Brasil: Massacre em Suzano: vizinhos acharam que tiros eram brincadeira - PressFrom - Brasil

BrasilMassacre em Suzano: vizinhos acharam que tiros eram brincadeira

21:00  13 março  2019
21:00  13 março  2019 Fonte:   veja.abril.com.br

AO VIVO | Atiradores deixam 8 mortos e feridos em escola de Suzano, na Grande SP

AO VIVO | Atiradores deixam 8 mortos e feridos em escola de Suzano, na Grande SP AO VIVO | Atiradores deixam 8 mortos e feridos em escola de Suzano, na Grande SP

Alunos retornaram, nesta terça-feira (19), à escola Raul Brasil após o massacre em Suzano . Mas não foi dia de aula. Eles receberam carinho e apoio

Guilherme Taucci Monteiro e Luiz Henrique de Castro, os atiradores da escola em Suzano (SP) Imagem: Arquivo pessoal. 00:00. Ouvir. Resumo da notícia. Guilherme e Luiz moravam na mesma rua, no Jardim Imperador, em Suzano . Além de vizinhos , os dois também são ex-alunos da escola

Trabalhadores do comércio e vizinhos da escola Raul Brasil acharam que eram bombinhas de festa junina o som dos mais de trinta disparos que deixaram dez mortos e 23 feridos em Suzano, na Grande São Paulo, nesta quarta-feira, 13. Foi a disparada de crianças e adolescentes correndo e gritando pelas vias próximas do quadrilátero em torno da Rua Rio de Janeiro que se transformou em aviso de que algo muito errado havia ocorrido no colégio estadual, o mais antigo da cidade.

'Achei que fosse bombinha de brincadeira', diz aluna que estava em escola invadida por atiradores

'Achei que fosse bombinha de brincadeira', diz aluna que estava em escola invadida por atiradores 'Achei que fosse bombinha de brincadeira', diz aluna que estava em escola invadida por atiradores

Cadernos apreendidos pela Polícia Civil mostram a devoção por armas e jogos violentos que Guilherme Taucci Monteiro, 17, um dos autores do massacre na

Dois ex-alunos efetuaram disparos dentro de uma escola em Suzano (Grande São Paulo) matando Uma mulher que se identificou apenas como Andrea contou, em entrevista à GloboNews, que a filha de 15 anos estuda na escola e contou que era hora do intervalo, escutou um tiro e achou que era uma

TUDO SOBRE O ATAQUE EM ESCOLA DE SUZANO

Ao todo oito pessoas foram mortas por dois atiradores, que se suicidaram em seguida. Cinco delas eram estudantes da escola  duas trabalhavam na instituição e uma trabalhava numa concessionária de veículos localizada nas proximidades.

Yuri Carlos de Souza, funcionário do Colégio Objetivo, que fica no quarteirão ao lado do local do crime, percebeu que se tratava de disparos pela persistência dos estouros, seguidos de gritos crescentes dos alunos em fuga. “Nunca tinha ouvido falar em nenhum problema ou briga por aqui”, diz ele, empregado há um ano da rede de ensino. “Parecia brincadeira de criança.”

No Cáritas Regional de Suzano, dois quarteirões mais distante, não se ouviram tiros, mas apenas os gritos. José Luiz Bissaco, assistente administrativo da instituição tradicional do bairro, contou que uma das funcionárias mortas no ataque era muito querida pelos alunos e pelos moradores da região; com o emprego na escola, acumulou trabalho voluntário em favor de pessoas em situação de rua. “Não consigo entender alguém fazer algo contra uma pessoa como ela”, disse Bissaco.

Quem são os oito mortos no massacre de Suzano

Quem são os oito mortos no massacre de Suzano Quem são os oito mortos no massacre de Suzano

Uma vizinha da escola de Suzano , na Grande São Paulo, que foi alvo de atiradores nesta quarta-feira, 13, conta que alunos conseguiram escapar quando um dos

Uma câmera de segurança localizada na recepção da escola registrou os primeiros segundos da ação dos criminosos Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e

Ricardo Mendrone, administrador da casa de repouso de idosos Vida Viva, a 100 metros do local do atentado, percebeu que havia algo errado quando foi buscar medicamentos de rotina na UBS Jardim de Montecristo, o posto de saúde do bairro, que estava fechado. “Eles fecham apenas a farmácia na hora do almoço, mas o posto inteiro estava fechado em pleno horário comercial.”, afirmou.

Massacre em Suzano: vizinhos acharam que tiros eram brincadeira © Reprodução Fachada da escola Raul Brasil, em Suzano, que sofreu ataque de atiradores

Letícia Yuge, funcionária da UBS, disse que a ordem para fechar perdurou por apenas algumas horas da manhã, até todos entenderem o que estava acontecendo. Segundo ela, apesar da tragédia, ninguém procurou a UBS nesta quarta-feira.

___________________________________________________________

Vídeo: Tragédia em Suzano: jovens abrem fogo em escola (Via Estadão)

Aluna ferida no massacre em Suzano tem alta nesta quarta.
Dois alunos seguem internados no Hospital das Clínicas, na capital, após ataque que deixou 10 mortos na Grande SP

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 3
Isto é interessante!