Brasil Iraniano morre atropelado após cair de patinete em Copacabana

20:15  06 dezembro  2019
20:15  06 dezembro  2019 Fonte:   estadao.com.br

Torcedor do Ceará morre dois dias depois de ter sido agredido

  Torcedor do Ceará morre dois dias depois de ter sido agredido Um adolescente faleceu nesta terça-feira (26) não resistiu aos ferimentos causados por barras de ferro e pauladas após jogo Ceará Torcedor do Ceará morre dois dias depois de ter sido agredido - Torcedores.com.

Morreu no início da tarde desta quinta-feira (5) o homem atropelado após cair de um patinete em Copacabana , Zona Sul do Rio. O homem é um iraniano que foi identificado como Farshad Asadi Banran, 31 anos.

Arshad Asadi Banran, de 31 anos, passava lua de mel no Rio de Janeiro; segundo testemunhas, ele trafegava pela ciclovia da orla.

A Praia de Copacabana é um dos principais cartões-postais do Rio de Janeiro   © Fábio Motta/Estadão A Praia de Copacabana é um dos principais cartões-postais do Rio de Janeiro

RIO - Um turista iraniano que estava em lua de mel no Rio de Janeiro morreu atropelado depois de cair de um patinete na Avenida Atlântica, em Copacabana, na zona sul da cidade, na manhã desta quinta-feira, 5. Arshad Asadi Banran, de 31 anos, chegou a ser levado ao Hospital Miguel Couto, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com testemunhas, Arshad trafegava pela ciclovia da orla, na altura da Rua Francisco Sá, no sentido Leme, por volta das 10h30. Aparentemente, ele se desequilibrou ou esbarrou na calçada e foi arremessado na pista da Atlântica, onde foi atropelado.

Treinador dos 'Menudos' do São Paulo, Cilinho morre aos 80 anos

  Treinador dos 'Menudos' do São Paulo, Cilinho morre aos 80 anos Treinador que fez história na década de 80 com jovens promissores que encantaram no time do Tricolor, faleceu nesta tarde de quinta-feira, em sua residência, em CampinasCilinho nasceu na própria cidade de Campinas, em 9 de fevereiro de 1939 e começou sua carreira de treinador na década de 60, pela Ferroviária. Pouco tempo depois, ganhou a chance de treinar a Ponte Preta, onde começou a se destacar com um vice-campeonato paulista em 1970. Pela Macaca, entre idas e vindas, se tornou o técnico com mais partidas pelo clube.

RIO - Um turista iraniano que estava em lua de mel no Rio de Janeiro morreu atropelado depois de cair de um patinete na Avenida Atlântica, em Copacabana , na zona sul da cidade, na manhã desta quinta-feira, 5. Arshad Asadi Banran, de 31 anos, chegou a ser levado ao Hospital Miguel Couto, mas

Um turista iraniano que estava em lua de mel no Rio morreu atropelado depois de cair de uma patinete na Avenida Atlântica, em Copacabana , na De acordo com testemunhas, Arshad trafegava pela ciclovia da orla, na altura da Rua Francisco Sá, no sentido Leme, por volta das 10h30 da manhã

A prefeitura comunicou a morte à embaixada do Irã no Brasil e aguarda a chegada de um representante diplomático do país asiático para a liberação do corpo.

A Polícia Civil instaurou inquérito na 13ª Delegacia de Polícia (Copacabana) para investigar as circunstâncias da morte. Policiais vão ouvir testemunhas e buscar por imagens de câmeras de segurança da região do acidente.

A identidade da motorista que atropelou o iraniano não foi divulgada. A polícia informou, no entanto, que ela prestou socorro e foi ouvida.

A Lime, empresa responsável pelo patinete usado pelo turista, divulgou uma nota lamentando o acidente.

"Estamos tristes em saber dessa tragédia no Rio de Janeiro e nossos pensamentos estão com a família e amigos da vítima durante esse momento extremamente difícil", afirmou a Lime. "Iniciamos a investigação imediatamente após o incidente e estamos em contato com as autoridades locais para apoiar de todas as formas cabíveis."

Em junho, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou uma regulamentação para o uso de patinetes elétricos na cidade. De acordo com as regras, a empresa que aluga os veículos deve fornecer capacetes aos condutores. O uso dos patinetes só é permitido em ciclovias, e o condutor não pode ultrapassar a velocidade de 20 km/h.

_______________________

Guarda morre ao fazer trilha de cachoeira; mãe está desaparecida .
Guarda morre ao fazer trilha de cachoeira; mãe está desaparecidaSegundo o Corpo de Bombeiros, mãe e filho saíram de casa na tarde do sábado, 7, para fazer uma trilha na Pedra do Elefante e na Cachoeira Véu da Noiva, e se perderam. Familiares estranharam que os dois não retornaram e acionar a corporação às 12h10 deste domingo, 8. Ao menos três viaturas e o helicóptero Águia 10 foram enviados ao local.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 16
Isto é interessante!