Brasil: Com queda de Cintra, relator no Senado descarta CPMF e propõe aumento de IVA - PressFrom - Brasil

BrasilCom queda de Cintra, relator no Senado descarta CPMF e propõe aumento de IVA

01:30  17 setembro  2019
01:30  17 setembro  2019 Fonte:   estadao.com.br

Após demissão, Cintra volta a defender CPMF no Twitter

Após demissão, Cintra volta a defender CPMF no Twitter Na rede social, Cintra respondeu a uma publicação que afirmava que apenas cinco países no mundo possuem impostos como a CPMF : Venezuela, Argentina, República Dominicana, Peru e Sri Lanka. “A Hungria teve autorização do BCE e introduziu o imposto em 2014. Na Argentina, é usado há 20 anos com alíquota de 1,2% com excelentes resultados”, disse Cintra na rede social, que complementou o comentário afirmando que países com tradição tributária consolidada não precisam de CPMF.

BRASÍLIA - O senador Roberto Rocha (PSDB-MA), relator da reforma tributária no Senado, avalia que a criação de um imposto nos moldes da antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) foi enterrada após a demissão do ex-secretário da Receita Federal, Marcos Cintra. No lugar desse tipo de cobrança, o relator estuda propor um aumento no Imposto sobre Valor Agregado (IVA), a ser criado com a reforma, para compensar a redução do imposto sobre a folha de salários.

Ele anunciou que vai apresentar na quarta-feira, 18, o parecer da reforma tributária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O relatório será fechado independentemente do envio da proposta do governo federal, que ainda não foi formalmente enviada ao Congresso.

O enterro da nova CPMF

O enterro da nova CPMF Ao demitir Marcos Cintra da direção da Receita Federal, o governo sinaliza que abandonou a ideia de recriar a famigerada CPMF, mas confirma que vai reformular o regime tributário “para corrigir distorções”

Com queda de Cintra, relator no Senado descarta CPMF e propõe aumento de IVA© Waldemir Barreto/Agência Senado O texto do parecer do relator Roberto Rocha ainda não foi fechado

O texto do parecer ainda não foi fechado. Roberto Rocha estuda propor a redução de 20% para 14% do imposto sobre a folha de salários. A desoneração diminuiria a arrecadação em R$ 70 bilhões por ano, nos cálculos dele. Para compensar, o tucano avalia colocar no parecer uma elevação na alíquota do Imposto sobre Valor Agregado (IVA), de 25%, para mais três a quatro pontos porcentuais. Tanto a desoneração quando a elevação do IVA, destacou, seriam feitas de forma gradual, em três etapas, e não de uma só vez.

Com queda de Cintra, relator no Senado descarta CPMF e propõe aumento de IVA
App Microsoft Notícias
Baixe Agora
Publicidade para Android e iOS

Outra forma de compensar a desoneração da folha, de acordo com o relator, seria a criação de um tributo nos moldes da antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). A ideia, rejeitada no Congresso, era defendida pelo ex-secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, demitido na semana passada. "O que o governo quer é o IVA federal. A questão da movimentação financeira parece que foi sepultada pelo próprio presidente (Jair Bolsonaro), afirmou Rocha ao Estadão/Broadcast.

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes Bolsonaro pediu para CPMF não entrar na reforma tributária, diz Guedes

Um dia após Cintra ser demitido, Rocha se reuniu com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e avisou que entregaria o relatório independentemente da proposta do governo. A equipe econômica poderia, então, propor uma emenda por meio de um senador com alterações na proposta.

IVA dual

O relator estuda propor a adoção de um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) dual, ou seja, uma parte com tributos federais e outra com impostos estaduais e municipais. A medida visa a atender uma demanda do governo federal, que defende uma composição de tributos federais, e ao mesmo tempo incluir Estados e municípios na reforma.

O texto do Senado cria o Imposto sobre Operações com Bens e Serviços (IBS) substituindo nove tributos: IPI, IOF, PIS/Pasep, Cofins, Salário-Educação, Cide-Combustíveis (todos federais), ICMS (estadual) e o ISS (municipal). Além disso, a proposta propõe o Imposto Seletivo para bens e serviços específicos, como combustíveis e energia elétrica.

Cronograma

O relator quer votar a reforma na CCJ no próximo dia 24, no mesmo dia em que a CCJ se reúne para analisar emendas de plenário à reforma da Previdência. "A tributária, diferente da Previdência, une o Senado. Você vai ver no resultado da votação final", declarou o senador.

Na Câmara, deputados discutem outra proposta. Para Roberto Rocha, as propostas em algum momento vão se encontrar e poderão ser discutidas pelo mesmo colegiado.

Leia Mais

Notícias do dia: salário mínimo, volta de Bolsonaro, Witzel, Frota, petróleo e mudanças na CNH.
Imposto para substituir CPMF, mais uma vítima de incêndio em hospital no Rio, assassinato de jogador de basquete e concessão do Pacaembu também foram assuntos desta segunda-feira, 16

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 3
Isto é interessante!