Brasil Casal com ômicron no Brasil se vacinou com Janssen

16:41  07 abril  2022
16:41  07 abril  2022 Fonte:   poder360.com.br

Três doses de Coronavac não protegem contra ômicron, diz estudo

  Três doses de Coronavac não protegem contra ômicron, diz estudo Duas doses e uma dose de reforço da vacina contra Covid-19 fabricada pela chinesa Sinovac Biotech, uma das mais usadas no mundo, não produzem níveis suficientes de anticorpos neutralizantes para proteger contra a variante ômicron, segundo um estudo científico. Most Read from BloombergOmicron May Double Risk of Getting Infected on Planes, IATA SaysOmicron Has 80% Lower Risk of Hospitalization in South AfricaThree Sinovac Doses Fail to Protect Against Omicron in StudySingapore's Travelers Face Omicron ChaosOmicron Hospitalization Risk Is Far Below Delta’s in Two StudiesA pesquisa sugere que as pessoas que receberam a injeção da Sinovac,

Os primeiros infectados com a variante ômicron do coronavírus no Brasil foram vacinados com o imunizante da Janssen contra a covid-19. A informação foi confirmada ao Poder360 pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo.

A vigilância sanitária da capital paulista havia divulgado na 3ª feira (30.nov) que os infectados não haviam sido vacinados. O órgão atualizou a Secretaria Estadual nesta 4ª feira (1º.dez) que o casal tomou o imunizante.

O Poder360 atualizou com o novo fato uma reportagem publicada na 3ª feira com a primeira informação da vigilância municipal.

Os 2 infectados chegaram ao Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, em 23 de novembro. Tiveram diagnostico positivo para doença em 25 de novembro. O sequenciamento genético para descoberta da variante só ficou pronto na tarde de 3ª feira (30.nov).

Europa se fecha contra ômicron

  Europa se fecha contra ômicron Com aumento dos casos e mortes por coronavírus no Velho Continente, países voltam a adotar restrições, com fechamento de lojas e lockdownSomente na terça-feira, o Reino Unido registrou 90 mil novos casos. Em uma semana, o total de infectados foi 63% maior do que na semana anterior. Segundo o governo, o registro de mortes diárias foi de 172, após 28 dias de um teste de COVID-19.

O casal está em isolamento domiciliar, passa bem e não apresenta sintomas da doença. Equipes da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo estão no local para acompanhamento e rastreamento de contatos.

A Anvisa notificou o Ministério da Saúde e as Secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo sobre os casos. Dessa forma, os órgãos podem tomar as medidas necessárias para evitar a propagação da nova variante. O Cievs (Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde) deve monitorar os casos da cepa no país.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirmou na 2ª feira (29.nov) que a ômicron representa um risco muito alto para todos os países. Alertou para a possibilidade de futuros picos de covid-19. Segundo a organização, há mutações na variante que podem conferir capacidade de escapar da resposta imune ao vírus e ser mais transmissível.

Na África do Sul, só 29% da população tomou pelo menos uma dose da vacina, enquanto 24% estão com o ciclo de imunização completo.

A subvariante BA.2 pode reinfectar quem já pegou a ômicron? .
A subvariante ômicron BA.1 infectou muitos brasileiros até janeiro. Agora, a BA.2 tem causado preocupação por ser mais contagiosa. Será que quem contraiu a primeira versão da cepa ômicron pode se reinfectar com a BA.2? © Diego Vara/REUTERS Estudo diz que proporção de casos da BA.2 subiu de 3,8% para 27,2% em apenas três semanas nos diagnósticos positivos Após a subvariante da ômicron BA.1 ter sido responsável pelo surto de covid-19 que ocorreu entre dezembro e janeiro e ainda ser predominante no Brasil, a BA.

usr: 1
Isto é interessante!