Brasil Bolsonaro diz que Petrobras não pode dar lucro ‘muito alto’; governo é principal acionista

03:06  29 outubro  2021
03:06  29 outubro  2021 Fonte:   estadao.com.br

Acionistas da Petrobras entram com ação em tribunal holandês

  Acionistas da Petrobras entram com ação em tribunal holandês Investidores da Petrobras excluídos do acordo de US$ 2,95 bilhões para encerrar as investigações nos Estados Unidos de irregularidades apontadas pela Lava Jato planejam entrar com uma ação coletiva nos Países Baixos, onde a estatal não conseguiu que o processo fosse arquivado por motivos processuais. Most Read from BloombergGoogle’s Biggest Moonshot Is Its Search for a Carbon-Free FutureA $30 Billion Fortune Is Hiding in China’s Silicon ValleyThe Biggest Public Graveyard in the U.S.

Após dizer que a Petrobras “só dá dor de cabeça” e pedir à equipe econômica para estudar a possibilidade de privatizá-la, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta feira que a estatal precisa reduzir sua margem de lucro.

“Tem que ser empresa que dê lucro não muito alto, como tem dado. Além de lucro alto para acionista, a Petrobras está pagando dívidas bilionárias”, afirmou Bolsonaro em transmissão ao vivo nas redes sociais, sem considerar que o principal acionista da companhia é o próprio governo federal. No entanto, o presidente prometeu que não haverá quebras de contratos.

O presidente Jair Bolsonaro.  © Dida Sampaio/ Estadão O presidente Jair Bolsonaro.


Time Petrobras anuncia foco em promessas do esporte olímpico

  Time Petrobras anuncia foco em promessas do esporte olímpico Patrocínio da Petrobras ao esporte olímpico brasileiro completa dez anos em 2021"A cada ciclo olímpico, a companhia revisa sua atuação, buscando sempre aliar os resultados do patrocínio ao seu propósito de contribuir para a sociedade. A companhia agradece a dedicação dos 22 atletas de alto rendimento do Time Petrobras 2021, que a cada competição construíram histórias de sucesso e superação. Nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, conquistaram 11 medalhas para o Brasil, encerrando com grande orgulho mais um ciclo olímpico", informou a empresa.

Preocupado com o impacto da alta dos combustíveis em sua popularidade, o chefe do Executivo tem criticado, nas últimas semanas, a política de preços da Petrobras e acenado para a privatização da empresa.

Como mostrou o Estadão/Broadcast, porém, a possibilidade ainda é considerada como algo distante para analistas e bancos. Na segunda-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, também defendeu a privatização e afirmou que a estatal não valerá nada nos próximos 30 anos.

A política de preços da companhia de petróleo foi novamente criticada por Bolsonaro nesta quinta-feira. “A Petrobras é obrigada a aumentar o preço, porque ela tem que seguir a legislação. E nós estamos tentando buscar maneiras de mudar a lei nesse sentido”, afirmou o presidente.

Bolsonaro, ao lado de Guedes, volta a defender Auxílio Brasil de R$ 400

  Bolsonaro, ao lado de Guedes, volta a defender Auxílio Brasil de R$ 400 Governo acertou com o Congresso um 'drible' na regra do teto de gastos para conseguir elevar o valor do antigo Bolsa Família; presidente afirmou também que ministro da Economia só sairá junto com ele, 'lá na frente'Ele voltou a criticar a política do "fica em casa" e disse que o mundo está sofrendo ainda com o que ele espera ser o "fim da pandemia". "Muitos países estão com desabastecimento e nós não temos esse problema. Sabemos que o custo de vista tem aumentado. Ano passado, demos o auxílio emergencial, gastamos o equivalente a 13 anos de Bolsa Família. O Brasil tem que voltar à normalidade", disse.

"Ninguém entende o preço do combustível estar atrelado ao dólar”, acrescentou, dizendo também, em meio a pressão de caminhoneiros, que o diesel importado “influencia pesadamente” o preço do produto no Brasil.

Em uma insistência de retórica, Bolsonaro voltou a cobrar governadores durante a live para reduzir o ICMS incidente sobre os combustíveis e disse estar “provocando o debate” sobre a questão. “Não pretendo por lei ou decisão judicial interferir no ICMS”, afirmou. “Eu garanto que o cobrado de imposto federal, da nossa parte, vai ficar congelado”, acrescentou.


Processo na CVM

As falas do presidente sobre a Petrobras e notícias de que o governo discute um plano de privatização da estatal têm gerado dor de cabeça para a petrolífera, que tem capital aberto e ações negociadas na Bolsa. As declarações têm provocado altas e quedas no preço das ações da empresa, o que chamou a atenção dos reguladores.

Petrobras aumenta diesel em 9,2% e gasolina em 7% a partir de amanhã

  Petrobras aumenta diesel em 9,2% e gasolina em 7% a partir de amanhã Anúncio de novo ajuste para a gasolina vem 17 dias após o último aumento; diesel havia sido reajustado em 28 de setembro . A gasolina vai aumentar R$ 0,21 por litro, ou 7% em relação ao preço anterior, e o diesel, R$ 0,28 por litro, alta de 9,2% em relação ao último aumento. O novo preço entra em vigor a partir de terça-feira, 26, nas refinarias da Petrobras. O preço médio de venda da gasolina A da Petrobras, para as distribuidoras, passará de R$ 2,98 para R$ 3,19 por litro. Já para o diesel A, o preço médio de venda da Petrobras, para as distribuidoras, passará de R$ 3,06 para R$ 3,34 por litro.

Na quarta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu um processo administrativo envolvendo a Petrobras após o presidente Jair Bolsonaro declarar que pediu ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um estudo sobre a possível privatização da estatal.

O processo deve analisar os fatos recentes envolvendo a companhia, incluindo notícias, fatos relevantes e comunicados.

Bolsonaro falou mais de uma vez sobre privatizar a Petrobras nos últimos dias. Na segunda-feira, 25, ele disse que assunto “entrou no radar”. O comentário foi feito após reajuste de preços de combustíveis. Naquele dia, os papéis preferenciais da estatal fecharam em alta de 6,84%, para R$ 29,04.

No dia seguinte, a Petrobras divulgou comunicado informando ter questionado o governo, por meio do Ministério da Economia, sobre a existência ou não de estudos para a privatização da companhia. A empresa também informou que manteria o mercado atualizado sobre eventuais fatos relevantes indicados pelo governo. / COLABOROU BRUNO VILLAS BÔAS

Bolsonaro quer usar dividendos da Petrobras para reduzir preço do diesel .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta segunda-feira (1º) que o governo federal não tem interesse nos dividendos recebidos pelo lucros da Petrobras e que conversa com a equipe econômica para que esses recursos sejam revertidos para abater o preço do diesel. Durante visita à Itália, Bolsonaro disse ainda, em entrevista a jornalistas, que recebeu informações extraoficiais de que em 20 dias a estatal promoverá um novo reajuste nos preços dos combustíveis, e alertou que isso não pode acontecer. Na semana passada, o presidente havia defendido um "viés social" para a Petrobras e afirmou que a empresa deveria lucrar menos.

usr: 2
Isto é interessante!