Esportes Sob a batuta de Honda, Botafogo faz 'jogo de segurança' na Copa do Brasil

17:42  24 setembro  2020
17:42  24 setembro  2020 Fonte:   lance.com.br

Ford inicia a produção da nova F-150 nos EUA

  Ford inicia a produção da nova F-150 nos EUA A Ford anunciou o início da produção da nova F-150 no complexo do Rouge, em Dearborn, EUA. Além disso, a companhia vai construir um novo centro de veículos […]Quer ganhar um e-book exclusivo com dicas para cuidar melhor de seu veículo? Assine nossa newsletter neste link

Honda em ação pelo Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo) © Fornecido por LANCE! Honda em ação pelo Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Keisuke Honda foi uma parte fundamental para a classificação do Botafogo na Copa do Brasil. Na semana passada, começou a jogada que resultou no gol de Matheus Babi. Na última quarta-feira, a importância ainda aumentou: no 0 a 0 disputado em São Januário, o camisa 4 foi a liderança do Alvinegro e o expoente técnico da equipe de Paulo Autuori.

Como de praxe, iniciou o jogo na primeira linha de meio-campo, ao lado de Caio Alexandre. Diante do espaçado meio-campo do Vasco, teve espaço para conduzir a bola e chegar ao terço final com frequência. O camisa 4 era o responsável por fazer o combate a Andrey e Benítez, expoentes criativos do Vasco, e, ao mesmo tempo, fazer o jogo do Botafogo rodar.

Agora pela Copa do Brasil, Vasco e Botafogo se enfrentam com atenção à fase das defesas

  Agora pela Copa do Brasil, Vasco e Botafogo se enfrentam com atenção à fase das defesas Rivais em busca de uma vaga nas oitavas de final da competição, equipes cariocas chegam ao confronto da quarta fase com sistemas defensivos em patamares distintosO bom momento do Vasco na temporada passa muito pelos nomes de Germán Cano e Martín Benítez, mas o sistema defensivo do Cruz-Maltino é um dos destaques desde a chegada de Ramon Menezes. O Botafogo, por outro lado, sofreu gols após os 42 gols minutos do segundo tempo em quatro partidas do Campeonato Brasileiro e a defesa, além de eventuais falhas individuais, vem sendo marcada por falta de atenção.

Uma atuação presente nas duas metades do campo. Todo o jogo do Botafogo passava por Honda, que chamou a responsabilidade e fez uma das melhores atuações desde que chegou ao Brasil. O japonês, mesmo com o brilho, não foi o único expoente positivo: apesar de uma pressão nos minutos finais em busca da vitória, o Vasco pouco assustou o Alvinegro.

Isto se deu porque Martín Benítez não dominou a bola sem, pelo menos, a presença de dois marcadores por perto. O camisa 10 iniciou a partida mais voltado ao lado esquerdo do ataque. Logo quando tinha a posse, Caio Alexandre e Kevin - ou até mesmo Marcelo Benevenuto - se aproximavam do argentino. Sem espaço, a bola não chegou a Germán Cano.

Kanu comanda vestiário do Botafogo antes de classificação contra o Vasco

  Kanu comanda vestiário do Botafogo antes de classificação contra o Vasco Zagueiro de 23 anos chamou a responsabilidade da preleção antes de a equipe comandada por Paulo Autuori entrar no gramado de São JanuárioEm vídeo divulgado pela BotafogoTV, canal do Glorioso no YouTube, é possível ver o zagueiro puxando a responsabilidade e puxando a corrente positiva antes da subida dos jogadores ao gramado de São Januário.

O Botafogo "cortou a raiz" do Vasco, que até melhorou com as mudanças realizadas no intervalo. Vinícius - um dos que entrou na etapa complementar -, contudo, produziu lances de perigo apenas a partir de iniciativas individuais. O conjunto cruz-maltino não se completou e a atuação do Botafogo em termos defensivos tem muito a ver com isto.

Ofensivamente, contudo, o Botafogo deixou a desejar. Bruno Nazário e Matheus Babi, fundamentais no jogo de ida, tiveram atuação apagada. O camisa 10, diante do desespero do Vasco em buscar um gol, até teve espaço para avançar e cortar em diagonal, mas pecou em finalizações e passes na entrada da área.

Tudo em termos ofensivos é mais complexo e tem a ver com frescor e qualidade dos jogadores. Como é mais complexo, precisa trabalhar e a gente não trabalha. É só no papo. Quando eu falo nós, não digo nós Botafogo, mas sim jogadores e treinadores dos clubes. E as pessoas querem jogar. Tem pessoas que já foram jogadores praticantes e não tem a menor noção, neste momento, daquilo que é esse esforço terrível que se faz - analisou Paulo Autuori, após a partida.

Saída surpresa da Honda devolve Red Bull ao mercado, mas oferece chance de se bastar .
A Red Bull tem a oportunidade de se bastar e assumir os próprios motores ou fazer negócios com uma das três fornecedoras sobreviventes. Com decisões de vida ou morte a tomar, próximos meses são dos mais importantes desde que entrou na F1É, evidentemente, uma decepção para a Red Bull. O acordo com a Honda não foi somente algo relacionado ao fornecimento: era a expectativa de replicar o casamento fábrica-equipe oficial que funcionou tão bem nos anos de conquista ao lado da Renault, mas se perdeu, gradualmente, primeiro pelas dificuldades da fábrica francesa com a tecnologia V6 turbo e, na sequência, com o fato de passar a prioridade à própria equipe.

usr: 3
Isto é interessante!