Brasil Brasil registra 88,4 mil casos de covid-19 em 24 horas e vê média móvel crescer 325% em uma semana

05:08  13 janeiro  2022
05:08  13 janeiro  2022 Fonte:   estadao.com.br

Brasil notifica 32 mortes por covid-19 em 24 horas; média móvel é de 98

  Brasil notifica 32 mortes por covid-19 em 24 horas; média móvel é de 98 Dados ainda são impactados por feriado de réveillon; seis Estados não relataram óbitos pela doençaQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

O Brasil registrou 88,4 mil casos da covid-19 nas últimas 24 horas e teve um aumento de 325% na média móvel de novos casos em uma semana. Segundo os dados do Consórcio de Veículos de Imprensa divulgados nesta quarta-feira, 12, a média móvel de casos atual, que elimina as distorções entre dias úteis e fim de semana, é de 52.714 casos por dia. Na quarta-feira passada, dia 4 de janeiro, a média era de 12.391.

Em relação às mortes causadas pela covid-19, o registro foi de 138 nas últimas 24 horas. Neste caso, a média móvel aumentou no período, passando de 96 para 123, um aumento de 33%. Sete Estados não registraram mortes nesta quarta-feira.

Brasil registra mais de 19 mil casos de Covid em 24 h

  Brasil registra mais de 19 mil casos de Covid em 24 h SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil registrou 19.091 casos de Covid, nesta terça-feira (4), em mais um dia de alta de casos e de média móvel de infecções. O país também teve o registro de 178 mortes. Com isso, desde o início da pandemia, 619.426 perderam a vida e 22.322.027 pessoas foram infectadas pelo Sars-CoV-2. A média móvel de casos chegou agora a 9.874, crescimento de 223% em relação aos dados de duas semanas atrás. Já a média de mortes está estável (sem variações superiores a 15%) e é de 96. Alguns fatores podem explicar o crescimento na média de infecções.

O aumento dos casos é observado em todo o País nestas primeiras semanas de 2022. Apesar do baixo sequenciamento genético dos casos positivos, especialistas ligam o aumento principalmente à transmissão comunitária da variante Ômicron, às aglomerações de fim de ano e ao relaxamento de medidas de prevenção.

O represamento de dados por instabilidade do Ministério da Saúde também explica a explosão de casos em alguns dias. Nesta quarta-feira, por exemplo, Minas Gerais registrou 18 mil novos infectados. Além da variante Ômicron e às aglomerações de fim de ano, a secretaria estadual de saúde também atribuiu o aumento às notificações não-registradas em dias anteriores por instabilidade.

O crescimento da média móvel na última semana, no entanto, indica que o aumento de casos notificados não é uma exceção gerada por represamento. Essa média é calculada somando o número de casos de cada um dos sete dias anteriores e dividindo esse resultado por 7. Com uma amostra sequencial de notificações, os especialistas afirmam que ela dá um retrato do comportamento da pandemia, eliminando as distorções.

Covid: média móvel de casos sobe 302% no Brasil

  Covid: média móvel de casos sobe 302% no Brasil Foram registrados 35.826 casos nas últimas 24h, um aumento de 302% na média móvel em relação há 2 semanas Formulário de cadastro Poder360 todos os dias no seu e-mail concordo com os termos da LGPD.

Por conta do crescimento perceptível de casos da covid-19 nos últimos dias, ao menos 9 Estados brasileiros anunciaram novas medidas restritivas para tentar conter aglomerações. Nesta quarta-feira, 12, foi a vez de São Paulo. O governo recomendou que as cidades reduzam em 30% a capacidade total de público para os eventos.

O Estado tem registrado um aumento no número de pessoas internadas em UTIs. Nas últimas duas semanas, esse aumento passou de 1.096 para 1.727, alta de 58%. O aumento nas pessoas admitidas em enfermarias foi ainda mais intenso, passando de 1.712 para 3.413 no período, 99% a mais.

Nesta quarta-feira, 12, a taxa de ocupação nos leitos de UTI do Estado é de 39,01%, enquanto a lotação da Grande São Paulo está um pouco acima, em 46,35%. Segundo o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, as novas internações têm "acontecido fundamental nas enfermarias".

“Precisamos observar que a condição clínica dos internados agora é muito menos grave e o tempo de internação muito mais curto em relação ao que víamos antes da vacinação”, disse Gorinchteyn.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho de 2020, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

Média de infecções no Brasil dispara com Ômicron; mortes já têm alta .
Explosão de casos diários, que já passam de 200 mil, eleva internações e aumenta em 121% número de óbitos em 19 diasQuer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

usr: 1
Isto é interessante!