Brasil Senado aprova projeto que muda reconhecimento de suspeitos para diminuir erros

02:53  14 outubro  2021
02:53  14 outubro  2021 Fonte:   folha.uol.com.br

'Prêmio Nobel não reflete mais como a ciência é feita hoje', diz astrofísico Brian Keating

  'Prêmio Nobel não reflete mais como a ciência é feita hoje', diz astrofísico Brian Keating O professor da Universidade da Califórnia questiona o processo de escolha dos vencedores nas categorias científicas e entende que o reconhecimento deveria ser dado a grupos de pesquisa, e não para cientistas de forma individual."Dar prêmios Nobel a cientistas de forma individual é um anacronismo", escreveu o pesquisador no ensaio Time to Update the Nobel ("Hora de Atualizar o Nobel", em tradução livre para o português) publicado em 2019 no site Aeon.

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Senadores aprovaram nesta quarta-feira (13) projeto que altera o Código de Processo Penal (CPP) para modificar as regras sobre o reconhecimento de suspeitos de cometerem crimes. A intenção é minimizar os erros que resultam na condenação de inocentes.

Para entrar em vigor, a proposta ainda precisa passar pela Câmara e depois ser sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

De acordo com o texto, a pessoa a ser reconhecida será apresentada com, pelo menos, outras três inocentes que atendam à descrição feita pela testemunha ou pela vítima, de forma que o suspeito não se destaque dos demais.

Lula e Bolsonaro minimizam eleição a governos e miram bancadas fortes no Senado em 2022

  Lula e Bolsonaro minimizam eleição a governos e miram bancadas fortes no Senado em 2022 Lula e Bolsonaro minimizam eleição a governos e miram bancadas fortes no Senado em 2022O objetivo é eleger uma bancada forte para dar sustentação ao governo no Congresso Nacional a partir de 2023, reduzindo a dependência de outros partidos e possibilitando a indicação de candidatos à presidência da Câmara dos Deputados e do Senado, cargos considerados chave para a governabilidade.

Atualmente, a lei não determina o número mínimo de pessoas que serão colocadas ao lado do autor do crime.

A proposta prevê que antes de iniciar o procedimento de reconhecimento, a vítima ou testemunha será alertada de que o autor do delito pode ou não estar entre aqueles que serão apresentados.

Após observar as pessoas apresentadas, ela poderá reconhecer ou não uma destas. As investigações irão continuar independentemente de uma pessoa ser reconhecida.

Se a vítima identificar o suspeito, ela deverá indicar, com suas próprias palavras, o grau de confiança da sua resposta.

"É extremamente relevante alterar o procedimento de reconhecimento de pessoas previsto na nossa legislação processual, que, além de ser excessivamente simplificado, mantém a redação originária do CPP, que foi editado no longínquo ano de 1941", justificou o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

Senado aprova criação de memorial em homenagem às vítimas da covid-19

  Senado aprova criação de memorial em homenagem às vítimas da covid-19 Projeto de autoria de Renan Calheiros prevê a construção de um monumento no espelho d'água do Congresso, com 27 pedras, cada uma representando a dor pela perda das vítimas em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal. © picture-alliance/ZB/R. Hirschberger Para Calheiros, Senado deve contribuir para que as vítimas da pandemia não sejam esquecidas O Senado aprovou nesta terça-feira (05/10) a criação de um memorial em homenagem às vítimas da covid-19 no Brasil. O país é o segundo do mundo com mais mortes devido à doença e registra oficialmente 598.829 óbitos.

O projeto propõe ainda criação de um dispositivo específico para disciplinar o reconhecimento por meio de fotografia e estabelece que, assim que possível, seja realizado o reconhecimento presencial.

Hoje, esse tipo de reconhecimento já vem sendo realizado na prática pelas polícias, mas não é regulamentado pela lei, o que resulta em falhas que alimentam máquina de prisões injustas de negros e pobres no Brasil.

Levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo revelou que, de 100 pessoas presas indevidamente, 42 foram vítimas da maneira como as autoridades realizaram os procedimentos de reconhecimento, muitas vezes induzindo vítimas a apontarem o suspeito escolhido.

Segundo levantamento do Colégio Nacional dos Defensores Públicos Gerais (Condege) e da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, 83% dos presos injustamente em razão de reconhecimento fotográfico são negros.

EUA debatem lei que pode barrar US$500 milhões em carne, couro e outros itens do Brasil

  EUA debatem lei que pode barrar US$500 milhões em carne, couro e outros itens do Brasil Projeto que será discutido no Congresso poderia representar primeira punição prática do governo americano, que tem pauta do aquecimento global como prioridade, ao comportamento ambiental do Brasil.O projeto legislativo, batizado de Forest Act 2021, ou Lei Florestal 2021, foi apresentado na última quarta (6/10), e é o mais abrangente marco legal no tema proposto nos EUA nos últimos anos. Na justificativa do projeto, ao qual a BBC News Brasil teve acesso em primeira mão, o senador democrata Brian Schatz e o congressista democrata Earl Blumenauer, autores da peça, citam o Brasil - e seus produtos de origem bovina - como exemplo do problema.

Pelo projeto, deverão ser seguidas as seguintes regras na realização de identificação por meio de fotos: no caso de reconhecimento positivo, todas as fotografias utilizadas no procedimento deverão ser juntadas aos autos, com a respectiva indicação da fonte de sua extração.

Também não será permitida a apresentação de fotografais que se refiram somente a pessoas suspeitas, integrantes de álbuns de suspeitos, extraídas de redes sociais, restritas a amigos ou associados conhecidos de suspeito já identificado ou de suspeitos de outros crimes semelhantes, assim como a apresentação informal de fotografias por autoridades de policiais judiciária ou de policiamento ostensivo.

O projeto prevê que o reconhecimento fotográfico, por si só, não poderá resultar na decretação de medidas cautelares, sendo necessária a apresentação de outros elementos externos de prova.

Ainda de acordo com o texto, o suspeito terá o direito de estar acompanhado de um defensor durante todo o processo de reconhecimento pessoal ou fotográfico, assim como nos procedimentos que resultarem deste ato.

Ozonioterapia: clínicas oferecem procedimento proibido para 'tratar' de câncer a infertilidade .
Anvisa diz que equipamentos de ozônio só são regularizados para uso em limpeza de pele e tratamento dentário, mas a BBC News Brasil identificou dezenas de clínicas oferecendo ozonioterapia como tratamento para todo tipo de doença.Recentemente, o nome da ozonioterapia apareceu no noticiário em meio às acusações de que o plano de saúde Prevent Senior teria pressionado profissionais de seus hospitais credenciados a prescrever tratamentos sem eficácia e segurança comprovadas contra a covid-19 e, em alguns casos, sem consentimento dos pacientes. A empresa nega as acusações (leia mais abaixo).

usr: 4
Isto é interessante!