Esportes Chefe da McLaren vê chance de Alonso fazer GP de Mônaco e Indy 500 em 2021

23:13  01 agosto  2020
23:13  01 agosto  2020 Fonte:   msn.com

Chefe da McLaren vê chance de Alonso fazer GP de Mônaco e Indy 500 em 2021

  Chefe da McLaren vê chance de Alonso fazer GP de Mônaco e Indy 500 em 2021 Fernando Alonso vai disputar o GP de Mônaco de 2021 pela Renault, é verdade, mas quem disse que isso impede que o espanhol faça a Indy 500? Zak Brown, chefe da McLaren, quer a jornada duplaÉ que não é o piloto quem classifica na Indy 500, mas o carro. Não é incomum, por exemplo, que vagas sejam compradas por pilotos que caíram no Bump Day ou que não participaram da classificação. Assim, Brown imagina um cenário possível para ter Alonso com a McLaren novamente em 2021: alguém classifica e, durante a semana, Fernando chega de Mônaco e assume o carro. Mas resta ver se a Renault e o espanhol topam.

  Chefe da McLaren vê chance de Alonso fazer GP de Mônaco e Indy 500 em 2021 © Fornecido por Grande Prêmio

Fernando Alonso já está de retorno marcado para a Fórmula 1 em 2021, mas isso não quer dizer que suas aventuras na Indy 500 vão terminar em 2020. Neste sábado (1), o chefe da McLaren, Zak Brown, deixou em aberto a possibilidade de contar com o espanhol para a prova da próxima temporada, já que, finalmente, o GP de Mônaco não vai coincidir com as 500 Milhas de Indianápolis, mas, sim, com a classificação da prova americana, algo que seria plenamente contornável.

Após dois adiamentos, Johnson finalmente testa Ganassi no misto de Indianápolis

  Após dois adiamentos, Johnson finalmente testa Ganassi no misto de Indianápolis Depois de ter seus testes impedidos pelo coronavírus em duas oportunidades, Jimmie Johnson conseguiu experimentar o Ganassi #10 no misto do IMSO teste de Johnson na Indy foi uma espécie de saga. A primeira tentativa veio em abril, com a McLaren no Alabama, mas a pandemia de coronavírus atrapalhou os planos e interrompeu todas as atividades. A segunda tentativa também foi relacionada à Covid-19: a atividade com a Ganassi rolaria em 8 de junho, mas o piloto testou positivo para a doença poucos dias antes e até chegou a perder uma etapa da Nascar.

É que não é o piloto quem classifica na Indy 500, mas o carro. Não é incomum, por exemplo, que vagas sejam compradas por pilotos que caíram no Bump Day ou que não participaram da classificação. Assim, Brown imagina um cenário possível para ter Alonso com a McLaren novamente em 2021: alguém classifica e, durante a semana, Fernando chega de Mônaco e assume o carro. Mas resta ver se a Renault e o espanhol topam.

Zak explicou que Alonso segue nos planos da McLaren mesmo voltando para a Renault. O dirigente quer aproveitar o raro ano em que Indy 500 e Mônaco não acontecerão na mesma data.

"Do nosso ponto de vista, GP de Mônaco e Indy 500 não são em datas conflitantes em 2021. É sempre importante lembrar que, na Indy 500, quem classifica é o carro, não o piloto. Então, é uma possibilidade, sim, especialmente que ele vai ser um cara com ainda mais experiência na corrida", disse.

Ex-piloto da Fórmula 1 destrói McLaren Senna avaliada em mais de R$ 8 milhões

  Ex-piloto da Fórmula 1 destrói McLaren Senna avaliada em mais de R$ 8 milhões Adrian Sutil bateu em Mônaco um modelo de veículo que foi produzido apenas 20 exemplaresO carro é uma versão adaptada para as ruas, conta com 800 cavalos e tem valor estimado na casa dos R$ 8,3 milhões.Sutil, hoje com 37 anos, foi piloto na Fórmula 1 entre 2006 e 2014, mas não deixou saudades.

Fernando Alonso vai para a terceira tentativa na Indy 500 em 2020 (Foto: IndyCar) © Fornecido por Grande Prêmio Fernando Alonso vai para a terceira tentativa na Indy 500 em 2020 (Foto: IndyCar)

Brown comentou que a Renault precisa liberar o piloto para a prova, mas deixou claro que gostaria de contar novamente com Alonso na escalação da McLaren no IMS, como vai ser em 2020 e como foi em 2017 e 2019.

"Se ele quiser fazer a Indy 500 em 2021 e o contrato dele permitir, coisa que eu realmente não sei, poderíamos ter alguém nos classificando e aí ele assumiria o carro na corrida. Precisamos saber ainda como estaremos enquanto um time, mas, certamente, não seria algo a que eu me oporia. Se tivermos vaga, se ele quiser a Indy 500 em 2021 e se ele for liberado, o cenário me parece possível", seguiu.

O chefe do time de Woking falou também dos problemas que Alonso vinha enfrentando para entrar nos EUA por conta do coronavírus. Segundo Brown, tudo já em ordem para o espanhol participar da Indy 500 já nos primeiros treinos livres, que começam na terça-feira (11).

Indy muda planos novamente e decide fazer 500 Milhas de Indianápolis sem público

  Indy muda planos novamente e decide fazer 500 Milhas de Indianápolis sem público A uma semana do início dos treinos livres para a edição 104, a Indy 500 2020 sofreu mais uma mudança: o plano de 25% do circuito ocupado pelos torcedores caiu e a prova terá portões fechados pela primeira vez na históriaPrevista como sempre para o final de maio, a Indy 500 de 2020 já havia sofrido uma alteração de data por conta da pandemia de coronavírus, passando para agosto. O TL1 está previsto para acontecer dentro de exatamente uma semana, na próxima terça-feira (11), e os ingressos ainda estavam sendo vendidos até o anúncio da categoria.

"A entrada dele nos EUA nunca foi um problema real. É mais que os EUA estão passando por um momento complicado, então tudo tem sido mais enrolado, levado um tempo maior. Mas Fernando já tem todos os documentos que precisa pra entrar", explicou.

Em 2017, em parceria com a Andretti, Alonso foi ao Fast Nine na classificação e até liderou voltas, mas seu motor Honda estourou. No ano passado, um vexame, caindo no Bump Day e sequer largando quando a McLaren tinha a Carlin como parceira. Agora, alinha com Pato O'Ward e Oliver Askew na equipe própria laranja e preta.


Video: Lawson vence corrida 1 da F3 em Silverstone marcada por forte acidente de Caldwell (Grande Prêmio)

Indy 500 altera planos e reduz venda de ingressos a 25% da capacidade do IMS .
Após anunciar 50% do IMS com público nas 500 Milhas de Indianápolis de 2020, a Indy voltou atrás e reduziu a quantidade de ingressos a 25% da capacidade do circuitoA decisão acontece em meio a uma onda de novos casos de coronavírus nos EUA, inclusive no estado de Indiana. Na nota divulgada, a Indy também informa que o uso de máscara vai ser obrigatório, o que não aconteceu em Elkhart Lake e Iowa.

—   Compartilhe notícias nas redes sociais
usr: 1
Isto é interessante!