Esportes Semana com turbulência: lembre episódios que agitaram o Flamengo desde 2020

14:56  07 abril  2022
14:56  07 abril  2022 Fonte:   lance.com.br

Experiência x força ofensiva: laterais do Vasco são preenchidas com semelhança para 2022

  Experiência x força ofensiva: laterais do Vasco são preenchidas com semelhança para 2022 Léo Matos e Edimar serão opções de mais vigor físico enquanto Weverton e Riquelme têm características de apoio ao ataque nítidas como opções para Zé RicardoNa direita, Léo Matos, de 35 anos, segue no elenco e voltou às atividades na última sexta-feira após se recuperar da Covid-19. Depois da irregularidade em 2021, o camisa 3 vai tentar reencontrar o bom futebol e se firmar entre os titulares comandados por Zé Ricardo.

Todos os dias, a Rússia enterra soldados mortos na Ucrânia. A BBC estima que 20% dos mortos contabilizados pelas regiões russas são oficiais. O que os dados dizem sobre o estado do Exército russo lutando na Ucrânia?

Marinheiros participam do velório e enterro de Andrei Paliy, vice-comandante da Frota do Mar Negro da Rússia © Fornecido por BBC News Marinheiros participam do velório e enterro de Andrei Paliy, vice-comandante da Frota do Mar Negro da Rússia

A última vez que o Ministério da Defesa russo informou sobre perdas foi em 25 de março - segundo eles, 1.351 militares tinham morrido. Já as Forças Armadas da Ucrânia dão um número muito maior para a estimativa de russos mortos: 18.300 pessoas.

Em 5 de abril, fontes oficiais russas publicaram os nomes de pelo menos 1.083 soldados russos mortos. A maioria dos relatórios sobre as perdas foi publicada pelos chefes das regiões ou distritos.

Retrospectiva LANCE!: ataque do Flamengo é notável por marca centenária e recuperação de Michael

  Retrospectiva LANCE!: ataque do Flamengo é notável por marca centenária e recuperação de Michael Gabriel Barbosa foi mais uma vez o artilheiro do Flamengo, Bruno Henrique e Pedro tiveram bons números, mas 2021 marcou a recuperação de Michael pelo clube da GáveaA dupla Bruno Henrique e Gabigol manteve o altíssimo nível ao longo do ano. Levando em conta apenas os jogos da temporada de 2021, a dupla somou 54 gols e 21 assistências. Quando estiveram à disposição, foram titulares e demonstraram todo entrosamento que vêm desde 2018, quando jogaram juntos ainda pelo Santos e, a partir de 2019, passaram a brilhar com o Manto.

  • As enormes perdas de regimento de elite da Rússia enviado para invadir Kiev

Alta patente

Dos 1.083 mortos identificados, 217 são oficiais de postos que vão de tenente a general. Eles compõem 20% de todos os militares na lista de mortes confirmadas pelo Exército russo, que a BBC acompanha desde o início da guerra.

Uma proporção semelhante foi observada durante o primeiro relatório do Serviço Russo da BBC sobre as perdas do Exército do país: dos 557 mortos identificados, 109 eram oficiais, ou seja, 19,6%.

Um número tão alto de oficiais nas listas de perdas confirmadas não significa que um em cada cinco russos que morreu no campo de batalha fosse oficial. Tradicionalmente, os corpos de comandantes mortos no Exército russo são enviados para casa como prioridade, e suas mortes são mais propensas a serem anunciadas publicamente, diz Samuel Cranny-Evans, do Royal United Services Institute (RUSI, do Reino Unido.

Retrospectiva LANCE!: zagueiro sofre com lesões, laterais indicam futuro promissor no Flamengo e mais

  Retrospectiva LANCE!: zagueiro sofre com lesões, laterais indicam futuro promissor no Flamengo e mais Assim como em 2020, Rodrigo Caio teve problemas com as lesões, e Matheuzinho e Ramon mostraram quem pode ser o futuro das laterais; L! faz retrospectiva do sistema defensivo> Saiba quem é Paulo Sousa, técnico da Seleção Polonesa e alvo do Flamengo

"Em conflitos passados, os militares russos prestaram mais atenção à evacuação dos corpos de oficiais mortos. E menos atenção foi dada aos oficiais militares de baixa patente após a morte. Mas, ao mesmo tempo, os oficiais realmente constituem a espinha dorsal das Forças Armadas russas", diz o especialista.

Na lista de mortos, a BBC encontrou 10 coronéis (incluindo um capitão do primeiro escalão), 20 tenentes-coronéis, 31 majores e 155 oficiais subalternos (de tenente a capitão).

A Ucrânia afirma que sete generais russos já morreram, mas a Rússia apenas confirmou a morte do major-general Andrei Sukhovetsky.

Nos Exércitos dos países da Otan, sargentos, cabos e outros subalternos são autorizados a executar muitas tarefas no campo de batalha. Já no Exército russo, decisões de nível semelhante só podem ser tomadas por oficiais com a patente de pelo menos tenente.

"Os oficiais russos fornecem liderança tática e treinamento para seus pelotões ou batalhões. Os sargentos do Exército russo, na maioria das vezes, apenas controlam equipamentos ou seguem ordens, ou seja, não lideram ninguém. Isso significa que os oficiais são forçados a assumir mais funções na direção. Portanto, é mais provável que um oficial russo morra em combate do que oficiais de muitos outros exércitos", diz Cranny-Evans.

Retrospectiva 2021: veja como foi a temporada dos goleiros do Botafogo

  Retrospectiva 2021: veja como foi a temporada dos goleiros do Botafogo Aposta em Douglas Borges não funciona e Diego Loureiro, após início oscilante, 'decola' na conquista da Série B. Ano é turbulento para Diego Cavalieri e Gatito FernándezDiego Cavalieri: de titular no início de 2021 à dispensa em setembro (Vítor Silva/Botafogo

Paraquedistas sem apoio

Ao analisar a lista de baixas confirmadas na Rússia, outra tendência é perceptível: cerca de 15% de todos os mortos identificados serviam nas Tropas Aerotransportadas.

Especialistas ouvidos pela BBC observam que os paraquedistas russos são amplamente utilizados para resolver tarefas que, em teoria, poderiam ser atribuídas à infantaria convencional. Mas os comandantes militares russos preferem usar as Forças Aerotransportadas, já que essas unidades geralmente estão muito mais bem preparadas, tanto física quanto mentalmente.

A taxa de baixas relativamente alta entre os paraquedistas não é surpreendente, disse Rob Lee, membro sênior do Instituto de Pesquisa de Política Externa dos EUA. "Unidades de Tropas aerotransportadas participaram de operações nos setores mais difíceis da linha frente - em Hostomel, nas batalhas perto de Kiev e em confrontos no sul da Ucrânia", acrescenta.

A medalha de um soldado do Exército russo morto é exibida em seu funeral © Fornecido por BBC News A medalha de um soldado do Exército russo morto é exibida em seu funeral

No primeiro dia da guerra, o Exército russo desembarcou tropas no aeroporto Antonov, na vila de Hostomel - as tropas esperavam que os militares russos, vindos da Bielorrússia, pudessem estabelecer contato com eles e providenciar suprimentos. Isso não foi feito por completo e, em 31 de março, - após um mês de intensos combates - as tropas ucranianas recuperaram o controle do aeroporto.

Chapecoense encerra 2021 com mais de 100 dias sem vencer

  Chapecoense encerra 2021 com mais de 100 dias sem vencer Última vitória da Chapecoense ocorreu no dia 11 de setembro, quando bateu o Bragantino por 2 a 1+ Veja no aplicativo do LANCE! o resultado dos jogos da rodada

Cranny-Evans explica que as operações de armas combinadas da Rússia foram relativamente lentas, e as unidades aerotransportadas na linha de frente ficaram sem tropas regulares e apoio aéreo.

Há informações sobre baixas de outras unidades de elite russas. A lista de perdas que pudemos confirmar inclui 15 representantes das forças especiais de inteligência militar controladas pelo GRU, o Departamento Central de Inteligência, (incluindo cinco oficiais) e 10 representantes das forças especiais da Guarda Nacional.

Entre os mortos estão pelo menos três proprietários de "boinas vermelhas" (Ruslan Galyamov e Oleg Kirillov do Tartaristão, e Vyacheslav Aktyashev da região de Perm) - esta é a elite das forças especiais da Rússia. A seleção para o direito de usar boina vermelha é considerada uma das provas militares mais difíceis do mundo.

A lista de vítimas confirmadas por nós também inclui pessoas de profissões inesperadas. Em 28 de março, jornalistas de Bryansk noticiaram a morte de um sargento sênior da banda militar, Alexander Karpeev. Especifica-se que Karpeev tocava trompete. Quais tarefas ele realizou na Ucrânia não são mencionadas nos relatórios.

Longo caminho para casa

Na maioria dos casos conhecidos publicamente, os corpos dos mortos são entregues em casa duas a três semanas após sua morte. Por exemplo, um alferes das forças especiais da Guarda Nacional chamado Ruslan Galyamov, segundo dados publicados, morreu em 11 de março e foi enterrado em 26 de março.

Gabriel Sara liderou estatísticas de finalizações do São Paulo na temporada

  Gabriel Sara liderou estatísticas de finalizações do São Paulo na temporada Segundo dados divulgados pelo próprio clube, o meia chutou 87 vezes, sendo que 31 em direção ao gol e 44 para fora. Rigoni e Pablo fecham o pódio de mais chutes em 2021Sara foi o principal jogador do São Paulo na reta final do Campeonato Brasileiro, sendo destaque em partidas decisivas. O jogador marcou dois gols nas últimas quatro partidas do Tricolor na temporada, na vitória contra o Palmeiras, por 2 a 0, fora de casa, além do triunfo diante do Sport, no Morumbi, também pelo placar de 2 a 0.

Em alguns casos, o corpo pode levar mais de um mês para ser enviado. Mikhail Bakanov, de 20 anos, segundo dados oficiais, foi morto no segundo dia da guerra - 25 de fevereiro. Eles conseguiram entregar seu corpo em casa apenas no final de março.

Esses prazos de entrega dos corpos dos mortos são geralmente típicos dos grandes conflitos modernos, de acordo com o Instituto Real Britânico de Estudos de Defesa e Segurança.

"Em uma situação como na Ucrânia, os vivos sempre terão precedência sobre os mortos. E os esforços estarão sempre focados em preservar e prover para aqueles que estão vivos. Enviar os corpos daqueles que não podem mais ser ajudados para sua terra natal não é prioridade. A situação é agravada pela linha de frente em constante mudança. Nesta fase do conflito, é difícil para ambos os lados proteger seus flancos das incursões inimigas", observa Cranny-Evans.

Guardas de honra participam de funeral de um soldado do Exército russo © Fornecido por BBC News Guardas de honra participam de funeral de um soldado do Exército russo

Autoridades ucranianas e testemunhas oculares afirmaram repetidamente que, ao recuar, o Exército russo deixa os corpos de soldados mortos para trás. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que Kiev quer transferir os corpos dos mortos para a Rússia, mas a Rússia "a princípio recusou, depois ofereceu algum tipo de bolsa".

Na segunda quinzena de março, o chefe da administração regional de Nikolaev, Vitaly Kim, exortou os moradores locais a relatar a localização de corpos de militares russos nos territórios libertados pela Ucrânia.

Posições: centroavante titular refletiu o declínio do Vasco no ano e reserva aproveitou as chances que recebeu

  Posições: centroavante titular refletiu o declínio do Vasco no ano e reserva aproveitou as chances que recebeu Germán Cano começou bem o ano no Cruz-Maltino, mas cometeu erro emblemático. Por sua vez, Daniel Amorim fez quatro gols na Série B do Campeonato Brasileiro Galeria: SOBE E DESCE: o balanço do Flamengo, jogador a jogador, no Brasileirão de 2021 (LANCE!) 1/30 SLIDES © Marcelo Cortes/Flamengo O Flamengo se despediu do Brasileiro de 2021 de forma melancólica, com uma derrota na última rodada, mas já estava com a segunda colocação assegurada. Como forma de balanço, o LANCE! fez uma análise, posição por posição, de quem saiu por cima ou por baixo (ou permaneceu no "ponto neutro") da competição.

"Nem sempre eles levam seus [soldados], e na primavera e no verão será um problema nosso. Por favor, diga-nos onde estão, […] se possível, recolha-os em bolsas. Por isso, temos que recolhê-los e colocá-los em geladeiras, enviá-los de volta para que sejam identificados por DNA, porque esses soldados também têm mães."

Pelo menos três militares russos foram identificados apenas após um exame de DNA. Alexander Vavilin, de 21 anos, da cidade de Nizhny Novgorod, morreu em 27 de fevereiro, mas seus parentes foram informados de sua morte apenas em 1º de abril. Durante todo esse tempo uma investigação estava em andamento e, segundo a mídia local, eles estavam esperando, entre outras coisas, pelos resultados de um teste de DNA.

Alexander Yemtsov, um nativo de Transbaikalia de 27 anos, também foi identificado apenas graças a um exame - Yemtsov morreu em um veículo blindado queimado.

Trabalhos do Exército

A região na Rússia onde a maioria das mortes foi relatada é o Daguestão - 93 soldados foram enterrados lá. As escolas recebem seus nomes e até as ruas são batizadas com seus nomes.

Altos números de mortos também foram relatados na Buriácia (52 pessoas), na região de Volgogrado (48), na região de Orenburg (41) e na Ossétia do Norte (39).

Isso não significa que representantes de determinadas regiões tenham sido especialmente enviados para participar da invasão da Ucrânia, como sugeriram alguns especialistas e jornalistas.

"A parte principal dos soldados contratados no Exército russo são pessoas da periferia, não é o sul, nem o norte do Cáucaso, mas toda a periferia - cidades médias e pequenas, vilas e aldeias", explica a especialista na área de sociologia e desenvolvimento econômico das regiões russas, professora Natalya Zubarevich.

Ela observa que pessoas de regiões mais pobres também costumam se juntar ao Exército. A Buriácia é considerada uma dessas áreas.

São Paulo mantém chance de rebaixamento após derrota para o Grêmio

  São Paulo mantém chance de rebaixamento após derrota para o Grêmio De acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, Tricolor tem 2% de chance de queda, estando cinco pontos na frente do Bahia, primeiro time na zona de rebaixamentoDe acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, o São Paulo tem 2% de chances de queda. Apesar de ser muito remota, o Tricolor quer mais uma vitória para chegar aos 48 pontos e se livrar de vez do perigo.

Uma das pessoas mortas desta região é Mikhail Garmaev, de Ulan-Ude. Depois de sair da escola, ele entrou no ensino técnico de construção, mas não terminou seus estudos e foi servir no Exército.

Depois de servir, Mikhail voltou para Ulan-Ude e conseguiu um emprego em uma empresa de instalação de alarmes. Mas alguns anos depois, ele voltou ao Exército e assinou um contrato. Em 6 de março, perto de Kiev, Mikhail foi pego em uma emboscada e baleado duas vezes. Em 21 de março, ele foi enterrado em Ulan-Ude.

Cenários semelhantes - de alguém que estudou, serviu, tentou conseguir um emprego civil, mas depois voltou para o Exército - são encontrados nas biografias de muitos outros russos que morreram na guerra na Ucrânia.

"O Exército é um empregador importante em áreas onde é quase impossível ganhar dinheiro. O recrutamento no Exército dá a você um salário estável e segurança", enfatiza Zubarevich.

As regiões da Rússia ainda têm políticas diferentes em relação à publicação de informações sobre os mortos.

Em oito regiões, não houve relatos de mortes de oficiais. Mas em três deles - a região de Tomsk, a República de Adygea e a Chukotka - a BBC conseguiu confirmar relatos sobre funerais de soldados russos que foram mortos na Ucrânia.

A Rússia perdeu vários militares de alto escalão © Fornecido por BBC News A Rússia perdeu vários militares de alto escalão

Até o fim de março, as autoridades da região de Kemerovo não tinham relatado oficialmente as mortes na Ucrânia. No curso da primeira investigação sobre perdas nas forças armadas russas, a BBC conseguiu estabelecer os nomes de sete moradores de Kuzbass que morreram nesta guerra. Poucas horas após esta publicação, as autoridades da região de Kemerovo, que anteriormente mantinham silêncio, anunciaram detalhes sobre 13 militares mortos, sem nomeá-los. Desde então, os dados não foram atualizados oficialmente. No momento, a BBC conseguiu identificar pelo menos 18 pessoas da região de Kemerovo que morreram na Ucrânia.

"Na região de Kemerovo, o governador se baseou na retórica vitoriosa de forma mais enfática, com menos atenção ao tema do custo da guerra", observa o cientista político Mikhail Vinogradov.

"Admito que no Daguestão o envolvimento emocional é maior, inclusive para reconhecer o papel das pessoas da república na operação. Isso é feito em parte em uma competição à revelia com pessoas da Chechênia que estão em primeiro plano publicamente. Em outras regiões, os dados podem ser percebidos de forma mais traumática", acrescenta o cientista político.

Vinogradov acredita que Moscou deliberadamente delegou aos chefes de regiões o dever de relatar perdas na guerra, o que na Rússia é chamado de "operação especial".

"Acho que há um desejo de não traumatizar os cidadãos desnecessariamente com os números agregados de perdas - portanto, eles são dados raramente e às vezes vagamente", diz o especialista.

"Por outro lado, o fluxo de perdas é relativamente grande e você não quer escondê-lo completamente. E, por isso, poucas pessoas têm interesse em encontrar números comuns. Talvez os governadores não tivessem um comando claro sobre como cobri-lo, e há relativamente muita autonomia."

Em algumas regiões da Rússia, houve casos em que a mídia noticiou a morte de militares russos, mas depois excluiu o relatório.

"Não é proibido coletar informações sobre os militares mortos, mas, pelo que sei, todos os meios de comunicação da região foram informados de que isso não irá ao ar ou será publicado por enquanto. E eles não dizem quando será possível publicar. Pessoalmente, suponho que nunca", disse um jornalista siberiano à BBC sob condição de anonimato.

Propaganda

Os caixões com soldados russos que morreram na Ucrânia chegam não apenas às regiões da Rússia, mas também aos países da ex-União Soviética.

Em 25 de março, o funeral de Egemberdi Dorboev foi realizado na região de Issyk-Kul, no Quirguistão. O prefeito de Norilsk disse que Dorboev chegou recentemente ao território de Krasnoyarsk e morava lá com sua mãe. O jovem tinha cidadania russa e, no outono de 2021, foi convocado para o Exército. Ele morreu com 19 anos.

Rustam Zarifulin, de 26 anos, que assinou contrato com o Exército russo e morreu na Ucrânia, também foi enterrado no Quirguistão.

Os corpos de dois soldados russos (Saidakbar Saidov e Ramazon Murtazoev), que morreram na Ucrânia, foram enterrados no Tajiquistão. E na capital da Ossétia do Sul, que se separou da Geórgia, o sargento russo Andrei Bakaev, que participou da guerra, foi enterrado.

"Antes, pessoas de alguns países pós-soviéticos aspiravam a ingressar no Exército russo, porque era uma forma de obter a cidadania russa sob um esquema simplificado. Agora não há tais preferências", diz a ativista de direitos humanos Svetlana Gannushkina.

Ela acrescenta que, para alguns migrantes, as Forças Armadas podem continuar sendo um empregador atraente: "Com o Tajiquistão, por exemplo, a Rússia tem um acordo sobre dupla cidadania. E as pessoas que serviram como recrutas no Exército do Tajiquistão também são consideradas oficialmente como tendo servido na Rússia. Isso significa que, se desejarem, podem ir imediatamente ao serviço contratado. Essas pessoas não nos contataram. Mas, pelo que posso imaginar, para aqueles que não tiveram um destino diferente e de alguma forma não conseguiram prosperar, por exemplo, com educação, o serviço militar pode parecer atraente. E há uma propaganda apropriada."

Como as mortes são calculadas?

Todos os dias na Rússia, mais e mais novos nomes de pessoas mortas e fotografias de funerais são publicados. Muitas vezes, os nomes são divulgados pelos chefes das regiões russas ou representantes de administrações distritais, pela mídia local ou por instituições educacionais onde os soldados estudaram anteriormente.

A BBC baseou sua análise apenas em relatórios contendo informações específicas sobre o falecido, incluindo nome completo, classificação e, se possível, o local do enterro.

Reportagens da mídia citando fontes sobre dezenas e às vezes centenas de mortos não foram levadas em consideração se não continham informações específicas sobre nomes e sobrenomes. Também não levamos em consideração relatos de mortes de pessoas que não são militares russos (ou seja, aqueles que servem nas unidades das autoproclamadas República Popular de Luhansk e República Popular de Donetsk, bem como mercenários do chamado Grupo Wagner, uma empresa militar privada com fortes ligações com o governo russo).

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

São Paulo mantém chance de rebaixamento após derrota para o Grêmio .
De acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, Tricolor tem 2% de chance de queda, estando cinco pontos na frente do Bahia, primeiro time na zona de rebaixamentoDe acordo com o site Infobola, do matemático Tristão Garcia, o São Paulo tem 2% de chances de queda. Apesar de ser muito remota, o Tricolor quer mais uma vitória para chegar aos 48 pontos e se livrar de vez do perigo.

usr: 1
Isto é interessante!