Brasil Barragem de usina hidrelétrica se rompe em Monjolos, Região Central de Minas

21:25  25 janeiro  2020
21:25  25 janeiro  2020 Fonte:   em.com.br

Holanda apresenta primeira usina de energia solar flutuante do planeta

  Holanda apresenta primeira usina de energia solar flutuante do planeta A partir de 2022, a Holanda deverá ter a primeira usina de energia solar flutuante em funcionamento no mundo. Construída na água, a estação de energia limpa deverá se chamar Zon-op-Zee (“Sol no Mar”, em tradução livre). De acordo com o Razões para Acreditar, Reino Unido e China já possuem iniciativas similares. Porém, as usinas flutuantes destes países foram construídas em lagos e apenas para fins acadêmicos. O projeto da Holanda, entretanto, é ainda mais ambicioso. Serão 2,5 mil metros quadrados de painéis solares instalados sobre o mar. A localização garante que a usina seja 15% mais eficiente do que aquelas localizadas em terra firme.

Inundação por causa de rompimento de barragem em Monjolos © Victor Maia/Divulgação Inundação por causa de rompimento de barragem em Monjolos
Moradores da pequena Monjolos, de 2,3 mil habitantes, na Região Central de Minas Gerais, enfrentaram o medo e tiveram que sair rapidamente de suas casas neste sábado (25). O motivo da apreensão e da correria foi que a barragem da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Serra das Agulhas, construída no Rio Pardo Pequeno, 15 quilômetros acima da cidade, não resistiu ao grande volume de chuvas e se rompeu.

O prefeito de Monjolos, Geraldo Maia (SD), disse que a prefeitura agiu rápido e que a situação está sob controle, sem maiores consequências. Não houve registro de vítimas.

ANM pede monitoramento diário de barragens em 4 Estados por chuvas nos próximos dias

  ANM pede monitoramento diário de barragens em 4 Estados por chuvas nos próximos dias ANM pede monitoramento diário de barragens em 4 Estados por chuvas nos próximos diasRIO DE JANEIRO (Reuters) - A Agência Nacional de Mineração (ANM) afirmou que mineradoras que tenham barragens em Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Goiás devem monitorar diariamente as condições das estruturas até segunda-feira, devido a previsão de chuvas intensas, informou a autarquia em nota à imprensa.

De acordo com Maia, assim que tomou conhecimento do rompimento da barragem, na manhã deste sábado, a prefeitura, com o apoio do Corpo de Bombeiros, montou uma operação e retirou 12 famílias das áreas próximas ao Rio Pardo Pequeno. 

Inundação por causa de rompimento de barragem em Monjolos © Victor Maia/Divulgação Inundação por causa de rompimento de barragem em Monjolos  

Na tarde deste sábado, o prefeito disse que, até então, apenas duas famílias moradoras “perto do barranco do rio” tiveram suas casas inundadas. Geraldo Maia informou que, mesmo com o rompimento do barramento, não houve descida de grande volume do reservatório “de uma vez”, o que permitiu fosse feita a tempo a evacuação da parte baixa, perto do Rio Pardo Pequeno, em Monjolos.

“Devido ao rompimento da barragem e às chuvas, o nível do rio aumentou muito. Mas, a água está chegando aos poucos”, argumentou o chefe do Executivo.

Agência Nacional de Mineração solicita atenção em barragens por causa de chuva

  Agência Nacional de Mineração solicita atenção em barragens por causa de chuva Agência Nacional de Mineração solicita atenção em barragens por causa de chuvaUm comunicado divulgado nesta terça-feira abrange especialmente os estados de Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo e Rio de Janeiro. As chuvas são previstas para acima de 100 milímetros por dia até o sábado.

Para amenizar os riscos, as famílias deixaram suas casas rapidamente, deixando nas moradias móveis e outros pertences. Elas foram levadas para uma escola municipal da cidade, onde recebem alimentação por parte da prefeitura.

Localizada entre os municípios de Diamantina e Monjolos, a hidrelétrica de Serra das Agulhas entrou em operação em abril de 2017, com uma capacidade instalada de 30 megawatts. De acordo com o processo de licenciamento, o reservatório da usina tem uma capacidade para armazenar 396 mil metros cúbicos e o espelho d água ocupa uma área de 65 hectares, o equivalente a 65 campos de futebol.

A pequena central hidrelétrica pertence à empresa Omega Energia. A reportagem tentou, mas não conseguiu contato com a empresa para obter mais informações sobre o rompimento da barragem.

Por outro lado, o prefeito Geraldo Maia informou que a Omega está contribuindo no auxílio aos atingidos pelo rompimento da barragem, colocando um helicóptero à disposição para ser usado nas ações preventivas.

O Rio Pardo Pequeno, onde se rompeu a barragem, deságua no Rio da Velhas, 17 quilômetros da cidade de Santo Hipólito.  

Chuva leva para Rio Doce rejeito de minério da Samarco depositado na Barragem de Candonga .
Chuva leva para Rio Doce rejeito de minério da Samarco depositado na Barragem de Candonga #ChuvasemMG #RioDoce #Minério #mariana #meioambiente #ambiente #barragens #Minas pic.twitter.com/O80wtauePS— Estado de Minas (@em_com) January 28, 2020Por causa dos rejeitos, o Ministério Público de Minas Gerais determinou que a Fundação Renova, responsável pela recuperação do Rio Doce, forneça informações, com urgência, sobre a situação e também sobre o plano emergencial para período chuvoso.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 26
Isto é interessante!