Ciência e TecnologiaCientistas identificam provável fonte de metano em Marte

01:40  02 abril  2019
01:40  02 abril  2019 Fonte:   msn.com

Vulcões subterrâneos podem explicar existência de água líquida em Marte

Vulcões subterrâneos podem explicar existência de água líquida em Marte Vulcões subterrâneos podem explicar existência de água líquida em Marte , localizada abaixo da calota polar a mais ou menos 1,5 quilômetro abaixo da superfície. Agora, outros pesquisadores estão argumentando que, para que a água exista ali no estado líquido, só pode haver uma fonte de calor que venha do interior do planeta — de repente vulcões subterrâneos.

Não se sabe fonte do metano em solo marciano (Foto: Nasa/AFP). O robô americano Curiosity, que explora Marte , detectou emissões regulares de metano , disseram nesta terça-feira cientistas da missão, sem conseguir identificar a origem deste gás, que na Terra é gerado por organismos vivos e

Acompanhe em EXAME as últimas e principais notícias sobre Marte . Entrevistas, análises e opinião e muito mais. Cientistas identificam provável fonte de metano em Marte .

Cientistas identificam provável fonte de metano em Marte © Fornecido por AFP Presença de metano na atmosfera marciana foi confirmada por uma nova análise de dados da sonda Mars Express

A presença de metano na atmosfera de Marte foi confirmada por uma nova análise dos dados da sonda Mars Express, anunciaram nesta segunda-feira (1) pesquisadores que ressaltam que este gás pode ser um indicador de uma vida micro-orgânica ou resultado do processo geológico.

A sonda europeia Mars Express, em órbita ao redor do planeta desde o final de 2003, já havia detectado traços de metano em sua atmosfera em 2004, graças ao seu espectrômetro infravermelho PFS. Mas esses resultados não haviam convencido totalmente os cientistas por razões técnicas.

ESA mostra mais provas de que Marte um dia já teve rios em sua superfície

ESA mostra mais provas de que Marte um dia já teve rios em sua superfície ESA mostra mais provas de que Marte um dia já teve rios em sua superfície

O metano é produzido como resultado de reações geológicas, geralmente liberado por falhas, vulcões em atividade e minas de carvão, estruturas que, até onde se sabe, não existem em Marte . Ademais, as principais fontes de metano (pelo menos aqui na Terra)

Agora, os cientistas identificaram a fonte primária das perigosas emissões. A descoberta, publicada na Nature na quinta-feira (16), mostra que o leste da China é responsável por mais de 60% do aumento recente Artigo anterior Você pode mandar seu nome para Marte em uma sonda da NASA.

Em junho de 2018, a NASA anunciou, por sua vez, que seu robô móvel Curiosity havia detectado metano na atmosfera marciana em 15 de junho de 2013 perto da cratera Gale. No entanto, estes resultados "in situ" levantaram muitos questionamentos, com alguns se perguntando se este metano não provinha do rover (o robô móvel), lembrou à AFP Marco Giuranna, do Instituto Italiano de Astrofísica em Roma.

Neste meio tempo, a equipe internacional liderada por este pesquisador italiano conseguiu melhorar a qualidade dos dados coletados pelo espectrômetro infravermelho da Mars Express, uma missão da Agência Espacial Europeia (ESA).

"Desenvolvemos uma nova abordagem para selecionar, processar e recuperar os dados" do espectrômetro, explicou Marco Giuranna. "Isso reduziu em grande parte a incerteza em torno das medidas do PFS", acrescentou.

Grupo de cientistas consegue ativar células de mamute de 28.000 anos

Grupo de cientistas consegue ativar células de mamute de 28.000 anos Um grupo de cientistas conseguiu ativar células de um mamute de 28.000 anos de antiguidade implantando-as em ovócitos de rato, embora seja muito pouco provável que consigam devolver-lhes a vida. O projeto, realizado no Japão por uma equipe internacional, pegou células de um mamute bem conservado descoberto em 2011 no permafrost siberiano e as introduziu em dezenas de células sexuais de ratos fêmeas. Cinco dos ratos tiveram reações biológicas características do início da divisão celular, explicou à AFP Kei Miyamoto, um membro da equipe da Universidade de Kindai, no oeste do Japão.

O metano é um gás incolor, sua molécula é tetraédrica e apolar (CH4), de pouca solubilidade na água e, quando adicionado ao ar se transforma em mistura de alto teor inflamável. É o mais simples dos hidrocarbonetos.

“Houve inúmeros relatos de metano na atmosfera de Marte desde 2004. A pesquisa que encontrou o metano também identificou , aliás, que as concentrações do gás variam ao longo A existência do metano não é suficiente para comprovar a hipótese de vida em Marte justamente porque – embora

Pouco antes da aterrissagem em 2012 da sonda Curiosity na cratera de impacto Gale, "decidi conduzir um monitoramento a longo prazo da atmosfera marciana" neste local, contou o pesquisador, cujo estudo foi publicado na Nature Geoscience.

Em 16 de junho de 2013, um dia depois da Curiosity, o espectrômetro da Mars Express registrou um "pico de emissão" de metano acima da cratera.

Estes resultados constituem "uma confirmação independente das medidas da Curiosity", ressalta o estudo.

Encontrar metano (CH4) em Marte é muito importante para os planetólogos, porque "pode ser um indicador de uma vida microbiana", observou o pesquisador. Mas a presença desse gás também pode resultar de reações geoquímicas, não relacionadas à vida.

Cereja no topo do bolo, a equipe de Marco Giuranna acredita ter conseguido localizar a fonte dessa emissão de metano em uma região de falha situada a leste da cratera Gale.

Cientistas da NASA recriam em laboratório a atmosfera de exoplanetas

Cientistas da NASA recriam em laboratório a atmosfera de exoplanetas Cientistas da NASA recriam em laboratório a atmosfera de exoplanetas

A existência de metano em Marte é algo muito debatido pela ciência. A presença dessa simples molécula orgânica (CH4) pode ser um forte indicativo da presença de vida extraterrestre. Por isso, os pesquisadores são sempre cautelosos com relação a informações sobre o assunto.

O rover Curiosity, da NASA, balançou a comunidade científica seis anos atrás quando aparentemente detectou traços de metano — uma substância química importante ligada à vida — em Marte . Nos anos seguintes, os pesquisadores não conseguiram confirmar esses resultados

Para localizar a fonte, os pesquisadores conduziram dois estudos separados, um baseado em modelagem numérica, o outro baseado em uma análise geológica do local. Os resultados de ambos os estudos apontam para a mesma área.

"É muito emocionante e muito inesperado", entusiasmou-se o pesquisador italiano.

"Nós identificamos falhas tectônicas que poderiam se estender sob uma região coberta por uma fina camada de gelo (...) É possível que o gelo retenha o metano subsuperficialmente e libere episodicamente quando as falhas quebrarem", acrescentou Giuseppe Etiope, do Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia de Roma.
________________________________

Vídeo: Vaticano explica por que papa recusa beijo em sua mão

Leia Mais

A chave para a vida na Terra pode estar na Lua.
Colisão de planetas que formou nosso satélite natural deixou na Terra um conjunto de elementos cruciais para o surgimento da vida aqui

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 3
Isto é interessante!