Meio Ambiente Cientistas mostram imagem de como é a área com maior densidade de lixo submarino

22:31  07 abril  2021
22:31  07 abril  2021 Fonte:   vix.com

Cientistas descobrem segredo do computador de mais de 2 mil anos

  Cientistas descobrem segredo do computador de mais de 2 mil anos A Máquina de Anticítera permanecia há mais de um século como um dos grandes mistérios do planeta até março desse ano: espécie de primeiro computador da história, o mecanismo com mais de 2 mil anos era capaz de prever na Grécia antiga o movimento dos astros e fenômenos astronômicos, e foi encontrado em um naufrágio no mar mediterrâneo em 1901. Datando como artefato da época do Império Romano, a máquina descoberta representa somente um terço do que era de fato o mecanismo, e seu funcionamento permanecia uma incógnita para cientistas e arqueólogos – uma nova reconstituição, porém, pela primeira vez responde às principais questões.

O Estreito de Messina, uma ponte submarina que separa a ilha da Sicília da Península Italiana, é a área com a maior densidade de lixo marinho em todo o mundo, aponta um estudo publicado na revista Environmental Research Letters em 19 de janeiro de 2021.

Naeblys/shutterstock © Naeblys/shutterstock Naeblys/shutterstock

Mais de 1 milhão de lixo por quilômetro quadrado

De acordo com os pesquisadores, em algumas partes da área analisada foi possível encontrar mais de 1 milhão de objetos (lixo, nesse caso) por quilômetro quadrado. Confira abaixo a imagem divulgada no estudo:

UNIVERSIDADE DE ROMA LA SAPIENZA © UNIVERSIDADE DE ROMA LA SAPIENZA UNIVERSIDADE DE ROMA LA SAPIENZA

As estimativas apontam que, se nenhuma atitude for tomada, o volume de lixo no mar pode ultrapassar os três bilhões de toneladas métricas nos próximos 30 anos.

Band se pronuncia após Nelson Piquet dizer 'Globo lixo' ao vivo; frase teria gerado desgaste interno

  Band se pronuncia após Nelson Piquet dizer 'Globo lixo' ao vivo; frase teria gerado desgaste interno Emissora estreou na Fórmula 1, neste fim de semana,e fala de tricampeão pegou mal+ Band aumenta audiência em cinco vezes com estreia da Fórmula 1

Os especialistas afirmam que os materiais mais abundantes no fundo do mar são o plástico, artigos de pesca, metal, vidro, cerâmica e papel. Dinâmicas oceânicas, como as correntes, são as principais responsáveis por distribuir o lixo das costas até as planícies profundas.

Google Maps © Google Maps Google Maps

O estudo ainda lembra que cerca de 700 espécies marinhas já foram afetadas pelo lixo, especialmente pelas redes de pesca, que apresentam decomposição lenta.

De acordo com os pesquisadores, os dados obtidos pelo recente levantamento são importantes porque podem ajudar na formulação de políticas de defesa dos oceanos.

chaiyapruek youprasert/shutterstock © chaiyapruek youprasert/shutterstock chaiyapruek youprasert/shutterstock

Meio ambiente

  • Quantidade de plástico no oceano pode quase triplicar até 2040, mostra estudo
  • Flutuador remove 50 mil quilos de plástico dos rios e impede que cheguem ao mar
  • Cientista alerta: metade das praias de todo o mundo pode desaparecer até 2100

Projeto arquitetônico chinês propõe aproveitar um novo tipo de energia do oceano: o gelo combustível .
Arquitetos chineses apostam em "arranha-água" sustentável que transforma gelo em combustível e limpa os oceanos Imagem: Divulgação/eVolo Em 2020, arquitetos chineses receberam uma menção honrosa no concurso eVolo Skyscraper, que premia projetos de arranha-céus visionários e sustentáveis, por seu projeto arquitetônico conceitual “Drilling Water-Scraper” – uma espécie de “arranha-água” futurista que explora gelo combustível do fundo do oceano, ao mesmo tempo que limpa o lixo do mar. A ideia de rejeitar completamente os combustíveis fósseis não é nova, embora existam várias alternativas a serem consideradas – como a energia solar e o hidrogênio verde.

usr: 1
Isto é interessante!