Brasil Conab reduz previsão de exportação de soja do Brasil e eleva processamento

20:36  07 abril  2022
20:36  07 abril  2022 Fonte:   reuters.com

Mato Grosso começa colheita da maior safra de soja da história do Brasil

  Mato Grosso começa colheita da maior safra de soja da história do Brasil Mato Grosso começa colheita da maior safra de soja da história do BrasilSÃO PAULO (Reuters) - Produtores de soja em Mato Grosso começaram a colher os primeiros campos do Estado nesta semana, mas com os trabalhos ainda muito localizados, poucos se arriscam a prever a produtividade das lavouras ou estimar o percentual colhido no maior fornecedor da oleaginosa no país.

Por Roberto Samora

Agricultor checa plantação de soja em Primavera do Leste (MT) © Reuters/Paulo Whitaker Agricultor checa plantação de soja em Primavera do Leste (MT)

SÃO PAULO (Reuters) - A safra de soja do Brasil 2021/22, com colheita caminhando para o final, foi estimada nesta quinta-feira pela estatal Conab em 122,4 milhões de toneladas, praticamente estável ante o volume de março.

Mas a agência ligada ao Ministério da Agricultura reduziu as exportações e aumentou a expectativa de processamento interno da oleaginosa, com o país usando estoques da matéria-prima para aproveitar as margens favoráveis na indústria.

O volume de produção de soja projetado para o maior produtor e exportador global representa uma queda 11,4% ante 2021, após Estados ao Sul do Brasil lidarem com uma severa seca este ano. Isso vai colaborar para cortar as exportações do país em cerca de 9 milhões de toneladas do grão em 2022 na comparação anual.

Sanções à BPC elevam preço de potássio e põem em risco avanço da soja no Brasil em 22/23

  Sanções à BPC elevam preço de potássio e põem em risco avanço da soja no Brasil em 22/23 As sanções à BPC tornariam o mundo mais dependente de outros fornecedores, como a canadense Nutrien Ltd []Os preços do fertilizante, que desempenha um papel vital na produtividade de safras, já estavam em máximas de 13 anos antes de uma decisão dos EUA em 2 de dezembro e devem subir ainda mais, potencialmente reduzindo o ritmo do crescimento de área plantada de soja no Brasil em 2022/23, o maior produtor e exportador mundial da oleaginosa, disseram analistas.

Na linha do que divulgou a associação da indústria Abiove no final do mês passado, a Conab reduziu a previsão de exportação de soja do Brasil para 77 milhões de toneladas, cerca de 3 milhões abaixo da projeção anterior.

Já o processamento em 2022 foi revisado para cima pela Conab, a 46,5 milhões de toneladas, ante 42,9 milhões na previsão de março.

"A redução de estimativa de exportações e o aumento do esmagamento interno são motivadas por uma expectativa de menor exportação de soja em grãos para o segundo semestre, uma vez que, com as margens de esmagamento bastante atrativas, os esmagamentos e as exportações de óleo de soja devem ser elevados...", comentou a Conab.

Para abril, as exportações de soja devem recuar quase 30% ante o mesmo período do ano passado, após grandes volumes no primeiro trimestre, segundo estimativa da associação de exportadores Anec.

Conab eleva previsão de safra de café do Brasil a 47,7 mi sacas em 2021

  Conab eleva previsão de safra de café do Brasil a 47,7 mi sacas em 2021 Conab eleva previsão de safra de café do Brasil a 47,7 mi sacas em 2021"O quarto levantamento trouxe leve incremento da produtividade em relação ao anterior, fruto da percepção dos produtores de que as geadas causaram um impacto menor que o esperado, particularmente nas áreas onde já havia iniciado o processo de colheita", disse a Conab.

MILHO RECORDE

O Brasil deverá colher um volume recorde de milho na temporada 2021/22, estimado nesta quinta-feira em 115,6 milhões de toneladas, de acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que revisou para cima em mais de 3 milhões de toneladas o dado ante a projeção de março, com bom desenvolvimento das lavouras de segunda safra.

"As perspectivas de aumento da produtividade estão presentes na maioria dos Estados. Somente Minas Gerais e Goiás geram alguma preocupação devido à redução das precipitações ocorridas após a primeira quinzena de março e ao plantio de uma pequena parte das áreas fora da janela ideal", afirmou a Conab em relatório.

Segundo a estatal, "houve um aumento significativo da área semeada devido aos preços convidativos do mercado e à antecipação do plantio da soja, que permitiu uma janela mais ampla e favorável para a implantação da lavoura (de milho de inverno)".

Abiove prevê recuo no esmagamento de soja no Brasil em 2021 e 2022

  Abiove prevê recuo no esmagamento de soja no Brasil em 2021 e 2022 Mas entidade prevê aumento da produção do grão para este ano, com 138,3 milhões de toneladas colhidas []O valor indica um crescimento de 8% em relação à produção brasileira em 2020, quando o setor produziu cerca de 127,9 toneladas. Tal crescimento pode ser explicado pelo aumento da área cultivada do grão no país entre as safras 202/21 e 2021/22 — um crescimento de cerca 1,4 milhão de hectares, segundo a estimativa de dezembro da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

A área semeada na segunda safra deve alcançar cerca de 16 milhões de hectares, 7% superior à temporada anterior.

Dessa forma, a Conab reviu a projeção de safra total de milho, que até o mês passado era estimada em 112,3 milhões de toneladas. Agora a estimativa é de aumento anual de 32,7%.

A segunda safra, com plantio praticamente finalizado, está estimada em 88,5 milhões de toneladas, alta de 45,8% ante a temporada anterior, que foi afetada por seca e geadas.

Com maior oferta, a Conab elevou a previsão de exportação de milho do Brasil 2021/22 para 37 milhões de toneladas, 2 milhões acima do número de março e quase o dobro do visto na temporada anterior.

Além disso, elevou a previsão de consumo de milho no Brasil 2021/22 para recorde de 77,2 milhões de toneladas, ante 76,5 milhões na projeção anterior.

Já a safra de algodão do Brasil 2021/22 foi estimada em 2,83 milhões de toneladas (pluma), praticamente estável na comparação mensal, mas um salto de quase 20% ante o ciclo anterior. A previsão de exportação foi mantida em aproximadamente 2 milhões de toneladas, sem grandes alterações em relação ao ano passado.

Pãozinho vai ficar mais brasileiro nos próximos anos .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O pãozinho deverá ser mais brasileiro nos próximos anos. A guerra da Ucrânia mostrou a necessidade de o país repensar algumas atividades agrícolas, principalmente a do trigo. O Brasil foi afetado fortemente em dois pontos fundamentais na dependência externa que o agronegócio tem: fertilizantes e trigo. No caso do primeiro, as importações vêm diretamente de um dos países envolvidos no conflito, que é a Rússia. Com relação ao trigo, tanto Ucrânia como Rússia são importantes exportadores mundiais do cereal.

usr: 2
Isto é interessante!