Brasil Lava Jato do Rio prende perito suspeito de fraudar laudos para Fetranspor

16:01  05 dezembro  2019
16:01  05 dezembro  2019 Fonte:   poder360.com.br

Lula volta a ser julgado pelo tribunal que permitiu sua prisão na Lava Jato

  Lula volta a ser julgado pelo tribunal que permitiu sua prisão na Lava Jato Lula volta a ser julgado pelo tribunal que permitiu sua prisão na Lava JatoO ex-presidente foi condenado pela juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal do Paraná, a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele foi acusado de receber R$ 1 milhão em propinas das empreiteiras Odebrecht e OAS para reformas no sítio Santa Bárbara, frequentado pelo petista e a família, no interior de São Paulo.

A Lava Jato do Rio de Janeiro prendeu nesta 5ª feira (5.dez.2019) o perito judicial Charles Fonseca William. Ele é acusado de fraudar laudos para favorecer empresas de ônibus do Estado e superfaturar valores para relatórios no Judiciário fluminense. A prisão preventiva foi autorizada pelo

MPF afirma que ele fraudou laudos em troca de propina. Por Marco Antônio Martins, G1 Rio . PF cumpre mandado de prisão contra perito judicial acusado de favorecer empresas de ônibus. A força-tarefa da Lava Jato do RJ prendeu nesta quinta-feira (5) o perito judicial Charles Fonseca William.

Operação apura irregularidades em indenizações de empresas de ônibus no Rio de Janeiro © Reprodução/Facebook (Fetranspor) Operação apura irregularidades em indenizações de empresas de ônibus no Rio de Janeiro

A Lava Jato do Rio de Janeiro prendeu nesta 5ª feira (5.dez.2019) o perito judicial Charles Fonseca William. Ele é acusado de fraudar laudos para favorecer empresas de ônibus do Estado e superfaturar valores para relatórios no Judiciário fluminense.

A prisão preventiva foi autorizada pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Os agentes também cumprem mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao esquema.

A ação, batizada de Expertus, é resultado de 3 delações premiadas, a de Lélis Teixeira, ex-executivo da Fetranspor (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio); de Marcelo Traça, ex-presidente o Setrerj (Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio); e de Álvaro Novis, doleiro e operador do esquema de propina comandado pelo ex-governador Sérgio Cabral (MDB-RJ).

STJ revoga ordem de prisão contra ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes

  STJ revoga ordem de prisão contra ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes Investigado por corrupção. Caso envolve Dario Messer. Não chegou a ser presoEle é investigado na operação Patrón, desdobramento da operação Lava Jato, por corrupção, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa, em esquema envolvendo o doleiro brasileiro Dario Messer, preso em julho deste ano.

William, segundo colaboradores ligados a Rio Ônibus e a Fetranspor , é suspeito de fraudar laudos para favorecer empresas de ônibus em troca de propina. Os documentos foram encontrados em uma empresa de manutenção de depósito de documentos, contratada pela transportadora de valores

Agentes da Lava Jato prenderam nesta quinta-feira (5) em Niter�i, na Regi�o Metropolitana do Rio de Janeiro, um perito judicial A investiga��o do Minist� rio P�blico Federal apontou que Charles Fonseca William fraudava laudos para favorecer empresas de �nibus nos processos em que ele

De acordo com a força-tarefa, Charles era contratado para apresentar laudos superfaturados em casos de indenização de empresas de ônibus contra o Estado. Uma lei de 1999, que reduzia as tarifas de ônibus em 15%, foi revogada. As empresas passaram a cobrar na Justiça a diferença pelo tempo em que a medida esteve em vigor.

Em apenas uma das ações investigadas no inquérito, o perito teria calculado uma indenização irregular de R$ 57,9 milhões. O valor foi cobrado pela Auto Comercial Tupi ao governo do Rio de Janeiro por conta do congelamento ilegal das tarifas.

_____________________

De acordo com a PF, foram identificados pagamentos de R$ 4,9 milhões de 2012 a 2015 nas planilhas de Novis.

Por erro, TRF-2 manda soltar ex-deputados Paulo Mello e Edson Albertassi .
Por erro, TRF-2 manda soltar ex-deputados Paulo Mello e Edson Albertassi terão que voltar à prisão. Os dois foram soltos na tarde desta sexta-feira, 13, por causa de um habeas corpus concedido na última quarta-feira, referente à Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava Jato no Rio.Mello e Albertassi, no entanto, também cumprem prisão preventiva por outra operação ligada à Lava-Jato, a Cadeia Velha.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 6
Isto é interessante!