Esportes Jovens talentos da vela nacional se destacam na Copa Brasil em Ilhabela

14:52  16 outubro  2021
14:52  16 outubro  2021 Fonte:   lance.com.br

Com 100% de aproveitamento, SSL Team Brazil garante vaga na final de evento-teste na Suíça

  Com 100% de aproveitamento, SSL Team Brazil garante vaga na final de evento-teste na Suíça Equipe é liderada pelos bicampeões olímpicos Robert Scheidt, Martine Grael e Kahena Kunze. Regatas no Lago Neuchâtel ocorrem até o próximo domingoCom 100% de aproveitamento, a equipe comandada por Robert Scheidt mostrou entrosamento em mais uma regata. Mesmo com a classificação muito bem encaminhada, os velejadores garantiram a quinta vitória consecutiva em provas no percurso de barla-sota.

Andando pela área de veleiros da Escola de Vela Lars Grael, localizada em Ilhabela, litoral norte de São Paulo, a grande presença de jovens chama a atenção. Com a realização da Copa Brasil de Vela, considerada por muitos a principal competição da vela brasileira de barcos monotipos, os atletas mais jovens se destacam nas regatas, que ocorrem desde quarta-feira (13) no local mais tradicional da prática da modalidade do país.

Jovens talentos da vela nacional na Copa Brasil 2021 (Foto: Divulgação) © Jovens talentos da vela nacional na Copa Brasil 2021 (Foto: Divulgação) Jovens talentos da vela nacional na Copa Brasil 2021 (Foto: Divulgação)

Organizada pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela), a competição conta com as principais classes olímpicas, pan-americanas e também competidores das categorias de base, a chamada vela jovem. Os ”novinhos” já saem do Optimist com 15 anos e buscam opções para seguir na carreira.

CBVela planeja compensação ambiental durante a Copa Brasil

  CBVela planeja compensação ambiental durante a Copa Brasil Para compensar a pegada de carbono da Copa Brasil de Vela, competição vai regular quantidade de combustível consumida durante as regatas.A competição acontece entre os dias 11 e 17 de outubro, em Ilhabela (SP). A Copa Brasil será sediada na Escola de Vela Lars Grael e ocorre paralelamente a VII Copa Brasil de Vela Jovem, também nas mesmas datas. Os campeonatos são organizados pela CBVela em parceria com a Prefeitura de Ilhabela, a Escola de Vela Lars Grael e a Federação de Vela do Estado de São Paulo e têm o Bradesco como principal apoiador.

Os que se destacam já alcançam rajadas maiores e representam o Brasil em eventos internacionais. Para detectar esses talentos, a CBVela realiza em paralelo a Copa Brasil de Vela Jovem, que reúne as classes Bic Techno 293+ M/F, Laser Radial M/F, 420 Aberto e Fem., 29er M/F e HC 16 com Balão. Nesse ano muitos estão voltados para a classificação do Mundial da Juventude de Omã.

- Nós temos vários atletas jovens se destacando nessa Copa Brasil de Vela, estamos com uma bela renovação. Nosso programa de alto rendimento com a vela jovem tem sido um sucesso desde sua implementação em 2018 e temos vários nomes novos surgindo e treinando intensamente para estarem entre os melhores do mundo no próximo Mundial da Juventude, em 2022, no Omã - comentou o uruguaio Juan Sienra, Gerente Técnico CBVela.

Seletivas dos Jogos Escolares Brasileiros estão na reta final

  Seletivas dos Jogos Escolares Brasileiros estão na reta final Evento que será entre 29 de outubro e 5 de novembro, vai ser disputado no Parque Olímpico da Barra, no Rio, por mais de 5.300 alunos, de 12 a 14 anos, de todos os estadosAs seletivas promovem um processo de crescimento dos jovens. Muda a qualidade de vida e faz com que eles pensem em um futuro melhor por meio do esporte e do estudo.

E os olheiros da CBVela já começam o monitoramento nos campeonato estaduais e nacionais do Optimist, a classe de introdução à vela. Depois dos 15 anos, quando acaba o período no barquinho, muitos passam para classes como 420 ou Laser. Mas a lista acima tem uma série de categorias que se adequam ao biotipo e preferências dos mais novos.

- Todo o nosso programa de alto rendimento trabalha em harmonia e equilíbrio. Os atletas da equipe principal trabalham com os das categorias de base. Esse intercâmbio de informação e experiências é fundamental.

- A gente tem um programa muito rico, o sucesso do esporte se passa na troca de experiências entre os atletas consagrados e os de categoria de base. Nós temos trabalhado muito intensamente isso na CBVela para proporcionar as melhores ferramentas tanto para os atletas de primeiro nível quanto para os que estão surgindo - completou Juan Sienra.

Com foco em Paris-2024, Copa Brasil de vela projeta mais de 150 atletas em Ilhabela

  Com foco em Paris-2024, Copa Brasil de vela projeta mais de 150 atletas em Ilhabela Tradicional competição da vela brasileira terá classes olímpicas e pan-americanas em disputa no litoral norte paulistaEstão programadas regatas no Canal de São Sebastião nas categorias Windsurf, Kite, RS:X, Bic Techno, 49er, 29er, Snipe, Lightning, Nacra 17, 470, 420, Laser, Laser Rd e 4.7. A competição é organizada e chancelada pela Confederação Brasileira de Vela (CBVela). A previsão para as provas, que serão realizadas até domingo, é de vento leste com média intensidade e grande possibilidade de chuva na maior parte do dia.

A competição, que reúne quase 200 atletas, foi criada pensando na preparação de velejadores para o ciclo olímpico dos Jogos do Rio 2016. Com grande adesão de atletas, inclusive velejadores estrangeiros, o evento se firmou.

Único campeão mundial de Optimist da história, Alex Kuhl, de 15 anos, está na classe 420 e projeta se classificar para o Mundial da Juventude de Omã 2021. ”Acabei de chegar na classe, mas se conseguir a classificação, eu vou treinar muito para quem sabe trazer mais uma conquista para o País”, contou.

Além dos jovens, a competição conta com grandes nomes como os representantes de Tóquio 2020 Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino (NACRA), Marco Grael (49er), Ana Barbachan (470), além dos campeões mundiais de Snipe Gustavo Abdulklech (Jr) e Juliana Duque (Feminino). Ana, que compete no 470 misto e segue em segundo lugar na competição, contou como é a troca de experiência com os velejadores mais novos.

- Sempre é muito bom estar junto com todo mundo, com as outras classes, misturar com os jovens também, sempre tem muita troca, muita diversão e a gente dá muita risada. A troca com os mais novos começa pelo material, sempre vem um outro pedir uma chave de fenda, um alicate, começa por aí. Mas além disso a gente troca experiências, conversa sobre regatas, sobre barcos - comentou Barbachan, que corre com sua dupla Rodrigo Duarte.

Com disputa em uma arena olímpica, jogadores vivem 'sonho' no Brasileiro Juvenil de Handebol

  Com disputa em uma arena olímpica, jogadores vivem 'sonho' no Brasileiro Juvenil de Handebol O Brasileiro Juvenil de Handebol é a primeira competição nacional da categoria disputada após o início da pandemia. O técnico Giuliano Ramos comemorou a oportunidadeO técnico Giuliano Ramos, do Bola na Mão/Julia Nunes/CAIC/GHC, que saiu do Piauí para a Cidade Maravilhosa, relembrou que em 2016 acompanhou os jogos in loco. Agora comemorou a oportunidade de comandar o seu time neste ginásio.

A Copa Brasil conta com as classes ILCA 7 (Masc.), ILCA 6 (Fem.), ILCA 6 (Masc.), 470 (Misto), 49er, Snipe (misto), Hobie Cat 16, Star, 420 (Aberto e Fem.), 29er (Masc e Fem), ILCA 4.7, HC 16 com balão (Misto), Dingue, e Bic Techno 293+ (Masc e Fem), Windsurf Formula Foil, Formula Kite, iQFoil, Finn e Nacra.

Brasil ocupa 75º lugar em ranking de competitividade para atrair e desenvolver talentos .
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Brasil está em 75º lugar em um ranking global que mede a competitividade de talentos a partir de fatores como capacidade de desenvolver pessoas para o mercado de trabalho, retê-las e atraí-las. Na nona posição no Global Talent Competitiveness Index (Índice Global de Competitividade de Talentos), entre as nações de América Latina e Caribe, o Brasil figura do meio para o final da lista (de 134 países) devido à combinação de baixa performance na educação interna e na capacidade de atrair talentos de fora.

usr: 2
Isto é interessante!