Brasil Empresas ‘cheque em branco’ captam US$ 2 bi para aquisições no Brasil

15:54  04 dezembro  2021
15:54  04 dezembro  2021 Fonte:   istoe.com.br

Atlético-MG inicia venda de ingressos para o duelo com o Flu e aumento o valor do ticket

  Atlético-MG inicia venda de ingressos para o duelo com o Flu e aumento o valor do ticket O time mineiro fez reajustes nos preços gerando discussões entre os torcedores. Uns achando caro e outros justo o valor cobradoA VENDA ACONTECE EXCLUSIVAMENTE ON-LINE: https://bit.

As empresas “cheque em branco”, aquelas em que o investidor não conhece a companhia na qual vai investir, mas apenas os gestores do dinheiro, nunca captaram tanto como nos últimos meses e estão com bilhões para fazer aquisições na América Latina, especialmente no Brasil. Só neste ano, já são US$ 2 bilhões em ofertas na Nasdaq, de gestoras como XP, Dynamo, Valor Capital, Pátria e Crescera.

Nos bancos de investimento, a avaliação é que o tamanho do mercado brasileiro deve receber em 2022 mais Spacs (nome técnico para as companhias de aquisição com propósito específico, na sigla em inglês), inclusive com ofertas na B3. A Alvarez & Marsal foi a primeira a conseguir autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para fazer a captação via Bolsa brasileira.

Corinthians encara Ceará para seguir no G4 e quebrar jejum de quase três meses sem vitórias fora de casa

  Corinthians encara Ceará para seguir no G4 e quebrar jejum de quase três meses sem vitórias fora de casa Oitenta e nove dias após conquistar o seu último triunfo como visitante, Alvinegro atua no Castelão para defender posto na tabela do Brasileirão e engrenar por vaga na LibertadoresTABELA

Globalmente, as áreas preferidas das “cheques em branco” são os setores de saúde e tecnologia, com empresas de valor de mercado calculado em cerca de US$ 1 bilhão. No Brasil, esse universo não é tão grande. Seriam em torno de 60 ou 70 empresas privadas, nos cálculos de um banco estrangeiro, considerando as companhias que ainda não foram à Bolsa. “Aí fica todo mundo batendo cabeça nas mesmas”, diz a fonte deste banco.

Novidade

Como esse tipo de operação é nova no País, é preciso de mais um tempo de maturação desse mercado, diz um executivo da Faria Lima. Enquanto menos de 10 Spacs foram lançadas no Brasil neste ano, nos Estados Unidos, os lançamentos já são em torno de 400.

Para essa fonte, com o mercado mais difícil para ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês), o Spac pode ser uma opção de recursos para companhias com planos de abrir o capital, em 2022.

Bancos de Wall Street querem voltar à rotina exaustiva no escritório, mas funcionários não

  Bancos de Wall Street querem voltar à rotina exaustiva no escritório, mas funcionários não Em todo o setor financeiro, em grandes e pequenas empresas, os empregados estão demorando para retomar o trabalho presencial, mesmo com a exigência feita pelos chefesQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

A sócia do escritório Demarest, Ana Carolina Audi, concorda que essa é uma oportunidade para que empresas cheguem à Bolsa sem passar pelo processo de abertura de capital formal. Nesses casos, os investidores, muitas vezes, priorizam retornos de curto prazo. “Por exemplo, companhias de tecnologia que receberam alto investimento de fundos de private equity (que compram participações em empresas) e que apresentam potencial rentabilidade que talvez não seja suficiente para entrada na Bolsa”, diz.

O primeiro fator que contribuiu para o boom desse tipo de captação, segundo banqueiros de investimento, foi a procura por rendimento. Quando o investidor compra papéis de uma Spac, mesmo que a empresa não encontre ativos para adquirir no curto prazo, seu dinheiro é remunerado. Em situações de juro baixo, dá mais retorno do que um fundo tradicional. Outra razão é a falta de boas empresas para aquisição. Normalmente, o prazo entre a captação do Spac e o limite para a compra é de dois anos.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fim da história de amor entre Wall Street e as empresas chinesas .
O anúncio da retirada do "Uber chinês", Didi, marca o fim do romance entre Wall Street e os gigantes chineses da tecnologia, apanhados entre as autoridades chinesas e os reguladores norte-americanos. Na sexta-feira após o anúncio, os investidores abandonaram os pesos pesados do comércio eletrônico Alibaba, JD.com e Pinduoduo, todos negociados em Wall Street. As ações da Alibaba, cujo IPO na Bolsa de Nova York em 2014 deu início aos mega-IPOs chineses, caíram para seu nível mais baixo em quase cinco anos, e há rumores de que é a próxima candidata a sair da Wall Street, depois da Didi.

usr: 7
Isto é interessante!