Brasil William Bonner desmente Bolsonaro sobre associação entre vacina e Aids: "Falsa e absurda"

15:31  26 outubro  2021
15:31  26 outubro  2021 Fonte:   br.paipee.com

Jair Bolsonaro diz que vacina contra Covid-19 causa Aids, mas governo britânico desmente: 'A doença é provocada pelo HIV'

  Jair Bolsonaro diz que vacina contra Covid-19 causa Aids, mas governo britânico desmente: 'A doença é provocada pelo HIV' O presidente Jair Bolsonaro declarou, durante sua live semanal, que relatórios do Reino Unido sugeriram que pessoas totalmente vacinadas contra a Covid-19 começaram a desenvolver a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids). Contudo, o governo britânico desmentiu a afirmação e disse se tratar de fake news. Ao G1, o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido explicou que Bolsonaro usou a publicação de um site que compartilha mentiras e teorias de conspiração.

Durante o “Jornal Nacional” desta última segunda-feira (25), William Bonner desmentiu o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mais uma vez. O apresentador citou como “falsa e absurda” a associação do presidente da vacina contra a Covid-19 e a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (AIDS).

Facebook exclui live em que Bolsonaro relaciona falsamente Aids e vacina

  Facebook exclui live em que Bolsonaro relaciona falsamente Aids e vacina Vídeo também foi excluído do Instagram. É a primeira vez que empresa suprime live do presidente. Declaração mentirosa com o objetivo de alimentar paranoia contra os imunizantes provocou repúdio de médicos e políticos © Adriano Machado/REUTERS Bolsonaro tem feito declarações contra vacinas desde o ano passado. Ele também se recusa a tomar qualquer imunizante contra a covid-19 O Facebook apagou na noite de domingo (24/10) a última live semanal do presidente Jair Bolsonaro, transmitida na quinta-feira. O vídeo também foi excluído do Instagram, que também pertence à empresa.

++ Facebook tira do ar live de Bolsonaro com fake news sobre relação da vacina com a Aids

Em live transmitida na quinta-feira (21), as redes sociais, o político havia afirmado que supostos estudos do Reino Unido teriam concluído que os indivíduos totalmente imunizados estariam desenvolvendo a AIDS “muito mais rápido do que o previsto“. No domingo (24), redes sociais como o Facebook havia retirado o vídeo do ar.

Ao vivo, William Bonner desmente presidente da república e repudia fake news

Ao citar o comentário de Bolsonaro, Bonner avisou que a informação dada pelo presidente foi “completamente falsa e absurda“.

Assista ao momento:

Desde que foi publicada, essa nova iniciativa de Bolsonaro de desacreditar vacinas e desestimular a vacinação deixou incrédulas as comunidades médicos e cientificas. E provocou críticas veementes também no meio político.“, completou o jornalista, informando para a o público sobre a decisão do Facebook, Instagram e YouTube de apagar a live em que o presidente disseminou a informação mentirosa.

++ William Bonner declara que discurso de Bolsonaro teve “tom golpista”

Saiba mais

Vale destacar que essa não é a primeira vez que o editor chefe do “JN” desmente Bolsonaro ao vivo. Em julho, o âncora destacou uma declaração equivocada do político sobre o enfrentamento da pandemia da Covid-19, citando o Superior Tribunal Federal. O apresentador anunciava que o STF usou as redes sociais, pela primeira vez, para rebater Bolsonaro através de um vídeo.

Conteúdo de fact-checking do PaiPee.

Não deixe de curtir nossa página no Facebook , no Twitter e também no Instagram para mais notícias do PaiPee.

“Não fui eu que falei aquilo”, diz Bolsonaro sobre relação de vacina e aids .
Presidente fala que não “inventou” relação entre imunizante e a doença mencionada em sua live no dia 21 de outubro“Eu mostrei uma matéria da revista Exame. Eu não inventei”, disse em entrevista ao canal Jovem Pan News nesta 4ª feira. Depois que Bolsonaro falou sobre a relação entre as vacinas e a aids durante uma live em 21 de outubro, o Facebook e o YouTube removeram os vídeos da transmissão ao vivo. Na live que saiu do ar, Bolsonaro não mencionou a revista Exame.

usr: 3
Isto é interessante!