebrar Dia das Crianças, Luan distribui brinquedos em comunidade onde cresceu

17:56  12 outubro  2021
17:56  12 outubro  2021 Fonte:   estadao.com.br

Luan Peres não acredita em rebaixamento do Santos e fala em "dívida" com o clube

  Luan Peres não acredita em rebaixamento do Santos e fala em Defensor vendido no meio do ano ao Olympique analisou o momento do Peixe no Brasileirão e explicou a saída do clube e o sentimento de gratidão ao SantosMas o casamento durou pouco. A pedido de Jorge Sampaoli, ex-técnico santista e atual treinador do Olympique de Marseille, da França, o jogador se transferiu para o futebol Europeu. Os valores giraram em torno de 4 milhões de Euros (cerca de R$ 25 milhões) pelos 70% a que o Santos tinha direito.

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Acostumado a desarmar os adversários e roubar as bolas nas partidas, o volante Luan, do São Paulo, mostrou neste Dia das Crianças que também é generoso a ponto de dar e doar presentes. Na última sexta-feira, 8, o meio-campista tricolor esteve no Morro Doce, na Zona Oeste da capital paulista, para distribuir brinquedos às crianças que moram na região.

Ao todo foram entregues 500 brinquedos em um evento realizado no CEU Anhanguera (Centro Educacional Unificado), equipamento público da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo que promove educação para crianças e adolescentes que moram nas áreas periféricas da capital paulista.

Central Park, em NY, foi construído com destruição de bairro negro

  Central Park, em NY, foi construído com destruição de bairro negro O racismo é de tal forma elemento estrutural das sociedades ocidentais que se faz visível em qualquer assunto – até mesmo em temas como urbanização e o desenvolvimento de grandes cidades como Nova York. Por trás de um dos mais célebres cartões-postais de Manhattan está um perfeito exemplo da perseguição racial e da violência contra a população negra que caracteriza todas as relações sociais em um país como os EUA: pois antes do Central Park ser construído existia a Seneca Village, um bairro essencialmente negro que existia no coração da ilha.

Cerca de 500 brinquedos foram distribúidos em ação solidária organizada por Luan. © Triple Comunicação / Divulgação Cerca de 500 brinquedos foram distribúidos em ação solidária organizada por Luan.

A ação solidária contou com o apoio de uma fabricantes de brinquedos, que doou as lembranças para as crianças, e também com os amigos do jogador, que foram os responsáveis pela logística do transporte e distribuição dos presentes. "Para muitos, esses serão os únicos brinquedos que terão durante muito tempo. Por isso, colocar um sorriso no rosto desses pequenos significa muito pra mim”, disse Luan que morou no Morro Doce até se tornar jogador profissional do São Paulo.

”Já estive aqui no lugar dessas crianças. Sei que esse simples gesto faz toda a diferença para quem não tem muitas condições. Lembro o quanto eu ficava feliz quando alguém vinha aqui no dia das crianças e distribuía bolas, carrinhos e outras coisas”, lembra o volante são paulino.

Filme A Última Floresta aborda realidade de comunidade indígena Yanomami

  Filme A Última Floresta aborda realidade de comunidade indígena Yanomami Em entrevista à Mongabay, Davi Kopenawa e Luiz Bolognesi falam sobre o processo de produção de A Última Floresta, documentário que leva aos cinemas a realidade contemporânea do povo Yanomami. A Terra Indígena Yanomami, situada em Roraima, é a maior do Brasil, habitada por 26 mil indígenas de oito povos, seis deles isolados; a reserva vive sob intensa pressão do garimpo ilegal e do desmatamento. “O povo da cidade não conhece o povo Yanomami, nós moramos muito longe, perto das montanhas. É importante mostrar quem são os indígenas brasileiros, aqueles que cuidaram primeiro do nosso lugar, do nosso país”, diz Davi Kopenawa sobre a decisão de fazer o filme.

Revelação de Cotia, Luan figura entre os profissionais do São Paulo desde 2018, mas foi em 2020, sob o comando do técnico Fernando Diniz, que o jogador se tornou peça fundamental na equipe titular e unanimidade entre os torcedores.

Com a chegada de Hernán Crespo, Luan atingiu a melhor fase da carreira no primeiro semestre deste ano. O volante chegou a marcar o primeiro gol na carreira, contra o Sporting Cristal, pela Libertadores, e foi ele o responsável por abrir placar na decisão do Campeonato Paulista, contra o Palmeiras, na vitória por 2 a 0 que deu ao São Paulo o título estadual depois de 16 anos.

Apesar de Luan continuar tendo atuações seguras, o São Paulo está longe de apresentar o mesmo futebol do começo do ano nesta segundo semestre. Depois de ser eliminado na Libertadores e Copa do Brasil, o tricolor sofre para deslanchar no torneio nacional. Nesta segunda-feira, a equipe paulista amargou o quinto empate seguido contra o Cuiabá, e não consegue se afastar do perigo de ser rebaixado no Campeonato Brasileiro.

Completada 25ª rodada da competição, o São Paulo se encontra na 13ª posição da tabela, com 30 pontos. Na quinta-feira, a equipe de Hernán Crespo recebe o Ceará, no Morumbi, às 19h.

Luan só jogou 45 minutos das últimas 7 partidas pelo Corinthians .
O campeão olímpico Luan não vem sendo utilizado pelo Corinthians. Ele não entrou em campo na última segunda-feira (18), na derrota contra o São Paulo. Esse tipo de aparição vem se tornando recorrente na temporada. De acordo com levantamento do portal ge, nas últimas sete partidas, Luan começou todas na reserva e atuou por apenas 45 minutos. Em três dessas partidas, inclusive, ele sequer saiu do banco. América-MG: 7 minutos Palmeiras: 15 minutos Bragantino: não saiu do banco Bahia: 13 minutos Sport: 10 minutos Fluminense: não saiu do banco São Paulo: não saiu do banco Luan foi titular pela última vez contra o Grêmio, em 28 de agosto, mas foi substituído aos 10 minutos do segund

usr: 7
Isto é interessante!