Ciência e Tecnologia Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo

16:27  17 outubro  2019
16:27  17 outubro  2019 Fonte:   canaltech.com.br

Cientistas descobrem meio de acelerar a fotossíntese em plantas

Cientistas descobrem meio de acelerar a fotossíntese em plantas Aumento na fotossíntese pode representar a expansão de cultivos importantes para a alimentação humana, como milho e sorgo

" O espaço de cultivo será de cerca de 30 metros quadrados e, portanto, é quase três A EDEN ISS provou a viabilidade Estudos apontam que os alimentos frescos contêm antioxidantes capazes de proteger os viajantes contra a Nova técnica pode permitir cultivo de alimentos na Lua e em Marte .

O novo estudo , feito por cientistas do Instituto de Tecnologia de Tóquio e publicado na revista Nature Communications, analisou sedimentos sólidos encontrados no fundo do que teriam sido lagos da Cratera de Gale, em Marte . Com isso, eles conseguiram estimar as características da água presente

plantação em Marte © Shutterstock/SergeyDV plantação em Marte

Uma pesquisa realizada na Holanda usou simulações de solos da Lua e de Marte, desenvolvidas pela NASA, e conseguiu produzir safras de alimentos. O resultado aponta que não apenas pode ser possível cultivar alimentos nesses mundos para alimentar seres humanos, como também obter sementes saudáveis a partir dos frutos que nascerem por lá.

Wieger Wamelink, principal autor do estudo, e seus colegas da Wageningen University & Research, cultivaram dez tipos diferentes de alimentos nesses solos simulados: agrião, rúcula, tomate, rabanete, centeio, quinoa, espinafre, cebolinha, ervilha e alho-poró. Nove dessas plantações cresceram bem e renderam colheitas comestíveis - a exceção foi o espinafre.

Mudança climática reduzirá cultivo da banana no Brasil e no mundo

Mudança climática reduzirá cultivo da banana no Brasil e no mundo Condições que favoreceram plantio de bananas nas últimas décadas poderão desaparecer por completo até 2050 se a mudança climática continuar na taxa esperada. Declínio significativoOs autores observam que 10 países – incluindo a Índia (maior produtor e consumidor mundial de banana) e o Brasil (quarto maior produtor) – deverão ter um declínio significativo no rendimento das culturas. Também integram a lista Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Panamá e Filipinas, todos grandes exportadores.

Com tecidos assim, poderemos estudar formas de minimizar danos às células saudáveis. De fato, para conseguirmos habitar Marte ou a Lua , precisamos ter as condições necessárias. Um novo projeto da NASA explora tecnologias, que possam criar estruturas habitacionais a partir de fungo.

Uma estufa portátil, usada para cultivar plantas em um laboratório no Pólo Sul, poderá ser transportada para Lua ou para Marte , oferecendo São necessários dez minutos para montar o sistema e em apenas um mês alguns vegetais já podem ser colhidos. O design é similar ao de uma

A produção total de alimento por bandeja foi mais alta no simulador de solo de Marte, que apresentou uma diferença significativa em relação ao simulador de solo da Lua. “Ficamos emocionados quando vimos os primeiros tomates cultivados no simulador de solo de Marte ficarem vermelhos”, disse Wieger Wamelink. “Isso significava que o próximo passo em direção a um ecossistema agrícola sustentável foi dado”.

As sementes produzidas por três espécies - rabanete, centeio e agrião - foram plantadas como novos testes e germinaram com sucesso. O artigo de Wieger Wamelink e seus colaboradores foi publicado na revista De Gruyter, com o título Crop growth and viability of seeds on Mars and Moon soil simulants.

Fonte: Phys.org

Trending no Canaltech:

  • Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência
  • O Google e o seu parquinho de Tecnologia onde (quase) ninguém brinca
  • Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial
  • Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral
  • Lady Gaga leva Twitter ao delírio com questionamento: "O que é 'Fortnight'?"

Experiência australiana prepara plantas para enfrentar mais calor e luz .
Pesquisadores querem aplicar resultados obtidos em vegetais usados na alimentação humana, como trigo, arroz e cevadaPesquisadores das universidades Flinders e La Trobe (Austrália) estão focados em genes que codificam enzimas antioxidantes para minimizar as respostas oxidativas nocivas nas células foliares ao estresse ambiental. Experimentos mostraram que a planta com níveis aumentados de enzimas se tornou mais resistente e se recuperou mais facilmente da exposição à seca e à “alta luz”.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais

Vídeos temáticos:

usr: 3
Isto é interessante!